quarta-feira, 21 de maio de 2014

Ai as minhas vacinas!


Actualização: o Al Público já cozinhou um branqueamento adequado para mais esta tragédia islamista:
Mais um esforço de branquear o islão, dizendo: "olhem, os muçulmanos também morrem": «Mas o Boko Haram (que significa "a educação ociental [sic] é proibida") não poupa a maioria muçulmana do Norte, atacando e destruindo com frequência escolas por serem frequentadas por raparigas». Minha cara senhora: as meninas muçulmanas não padecem nada: são libertas; apenas as cristãs padecem. Olhe a realidade de frente e não a mascare. Seja honesta e verdadeira.
 Amen!

VIVA O HAMAS! VIVA O HEZZBOLLAH! VIVA O BOKO HARAM!

Na redacção do Al Público deve ir uma sharia que Alá nos acuda. A notícia das vacinas e da CIA (habitual ruminância de propaganda Barata), lá continua, em destaque, mas aparentemente não há nenhuma islamista, perdão, nenhuma jornalista, perdão, nenhuma jornaleira, que queira dar a notícia de que o Boko Haram voltou atacar na Nigéria, com mais uma rodada de atentados bombistas, 118 mortos contabilizados até agora, e uma cifra indeterminada de mortos e estropiados.

www.thereligionofpeace.com - 22985 mortos (só os mortos!) desde o 11 de Setembro de 2001, quando começou a presente jihad. O Islão mata mais num ano que a Inquisição em 350!

Para acalmar aquele roçagar de burqas, vamos já dar a receita:

Numa peça de antologia, a célula da Artilharia 1, também conhecida como Antena 1, hoje de manhãzinha, anunciou os ataques, desde logo seguidos por uma sábia explicação de um "especialista" brasileiro:

"Os ataques destinam-se a pressionar o Governo".

Ou seja:

Os terrroristas do Boko Haram poderiam eventualmente ter optado por distribuir uns panfletos, ou fazerem uma manifestação, mas optaram pela matança, para pressionar o Governo. E preSsionar o Governo PORQUÊ? A Antena 1 não diz, obviamente, mas decerto que os terroristas razão. Afinal de contas... são muçulmanos! E os muçulmanos tem SEMPRE  razão.


Calma, meus semlhantes! Eles estão só a "pressionar o Governo".

 Mas a pièce de resistance é o remate da "notícia": "teme-se confrontos entre cristãos e muçulmanos"!

Exactamente! Esse é que é o problema nisto tudo! Ai se algum cristão nigeriano magoa um queridinho do Boko Haram!

Noutro dia os cristãos nigerianos pegaram em armas para defenderem as suas filhas de mais raptos para escravatura sexual, e foi um Alá nos acuda por esse politicamente correcto afora!

"Violência só gera mais violência!" - sentenciaram os islamófilos invertebrados.

E o que querem os terroristas islâmicos do Boko Haram? Os media não dizem que eles querem exterminar os cristãos que se recusam a converter-se ao Islão. Muito menos dizem que é esse o objectivo dos islamistas em geral - aliás de acordo com o Alcorão:

"Quanto aos cativos, o emir [governante] tem a opção de tomar a acção mais benéfica de quatro: condená-los à morte por decapitação; escravizá-los e aplicar as leis de escravidão em relação à sua venda e alforria; resgatá-los em troca de bens ou prisioneiros; ou perdoá-los. Allah, que o Seu nome seja louvado, diz: "Quando encontrares esses [infiéis] que negam [a Verdade = o Islão] ataca-os no [corta-lhes o] pescoço (Alcorão, sura 47, verso 4)"
- Abu'l-Hasan al-Mawardi, al-Ahkam as- Sultaniyyah (As Leis de Governança Islâmica), trans. pelo Dr. Asadullah Yate, (Londres), Ta-Ha Publishers Ltd., 1996, p. 192.


O QUE OS MEDIA ESCONDEM

Um exemplo entre milhares:
Muçulmanos atacam estudantes universitários e massacram-nos "como ovelhas"


Uma vítima esquecida deste ataque. Tem azar. É cristão. Não conta.

25 de Fevereiro de 2014
Por Theodore Shoebat

Muçulmanos na Nigéria atacaram sem piedade uma faculdade. Dezenas de estudantes foram massacrados. Uns foram queimados vivos, a outros mataram-nos a tiro, e, quando alguns tentaram escapar através das janelas, foram degolados.

Mais de 40 alunos foram assassinados no ataque contra o Colégio do Governo Federal de Buni Yadi. Os soldados ainda estão a contar os cadáveres.

Os jihadistas abriram fogo primeiro sobre o bloco administrativo da faculdade, e depois atacaram os dormitórios, onde trancaram os estudantes e começaram a matá-los. Um professor disse :
    Os alunos estavam a tentar sair pelas janelas e foram degolados como ovelhas pelos terroristas. Os que fugiram foram mortos a tiro.
Esta é a realidade do Islão; é uma estrada que brota das profundezas do inferno, cujo fim é só tirania e destruição.

O diabólico islamonazismo do Boko só saltou para as primeiras páginas por causa do rapto das meninas para servirem de escravas sexuais - como manda o Alcorão (ver excerto acima). A Imprensa "séria" demorou duas semanas a noticiar. E quando falou, foi por engano.

"Perdido de riso, ele continua: "Há um mercado para a venda de seres humanos. Allah diz que eu devo vender. Ele manda vender e eu vou vender as mulheres ... "


Falámos deste caso no post:

Israel vai combater o Boko Haram


E apostamos convosco que, caso as forças israelitas ou quaisquer outras (o muçulmano Obama pôs logo  o rabo de fora, como bom muçulmano que é), abaterem algum destes demónios, a brigada politicamente correcta tomará as ruas, a espumar de ódio e aos gritos de "assassinos!".

Como fazem sempre que Israel responde aos ataques diários e constantes dos terroristas do Hamas ou do Hezzbollah, que são iguaizinhos a estes e a todos os terroristas islâmicos do mundo. 


A EUROPA NAZI

E vamos com muita sorte, que a União Europeia AINDA NÃO está a financiar o Boko Haram, como faz com os terroristas do Hamas:

A cultura terrorista


A Europa vai pagar aos terroristas do Hamas. Diz que é para promover a cultura terrorista "cultura democrática" na sociedade palestiniana. Não tarda muito e estão a apoiar também o ensino da juventude palestiniana.

De cima para baixo:  a obsessão muçulmana contra os judeus; a obsessão muçulmana contra tudo e contra todos, e uma palestinianista que foi a Gaza e descobriu a verdade crua do terrorismo.


O ódio anti-semita europeu (e transversal à cultura europeia, incluindo o Novo Mundo), é a única razão para o apoio, o financiamento e a glorificação dos terroristas islâmicos: se eles estão em posição de exterminar os judeus e ocupar Israel, devem ser apoiados. 

Esquerda e direita estão de acordo. Ambas idolatram o terrorismo islâmico (eufemismo para Islão).

Os muçulmanos foram usados pelo Hitler na nobre empresa de exterminar os judeus:

«O Turbante e a Suástica: o Grande Mufti e os Nazis»   

 

 ESPEREM PELA PANCADA 

 

Depois de Israel, os muçulmanos querem reconquistar a Península Ibérica


Já o temos dito, mas não é demais lembrá-lo: os muçulmanos, de acordo com a doutrina do waqf, consideram que um território uma vez possessão islâmica é para sempre possessão islâmica, sendo dever de todos e de cada um dos muçulmanos tudo fazer para o recuperar.
A doutrina é antiga e actual. Primeiro estão concentrados em Israel, espinho atravessado na orgulhosa garganta da ummá; depois reclamarão a Península Ibérica, o Al-Andalus, cenário de uma  mitológica prosperidade e superioridade cultural e civilizacional islâmicas, estranhamente jamais repetidas e sem nada que se lhe compare passados 600 anos.
Quem duvida, oiça o que os próprios muçulmanos dizem.
Um de muitos vídeos de doutores e clérigos islâmicos que prometem a conquista da Península Ibérica - e do Vaticano:


Isso é que vai ser bom, meus semelhantes! Tudo de rabo para o ar virado para Meca, a dar vivas ao maridão da Aisha, ou então: pescoço cortado!

Para começar, os semelhantes (sobretudo as semelhantes) que idolatram o Hamas, o Hezzbollah e C.ia, podem começar por ir à Nigéria, dar um grande abraço ao Boko Haram. A Ana Lampeira pode lá ir dar-lhes uma acção de formação anti -piropo, por exemplo...


ANA LAMPEIRA NA NIGÉRIA - JÁ! 

"Ô téu pai dévé xér térrórista! Éxé cá umá bombá!" - expele a Ana Lampeira, com gula indisfarçável, para uma semelhante que foi ao seu seminário anti-piropo. Seria um sucesso na Nigéria!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.