sábado, 31 de maio de 2014

Islão quer extinguir as MULHERES?


Carrie Fisher, no papel de Princesa Leia, em Star Wars
"Alá não criou o homem para que ele pudesse divertir-se. O objectivo da criação foi a Humanidade a ser posta à prova por meio de sofrimento e oração. Um regime islâmico deve ser sério em todos os campos. Não há piadas no Islão. Não há humor no Islão. Não há diversão no Islão. Não pode haver diversão e alegria no que é grave" 

Aiatolá Khomeini

Não é bem assim. Se pusermos de parte os inocentes que são decapitados, assassinados à bomba, a tiro ou dentro dos aviões que são atirados contra edifícios, Se pusermos de parte os raptos, estupros, tortura, canibalismo, espancamentos, opressão, perseguição, privação total de liberdade e de direitos humanos, mais o abuso sexual de menores, e outros pormenores, o Islão até é uma ideologia bastante engraçada...

Ora vejam:


Islão: Meninas muçulmanas  sendo levadas acorrentadas aos que serão seus maridos.  

Os maiores especialistas mundiais em Direito Islâmico (aqui já temos uma boa piada: "Direito" e "Islâmico" na mesma frase!) decidiram recentemente, na 191ª reunião do Conselho da Ideologia islâmica, que é anti-islâmica qualquer tentativa de estabelecer uma idade mínima para que as meninas casem!
Mas a 192ª reunião  do Conselho da Ideologia Islâmica foi mais longe e declarou que as mulheres são não-islâmicas, e a sua mera existência contradiz a Sharia e a Vontade de Allah. 
"As mulheres, pelo simples facto de existirem, desafiam as leis da Natureza. Para proteger o Islão e a Sharia, as mulheres devem ser forçadas a parar de existir o mais rápido possível".
As mulheres que se atrevam a exprimir a sua própria vontade (sobretudo as não-muçulmanas ) serão as primeiras a ser alvo do extermínio progranado.

- Será brincadeira?  A notícia original está aqui.

 - Até pode ser brincadeira, mas no Islão a realidade ultrapassa muitas vezes a ficção, como pode comprovar por exemplo neste post:

Mulher que vai ao mar, vai adulterar!

- Recordamos o ponto alto:

    "Quando uma mulher vai nadar, como a palavra de 'mar' é masculino, quando a água toca as partes íntimas da mulher, ela torna-se uma adúltera e deve ser punida"

 - Mas há lá muito mais; a autorização de as mulheres amamentarem homens adultos, por exemplo!

 

 Tunísia: anos 60 e pós "Primavera Árabe"

- Feministas, comunistas, ateístas que dizem "Allah Akbar, meu semelhante!", bloquistas que querem criminalizar o piropo,  e outras islamófilas, vejam a nossa etiqueta Mulheres e façam-nos chegar os vossos argumentos!

"Ô téu pai dévé xér térrórista! Éxé cá umá bombá!" 


Camarada Ana Lopera:ENGOLE O TEU PIROPO!

4 comentários:

  1. I.B. o texto que citou do jornal paquistanês é de uma secção deste análoga ao "Inimigo público" do PÚBLICO, mas não há dúvida que manifesta algo de entranhado na psique islâmica, pois caso contrário não seria motivo de humor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela chamada de atenção, amigo.

      Já demos um jeito no post.

      I.B.

      Eliminar
  2. Se as mulheres contradizem o desejo de allah, então allah, o deus(a) do alto, não é omnipotente, logo nada tem de comum como Deus da Bíblia, versão judaica, ou cristã.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Allah não é, de facto, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob, o Deus justo e bom de Jesus/Yeshua.

      I.B.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.