quinta-feira, 15 de maio de 2014

Descubra o NAZI que há em si!

"Um em cada cinco portugueses revela atitudes antissemitas"


Conclusão de um estudo preocupante publicado pelo Jornal de Notícias. Milénios de perseguições a esta minoria em fuga, e os estereótipos e mitos criados à sua volta, deixam marca. Profunda.

Os comentários à notícia demonstram amplamente o ódio, o preconceito, a má-vontade e a ignorância  crassa sobre Israel e os judeus, sobre a História e sobre os FACTOS. A maior parte dos comentadores nunca viu um judeu religioso ou étnico (frequentam regularmente a Sinagoga de Lisboa uns 200 a 300), desconhece totalmente a sua História e Cultura, mas expele um ódio calcado dos milénios de perseguição religiosa e das paranóias neo-nazis hippies new-age agora impulsionadas pela Internet.



"O anti-semitismo não é uma ideologia, é uma doença"

Entendi toda a profundidade desta afirmação quando fui tresloucadamante "repreendido" por um dos meus melhores amigos - e das pessoas mais bondosas que conheço - por me ter atrevido a enviar um email alusivo ao dia da Recordação das Vítimas do Holocausto. O ser humano pacato e cordato transfigurou-se num verdadeiro torcionário fanático da Gestapo, numa fúria impressionante que o fez espumar (literalmente!) pela boca, recriminando-me pela divulgação do museu online do Holocausto: www.isurvived.org. Uma manifestação de ódio assim, vinda de um homem supostamente normal, não se esquece. E deixa marca. Profunda.


 6 milhões de pessoas "brincalhonas" e com "imaginação"

Berrava ele, completamente transtornado, que o anti-semitismo não existe. Que as manifestações de ódio aos judeus são todas "a brincar", e que, no fundo, é tudo "fruto da minha imaginação".


Só nos campos de concentração de Hitler ficaram 6 milhões de judeus brincalhões e cheios de imaginação. Mais umas centenas de milhar de ciganos, homossexuais, africanos, Testemunhas de Jeová, opositores ao Nazismo, deficientes físicos e mentais. Muitas crianças, torturadas de forma atroz. Todos com muita imaginação!
 Os rostos da paranóia

Mudam os detalhes, a paranóia anti-semita é a mesma. Na Idade Média, os judeus eram acusados de envenenar os poços, de não aceitarem Yeshua ben Yossef (Jesus de Nazaré, ou Jesus Cristo) como o Messias, de comerem crianças, etc.. Durante o Nazismo eram acusados de serem seres humanos de segunda categoria, que dissimulavam habilmente os seus maus instintos, de serem prejudiciais ao ideal da "raça pura" germânica, e de conspirarem para dominar o Mundo. Hoje, na era da Internet, são acusados de tudo isso e de serem lagartos vindos do Espaço, sob disfarce humano.

Alguns comentadores da notícia dizem que este estudo é uma "encomenda do lóbi Sionista", o tal "lóbi" que ninguém vê, mas que tem, segundo eles, um "plano secreto para dominar o Mundo".


Os judeus andam há 4 milénios a sofrer como nenhum outro povo, e não há meio de, com todo o seu alegado poder, desatarem para aí a "dominar o Mundo"? Até nisso sabem dissimular os maus instintos. E "encomendam" estes estudos para serem ainda mais odiados! Onde chega a maldade dos judeus...

Ironias à parte: Que Deus abençoe os 80 em cada 100 portugueses que não têm atitudes e ideias anti-semitas. Que o Bem cresça sempre, e sobrepuje o Mal.


"O silêncio em face do mal é o próprio mal. Não falar é falar. Não agir é agir".
Dietrich Bonhoeffer, pastor Luterano alemão, opositor e mártir do Nazismo

7 comentários:

  1. Parece que já tudo foi esquecido. A história deixa memórias curtas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este amigo de que falo começou a ficar assim desde que mudou directamente do CDS para o PCP. Durante o governo do Sócrates não se lhe ouvia um protesto. Com o Passos Coelho começou a passar-se dos carretos, Não sei se ele bateu com a cabeça em algum lado, ou assim... Não bebe nem consome drogas, e é uma pessoa encantadora, mas a faceta sombria de nazi que vi despontar naquele olhar em chamas, naquele estado alterado, assustou-me e impressionou-me. Continuo a ser amigo dele, mas é difícil esquecer e ainda mais difícil compreender. Marcou-me, vindo de quem veio...

      I.B.

      Eliminar
  2. eu sou para os outros um "nazi" e defendo com unhas e dentes o povo judeu , sou nacionalista e sempre fico sozinho a defender o povo judeu contra os outros que por norma são comunistas , ainda não perceberam que os comunas é que estão contra ? há sim alguns parolos mas que não teem lugar no movimento da causa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os comunistas e a esquerda em geral (com honrosas excepções), apoiam o Islão, a islamização, o terrorismo e o supremacismo islâmico. Constantemente aqui damos conta disso (e das excepções. como é o caso do blog Lei Islâmica em Ação ou do GALIZA - ISRAEL, que são de esquerda mas não apoiam os terroristas islâmicos).

      Aliás, para a maior parte da esquerda e dos idiotas úteis que lêem os cabeçalhos dos jornais e acham que sabem tudo, ser nacionalista, ser patriota, é ser «nazi», «fascista», «racista», «colonialista», etc... Ser pela destruição do nosso próprio país pelas hordas de bárbaros que semeiam o caos, que se constituem em gangues de violadores, que praticam o terrorismo, que vivem no crime, que vivem à nossa custa e nos odeiam ainda por cima, isso é que é ser moderno e progressista.

      Essa esquerda sempre amou o terrorismo, que considera romântico. É a esquerda das Brigadas Vermelhas, das FP 25, da ETA, etc.. Dizer-se ao pé dessa gente: "Eu amo o meu país; eu gosto de ser português", é pecado mortal!

      Veja por exemplo os posts recentes sobre a jihad sexual na Suécia. E obrigado por ser um amigo de Israel. Israel é a força democrática que mantém o mundo islâmico no Médio Oriente sob controle. Sem Israel ali, o fluxo do petróleo de que dependemos cai nas mãos dos terroristas e a escalada da islamização avança. O próximo objectivo - assumido pelos islamistas - é a «reconquista» de Portugal e Espanha.

      Nós somos portugueses, este não é um blog judaico, mas somos por Israel, porque somos pela democracia e pela liberdade. Da mesma forma, somos pelos Tibetanos, oprimidos pela China comunista.

      Gratos pela visita! Apareça sempre!

      Eliminar
  3. Já fui comunista. Comecei a "curar-me" depois de ter estudado num dos paises do antigo bloco de leste.
    Curei-me em definitivo quando me apercebi do antisemitismo e da islamofilia da malta de extrema esquerda. Sempre considerei o anti-semitismo uma linha que recuso a atravessar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como qualquer jovem, quando eu era um deles, tinha tanto de generoso como de ingénuo. Só podia conceber que se aspirasse a uma Sociedade da mais pura igualdade, justiça, fraternidade. Hoje tenho as mesmas aspirações, mas já percebi há uns tempos que o Comunismo é o caminho para o Inferno. O Nazismo foi uma forma de Comunismo, o chamado comunismo alemão. Consigo conceber que um jovem ou uma pessoa de cultura limitada, seja comunista. Consigo conceber que uma pessoa sem nada a perder, cega de ódio e desejo de vingança, seja comunista, por preferir arrastar os outros para a desgraça, mesmo que vá também. O que me custa a conceber são as raposas astutas, que sabem bem o que é o Comunismo/Socialismo, e, cinicamente, tiram dele proveito, à custa da miséria do povo. Angola, China, Cuba, Coreia do Norte, Venezuela, agora o Brasil, e tantos mais.

      Abraço!

      Israel Bloom

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.