quinta-feira, 8 de maio de 2014

Testemunha Ocular 1948


Testemunha Ocular 1948: Lutando pelo Estado judeu

Inspirado pelo trabalho do renomado cineasta Steven Spielberg - Sobreviventes; Projecto História Visual da Shoah - o norte-americano Eric Halivni deixou o seu trabalho há sete anos, para começar a documentar histórias de testemunhas oculares da fundação do Estado de Israel para uma série intitulada "Eyewitness 1948".

Fundador e director-executivo da Toldot Yisrael, uma organização sem fins lucrativos com sede em Jerusalém, "dedicada à gravação e partilha de testemunhos em primeira mão dos homens e mulheres que ajudaram a fundar o Estado de Israel", Eric Halivni disse que a sua organização colectou até agora 700 entrevistas  e perto de 3.000 horas de filmagens, para uma série intitulada Eyewitness 1948.

Major-general (aposentado ) Elad Peled e Dr.a Zimra Peled, da Geração 1948 (Foto: Atara Beck)

Estes veteranos da fundação do Estado judeu "foram testemunhas da história", explicou Halivni em conferência de imprensa, no Hotel King David em Jerusalém, uma semana antes do Dia da Independência de Israel. "Eles estavam no lugar certo na hora certa".

O material ficará acessível na Biblioteca Nacional. Danny Streifler, director do Arquivo Digital Fotográfico e Serviços Interactivos na Biblioteca, descreveu a colaboração com a Toldot Yisrael como "a fusão perfeita".

Suzy Eban, esposa do falecido Abba Eban, famoso diplomata e político israelita, participou na série Eyewitness 1948. Ela já faleceu - em 2011, com 90 anos de idade.  Na entrevista, ela evoca a emoção antes da votação na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 29 de  Novembro de 1947, que terminou a favor da criação do Estado judaico.

"Foi a nossa vida", lembrou com paixão. "Algumas pessoas tinham prometido e votaram contra. Outros, conseguimos sensibilizá-los no último minuto, e eles votaram a favor".

'Eyewitness, 1948': Uma Oportunidade que ocorre uma vez em 2.000 anos

O major-general (aposentado) Elad e a Dr.a Zimra Peled, que participaram na conferência de Imprensa, lembraram as suas experiências de lutadores por um Estado judaico independente.

"Hoje, não se consegue encontrar sobreviventes da Revolução Americana", afirmou Elad Peled, de 87 anos. "Fazer parte da Geração 1948 é algo para o qual não há comparação. Nós estivemos lá, a participar neste episódio da história judaica, e sobrevivemos. [Uma oportunidade como esta] ocorre uma vez em 2.000 anos".

Os Peled, ambos doutorados da Universidade de Colúmbia, conheceram-se enquanto serviam no Palmach - a força de combate de elite da Haganah, o exército clandestino na Palestina sob mandato britânico - em 1946. Agora bisavós, casaram em 18 de Janeiro de 1948.

Elad descreveu o seu papel como comandante e chefe do esforço de resgate no norte da cidade de Tzfat (Safed) após a retirada britânica, auxiliando os judeus que precisavam de protecção.

Eric Halivni, inspirado pelo cineasta Steven Spielberg, criou o "Eyewitness 1948", que documenta histórias de quem viveu a Guerra da Independência. (Foto: Atara Beck )

"Nós pensávamos que íamos morrer", disse Peled, referindo-se aos corajosos 35 lutadores - conhecidos como os Lamed Heh, as letras hebraicas que representam o número 35 - surpreendidos quando tentavam salvar o Bairro Etzion e massacrados.

Após a missão bem sucedida, "o [então] rabino de Tzfat disse que a cidade foi salva por duas coisas: as orações e o milagre da chegada do Palmach", disse Peled.

Em 1967, Peled serviu como Chefe de Operações do Comando Sul, na Guerra dos Seis Dias. De 1970 até 1976 foi director-geral do Ministério da Educação, Cultura e Desporto.

Zimra, que mais tarde se tornou pesquisadora e leccionou na Universidade Ben-Gurion do Negev, era enfermeira de primeiros socorros no Palmach; serviu nas caravanas que viajavam entre Tel Aviv e Jerusalém, em que centenas foram mortos.

"Há caravanas que eu nunca vou esquecer", disse ela.

Mesmo a sua história de amor pessoal é fascinante de ouvir, mas mereceria um artigo inteiramente novo.

Enquanto isso, "a principal prioridade é tentar entrevistar tantas pessoas quanto possível dentro de um curto período de tempo", disse Halivni.

"Esta tarde vamos a outro funeral de um dos nossos chevra Palmach (grupo de amigos)", disse Peled. "Estamos a desaparecer a cada semana".
Escrito por Atara Beck
Editor, United with Israel

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.