segunda-feira, 12 de maio de 2014

Israel vai combater o Boko Haram


Um 'militante' do Boko Haram - "Islão significa 'Paz'", não se esqueça... 
Algumas meninas nigerianas, menores, que estes divertidos rapazolas raptaram, e que estão a transaccionar como escravas sexuais. fugiram, dizendo que preferiam a morte. As islamofóbicas! Deviam ir a Tribunal!
São estes pacatos cidadãos que as Forças Especiais de Israel já vão a caminho, para enfrentar - como enfrentam diariamente os do Hamas ou do Hezzbollah, tão pacatos como estes. Vão defender o nosso coiro, e ainda vão ser insultados por isso, como de costume.
"Eu raptei as vossas filhas, e vou vendê-las por Allah!"


'Alá diz para eu vender! Eu vendo!'
Virtual Jerusalem, 7 de Maio de 2014 
Um líder do grupo islâmico Boko Haram, ligado à Al Qaeda, que raptou cerca de 300 meninas cristãs de uma escola na Nigéria, lançou um vídeo arrepiante em que zomba das vítimas, e prometeu vendê-las como escravas.
O homem identificou-se como Abubakar Shekau, líder do grupo terrorista Boko Haram, e começa por dissipar todas as dúvidas sobre quem está por trás do sequestro, em Abril, afirmando: "Eu raptei as vossas filhas, e vou vendê-las, por Allah!".
Perdido de riso, ele continua: "Há um mercado para a venda de seres humanos. Allah diz que eu devo vender. Ele manda vender e eu vou vender as mulheres ... "


O Boko Haram é  responsável por um grande número de atrocidades terroristas na Nigéria - geralmente contra cristãos e alvos  governamentais, e ocasionalmente contra figuras muçulmanas.
Este caso das meninas sequestradas em massa para serem vendidas, que ocorreu em Abril, não foi o primeiro ataque do grupo a uma escola. Apenas dois meses antes, o grupo baleou e queimou até à morte dezenas de estudantes num ataque a uma escola.
Num ataque similar em 2013, os terroristas do Boko Haram assassinaram 50 estudantes enquanto dormiam, nos seus dormitórios. Em Julho daquele ano, 29 alunos e um professor foram queimados vivos em outra escola.
"Boko Haram" traduz-se literalmente como "a educação ocidental é proibida" na língua Hausa, proeminente no norte de maioria muçulmana da Nigéria, reflectindo a oposição do grupo a quaisquer influências não-muçulmanas ou ocidentais no país, sobretudo no sistema educativo.
O ataque em Abril passado, em Chiboke, estado de Borno, no qual 276 meninas foram raptadas causou 16 mortos e muitos mais feridos. Uma campanha internacional foi criada, em resposta à atrocidade.

- E agora, 8 pequenos comentários, com o pedido de desculpas por este post algo acidentado:
1. Israel junta-se à busca pelas meninas nigerianas

Mães das meninas nigerianas traficadas como escravas dos islamistas
Reconhecendo a "competência em anti-terrorismo a nível global" de Israel, o presidente nigeriano Jonathan Goodluck respondeu afirmativamente à oferta do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, para auxiliar na localização de 223 estudantes nigerianas sequestradas, e na luta contra o terrorismo brutal que por lá está a ter lugar.

Os esforços internacionais uniram-se para localizar mais de 200 estudantes sequestradas por terroristas islâmicos na Nigéria, enquanto a França pediu aos líderes africanos a realização de uma cimeira voltada para a questão,
relata o Times of Israel.
"Israel juntou-se este domingo à tentativa de encontrar as 223 estudantes sequestrados pelos combatentes do Boko Haram no nordeste da rebelde da Nigéria há quatro semanas, mas Washington disse que as tropas dos EUA ficariam fora de qualquer missão de resgate"- continua o artigo.
(O muçulmano Obama, ir combater os seus irmãos de crença, quando apoia a organização terrorista Irmandade Muçulmana no Egipto e na Líbia, a Al-Qaeda na Síria,  o Hamas em Gaza, o Irão nuclear? Tá bem, tá!... Mandou a sua bela Michelle  - visivelmente contrariada - despejar umas banalidades e segurar um cartaz, e tá a andar!)


 Michelle Obama:'taquyiia'

  
 2.'Taqiyya' e jihad sexual


O que é taqiyya? É um belo truque! O clérigo islâmico Mahmoud Al-Masri ensina...
Omitir também é mentir. Também é 'taqiyya'. Os media ocidentais não divulgam esta faceta da guerra do Islão - a jihad sexual - contra o Mundo Livre:  Os media ocidentais alinham na 'taqiyya'.

100% é uma percentagem relativamente elevada, não é?  É difícil clamar contra "generalizações abusivas", quando se trata de percentagens de 100%. Pois bem: 100% da violência sexual dos últimos 5 anos em Oslo/Noruega foi jihad islâmica. E Oslo é apenas um exemplo.
  2013-635126285559649694-964_main.jpg

A jihad ofensiva é legal - lembra um grande jurista da Universidade de Al-Azhar




3. Israel ajuda sempre

Pelas piores razões - por ter de lidar diariamente com os terroristas islâmicos - Israel possui uma elevada competência nesta área. Mas não a guarda para si. Lembramos que aquando do assalto ao centro comercial de Westgate, no Quénia, os israelitas foram chamados pelo governo local para neutralizar os terroristas. Recordamos esta horrenda acção dos terroristas islâmicos, avisando que é extremamente chocante:


Embora aqui no blog sejamos todos pessoas de trabalho, com pouquíssimo vagar para acompanhar a actualidade - nomeadamente a da jihad, a "guerra santa" islâmica - ainda fizemos alguns posts a acompanhar este caso de terrorismo islâmico, orquestrado pela terrorista britânica  Viúva Branca.. Estão no separador QUÉNIA.

4. Imprensa islamófila dá tiro nos pés

 
Parecem muçulmanas, mas são cristãs. A Imprensa politicamente correcta, sem querer, despoletou uma onda de solidariedade com as meninas raptadas - que não teria existido se se soubesse que eram cristãs.
As imagens divulgadas das mães das meninas mostravam senhoras com trajes similares aos das muçulmanas. A Imprensa filo-muçulmana (toda a "de referência") escolheu essas fotos para iludir o público a pensar que as meninas eram muçulmanas, e omitiu deliberadamente (como sempre faz) que eram cristãs. 
Mas acordou também porque as meninas não são europeias. O calvário das mulheres europeias às mãos dos fundamentalistas muçulmanos não é divulgado pela Imprensa "séria":
As mulheres, meninas e crianças abusadas sexualmente por gangues de estupro muçulmanos na Europa, não merecem a mesma atenção da Imprensa "séria". A cotação das pessoas cristãs e /ou europeias, está pelas ruas da amargura.
A Imprensa dominante oculta tudo quanto pode sobre a jihad islâmica.. Desta vez, saiu-lhes o tiro pela culatra!
5. Escravatura, Morte, Resgate, ou até 'Perdão', como manda o Corão...

Agora não faltarão "especialistas" a afiançar que o Islão não é o que o Boko-Haram pratica, etc., etc.. E enquanto o debate teológico prossegue, a catástrofe continua...
O comentarista do Alcorão Maulana Bulandshahri explica a 'sabedoria' da prática da escravatura sexual: "Durante a Jihad (guerra religiosa), muitos homens e mulheres tornam-se prisioneiros de guerra. O Amirul Mu'minin [líder dos crentes, ou califa - um lugar agora vago] tem a opção de distribuí-los entre os mujahedin [guerreiros da jihad], caso em que elas passam a ser propriedade desses mujahedin. Esta escravidão é a penalidade pela descrença (kuffar)".
Antes que venha algum xeque meloso, todo munido de truques, dizer que isso não está no Corão, fica aqui uma citação do Corão:
"Quanto aos cativos, o emir [governante] tem a opção de tomar a acção mais benéfica de quatro: condená-los à morte por decapitação; escravizá-los e aplicar as leis de escravidão em relação à sua venda e alforria; resgatá-los em troca de bens ou prisioneiros; ou perdoá-los. Allah, que o Seu nome seja louvado, diz: "Quando encontrares esses [infiéis] que negam [a Verdade = o Islão] ataca-os no [corta-lhes o] pescoço (Alcorão, sura 47, verso 4)"
- Abu'l-Hasan al-Mawardi, al-Ahkam as- Sultaniyyah (As Leis de Governança Islâmica), trans. pelo Dr. Asadullah Yate, (Londres), Ta-Ha Publishers Ltd., 1996, p. 192.
No nosso post Escravatura Sexual Século XXI temos uma pequena compilação de alguma doutrina islâmica pró-escravatura sexual. E alguns dos seus apologistas, como é o caso do emérito Shaykh al-Huwayn, que afirma peremptoriamente:
"Quando eu quero uma escrava sexual, vou ao mercado e compro-a!"

"A escrava deve andar coberta da cintura para baixo", diz a feminista islâmica Salwa al-Mutairi, toda enrolada em panos pretos.
A "activista feminista" kuwaitiana  Salwa al-Mutairi, (na imagem acima), tranquiliza as tropas e esclarece que a escravatura sexual é "apenas" para as mulheres "infiéis"!
Ainda acha que esta cultura do século VII é compatível com a nossa?

Ver Submissão - O papel da Mulher no Islão. Na TV europeia já se ensina como espancar as esposas como deve ser.
Mais uma vez, publicamos este vídeo sobre a apologia do estupro no Islão.  Nas ruas da Europa, os islamistas exigem a implantação da bárbara lei sharia, e as mulheres infiéis como "despojos de guerra":


 6. E afinal... o Boko-Haram é um bocadinho maroto! Ele há coisas!...
 

Talvez agora dizer que o Boko Haram é um grupo terrorista deixe de ser um pecado social...
O site "Rescue Christians" anda há que tempos a dar voz a a quem não a tem, esclarecendo que estes ataques do Boko Haram (que normalmente incluem assassinatos à catanada, à bala, queimando as pessoas vivas) são geralmente dirigidos aos cristãos que recusam converter-se.
Até aqui, o ex-terrorista islâmico Walid Shoebat, um dos que denunciam o Boko Haram e afins, era considerado doido. Mas agora, que a Michelle Obama e a Catarina Furtado estão na campanha, o Walid é capaz de já ter razão...

7. O que a Imprensa não mostra

Um exemplo de um caso que "nunca existiu", porque a Imprensa de referência não o noticiou (tal como durante o Holocausto a Imprensa de referência também não noticiava):
Muçulmanos atacam estudantes universitários e massacram-nos "como ovelhas"

 

Este rapaz é uma das vítimas do ataque. Pela segunda vez, este blog publica uma foto explícita. É chocante, mas é a duríssima realidade. Publicamos esta imagem brutal não na esperança não de acender ódios, mas de consciencializar. Está nas nossas mãos evitar muitas outras tragédias.

25 de Fevereiro de 2014
Por Theodore Shoebat

Muçulmanos na Nigéria atacaram sem piedade uma faculdade. Dezenas de estudantes foram massacrados. Uns foram queimados vivos, a outros mataram-nos a tiro, e, quando alguns tentaram escapar através das janelas, foram degolados.

Mais de 40 alunos foram assassinados no ataque contra o Colégio do Governo Federal de Buni Yadi. Os soldados ainda estão a contar os cadáveres.

Os jihadistas abriram fogo primeiro sobre o bloco administrativo da faculdade, e depois atacaram os dormitórios, onde trancaram os estudantes e começaram a matá-los. Um professor disse :
    Os alunos estavam a tentar sair pelas janelas e foram degolados como ovelhas pelos terroristas. Os que fugiram foram mortos a tiro.
Esta é a realidade do Islão; é uma estrada que brota das profundezas do inferno, cujo fim é só tirania e destruição.
Esperemos que as escolas ocidentais - já infiltradas por islamistas, ver Reino Unido: O Medo nas Escolas - não venham a ser alvo destes ataques...


8. Allah Akbar, meus semelhantes!

O terrorista diz: "O Islão exige a pena de morte para os homossexuais, o fim da liberdade de expressão, as mulheres presas em casa e escravas dos maridos, e a pena de morte para todos os infiéis".
 A pessoa evoluída que diz Allah Akbar aos muçulmanos: "Eu sou uma pessoa evoluída  que diz Allah Akbar aos muçulmanos, e ele não quer dizer o que está a dizer".
E dito isto, despedimo-nos com um vibrante Allah Akbar, caros semelhantes!



P.S - Agradecemos ao  Algumas COISAS acerca do Islão/A few THINGS about Islam pela partilha deste post.

7 comentários:

  1. E isto, como você bem diz, são «só» uns apontamentos sobre o que é essa tal a que chamam a "religião da paz". Perante o que elencou, com assinalável poder de síntese, tão vasto é o tema, pagava uma viagem a essa senhora Isabel, para ela ir lá dizer Allahu Akhbar ao terrorista que abre o post. Creio que já li aqui em tempos que lhes dão drogas alucinogénicas e pregações inflamadas antes de irem atacar os inocentes.

    Pedro Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro,

      A administração de drogas é comum em muitos conflitos no continente africano, como já foi em outros. Neste caso do Boko, há ex-elementos que fazem relatos arrepiantes da doutrinação ideológica e psicotrópca dos terroristas.

      Essa sua ideia de uma viagem para a Isabelinha Allah Akbar é BRILHANTE! Aguarde notícias ;-)

      José de Jesus

      Eliminar
  2. NO LIVRO APOCALIPSE HÁ REFERENCIA A UMA ÉPOCA NA QUAL O ANTI-CRISTO TERIA PODER NESTE MUNDO PARA INTIMIDAR E MASSACRAR OS CRISTÃOS. TALVEZ JÁ ESTAMOS NA EPOCA DOS SINAIS DOS TEMPOS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou nenhum exegeta, mas não me parece que o Agnaldo esteja longe da verdade. Tudo indica que o conflito final está próximo, com a Rússia a financiar o "crescente xiita" formado pelo Irão, Síria e Líbano, cujo objectivo final é destruir Israel. O Armagedão é capaz de acontecer mesmo, com a cumplicidade de Obama, hostil a Israel, indiferente ao sofrimento dos cristãos, e financiador de gente tão "recomendável" como a al Qaeda e a Irmandade Muçulmana. O Bem triunfará, não obstante.

      J.J.

      Eliminar
  3. Estou pasma com tanta ignorância e exagero!!! Se você quer escrever e quer publicar o que escreve, tem que NO MINIMO fazer uma analise profunda e desmembrada sobre todos esses assuntos, e quem sabe ser um pouco mais imparcial!!! Seus argumentos estão baseados no seu ponto de vista, e sua posição é como a que você critica em seu post, EXTREMISTA. Fico chocada negativamente com esse tipo de comportamento. Aposto que você não deve criticar as atrocidades cometidas por Israel em diversas guerras, não é? Pois então, criticar o outro é fácil, quero ver ser politicamente instruído o suficiente para não sair por ai fazendo analises SUPERFICIAIS e COM POUCO FUNDAMENTO, já que você não deve ter estudado sobre este assunto, só está repetindo algo que deve ter ouvido por ai... Esse mundo está perdido mesmo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha amiga,

      A sua rectória é o exemplo acabado do bem-pensantismo ocidental, que teima em ignorar o horror islamonazi, mesmo quando este está debaixo do próprio nariz.

      Perante o horror extremo de certas situações, as pessoas entram em negação. Senão, veja:

      Nós apresentamos aqui todo o tipo de provas possíveis: vídeos, testemunhos, legislação, História, e você acusa-nos a NÓS de sermos "extremistas". A realidade do Islão é que é extremista.

      Nós não fazemos aqui nem uma firmação que não seja provada sem margem para dúvidas. A sua islamofilia e anti-semitismo é que não a deixam enxergar a realidade.

      Não é para admirar. Há pessoas que continuam a achar que a Coreia do Norte é um paraíso, que Hitler foi uma pessoa estupenda, que Che Guevara foi um herói, que Dilma foi uma terrorista boazinha, etc., etc..

      O que a amiga escreve é exactamente a posição do mundo durante a época do Nazismo. É a negação e a ideologia a sobreporem-se à realidade.

      Mostre-nos onde estão esses "horrores" cometidos por Israel.

      Ignorância e exagero são apenas a sua negação e auto ilusão da santidade do Islão e ideologias afins.

      I.B.

      Eliminar
    2. P.S. - Indique-nos sff os FACTOS em que fomos ignorantes ou exagerados. Explique em que é que o rapaz que aparece na imagem todo mutilado pelos seus irmãos muçulmanos está a exagerar. Acha que foi apenas uma brincadeira amável? Explique em que é que os estupros, os ataques terroristas, a tortura, a escravtura, a escravatura sexual, o canibalismo, a queima de pessoas vivas e tudo o que aqui descrevemos e PROVAMOS são «exagero» da nossa parte.

      EXPLIQUE! Porque basicamente o seu comentário foram acusações vãs.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.