quinta-feira, 27 de março de 2014

O Tabu


Todos os dias, nos telejornais, lá vem a mesma mastigação e regurgitação de eufemismos sobre o caso do avião desparecido. Acompanhada de imagens de senhoras muçulmanas de véu a escreverem mensagens de apoio no placard que está no aeroporto. Nos jornais, nas rádios, nos discursos institucionais, o mesmo tabu...

 


Ainda ninguém sabe o que aconteceu. Há uma série de indícios de que o piloto pode ter estado envolvido no desaparecimento do avião, e de que pode ter havido intenção maliciosa, mas nada é ainda conclusivo. O governo da Malásia tem sido de nenhuma utilidade, com o seu sigilo constante, evasivas e meias-verdades. Porquê? 

A administração Obama, a nível interno e externo, baniu qualquer referência e proibiu qualquer investigação ao terrorismo islâmico (em próximos posts falaremos mais uma vez desta operação Estalinista de Barack Hussein Obama, sempre em defesa do Islão; fique atento).

Chuck Hagel, o responsável norte-americano pela Defesa, vem com um discurso que faz inveja ao hermetismo e meias verdades de qualquer ditadiura que se preze:

"Hagel: o terrorismo não está descartado no caso do desparecimento do avião da Malásia Airlines"
Bridget Johnson para PJ Media, 26 de Março
 Quando questionado especificamente numa conferência de imprensa com o seu homólogo britânico no Pentágono, hoje, o secretário de Defesa Chuck Hagel disse que ainda não está descartada a possibilidade de o desaparecimento do voo MH370 da Malásia Airlines ter sido um acto terrrorista.

    "Eu acho que neste momento não podemos descartar nada. Acho que temos de continuar a pesquisar. E os Estados Unidos continuam empenhados", disse Hagel .

    Hagel observou que os EUA têm aeronaves a operar entre a Malásia e a Austrália, para ajudar na busca.

    "Até que tenhamos mais informações, não sabemos", acrescentou .

    Sobre o que este desaparecimento implica em termos de segurança interna, Hagel disse: "Eu acho que qualquer país - e eu só posso falar pelos Estados Unidos - está sempre em evolução, e está sempre a descobrir novos desafios e ameaças e a tentar antecipá-los."

    "Essa é a nossa missão, a segurança deste país, trabalhamos para isso com todos os nossos parceiros interagências, serviços decretos e segurança interna", disse ele . "O mundo está perigoso. Nós reconhecemos isso. Há novas ameaças que constantemente nos chegam, de maneiras diferentes. Então temos que estar sempre prepararados." ...

--------------------------
"Apenas palavreado vazio. Até que Hagel e o resto dos responsáveis pela segurança em Washington comecem a falar honestamente sobre a ameaça da jihad, todos nós somos vulneráveis ​​ e estamos à mercê de qualquer ataque, porque a administração Obama não quer admitir que o terrorismo islâmico possa ser fonte de um ataque."
Robert Spencer/ Jihad Watch

1 comentário:

  1. Ou foi o piloto (islâmico) que planeou tudo, ou então alguém a bordo (terrorista islâmico) que o obrigou. O resto são tretas dos media.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.