segunda-feira, 17 de março de 2014

MH370 - A Hipótese Iraniana


Embora não sejamos, nem de perto nem de longe, clientes de telejornais (estômago fraco...), julgámos estar a sonhar quando ouvimos a seguinte "notícia": "Descartada a hipótese de atentado terrorista no desaparecimento do avião malaio, porque os dois iranianos com passaportes falsos afinal dirigiam-se para a Europa".

Este "afinal" é de antologia! Chegámos a um ponto do politicamente correcto e de capitulação perante a Religião da Paz, que toca o surrealismo!


Esta foto, de 26 de Dezembro de 2011, mostra o Boeing 777-200ER que continua desaparecido. O avião da Malaysia Airlines, levando 239 pessoas, perdeu o contacto com a torre de controlo na manhã de sábado, dia 8 de Março de 2014, num voo de Kuala Lumpur para Beijing. (Foto: AP/Laurent Errera).

China critica Malásia pela condução das buscas ao avião desaparecido - PÚBLICO

Estará o Irão estar por trás do desaparecimento do avião da Malásia Airlines voo 370? Segundo um ex-chefe de segurança da El Al, é provável que sim:
"O que aconteceu com esta aeronave, ninguém sabe. O meu palpite é baseado nos passaportes roubados, e acredito que o Irão esteja envolvido", disse ele. "Eles terão sequestrado a aeronave e pousado num lugar em que ninguém a pode encontrar".


Fotos de dois homens iranianos que embarcaram no agora desaparecido MH370 da Malaysia Airlines com passaportes roubados, divulgada por uma polícia da Malásia durante uma conferência de imprensa, na terça-feira, 11 de Março, 2014 em Sepang, na Malásia. (Foto: AP Photo / Wong Maye-E).
Ex-colaborador da El Al afirma: O Irão deve estar envolvido no desaparecimento do MH 370

Com base nos seus perfis, os pilotos são suspeitos pouco prováveis, diz o ex-chefe de segurança, que, tal como outros especialistas, acredita que o avião esteja intacto
Um ex-chefe de segurança para El Al (companhia aérea de Israel) disse que o desaparecimento do avião da Malaysia Airlines aponta directamente para o Irão. Isaac Yeffet, que serviu como chefe de segurança na companhia aérea nacional de Israel na década de 1980, e que agora trabalha como consultor de segurança de aviação em Nova Jersey, disse que os investigadores estavam correctos em apontar os dois passageiros iranianos com passaportes falsos, e que se tem desperdiçado um tempo precioso a explorar outras pistas.
"O que aconteceu com esta aeronave, ninguém sabe. O meu palpite é baseado nos passaportes roubados, e acredito que o Irão esteja envolvido", disse ele. "Eles terão sequestrado a aeronave e pousado num lugar em que ninguém a pode encontrar".
No rescaldo do desaparecimento da aeronave, que ocorreu na semana passada durante um voo nocturno padrão de Kuala Lumpur para Pequim, as autoridades da Malásia e os media divulgaram que dois iranianos tinham embarcado com passaportes roubados. À medida que os dias passavam e a investigação descobriu novos e confusos detalhes, admitindo-se que o avião poderia ter viajado até sete horas sem contacto via rádio, e que a sua localização potencial poderia estar em qualquer lugar, do norte do Quirguistão ao sul do Oceano Índico, a atenção foi desviada para os pilotos e para distantes teorias da conspiração. Este é um passo em falso, disse Yeffet, e que não teria acontecido em Israel.
 "Isto nunca teria acontecido com um avião israelita", diz Yeffet . "Um avião da El Al foi sequestrado pela primeira e última vez em 1968. Desde então, não houve um único voo em que a segurança não verificasse cada identidade".
No entanto, teria sido necessário mais do que apenas um par de iranianos com documentos falsos, disse Yeffet, para cometer um crime tão surpreendente. "Eu não posso acreditar por um segundo que se essas pessoas planeavam sequestrar o avião, tivessem agido sozinhas", disse ele. Baseado na sua experiência de estratégia nos serviços de segurança israelitas, os pilotos, disse ele, são suspeitos improváveis.
 "Estamos a falar de um capitão que tem 53 anos, que já trabalha para a  Malaysia Airlines há 30 anos, e de repente ele torna-se um terrorista? Ele queria cometer suicídio? Se ele cometeu suicídio, onde estão os destroços?"

- Não se terá tornado terrorista da noite para o dia, mas era um apoiante fanático da organização terrorista Irmandade Muçulmana; neste artigo até aparece com uma t-shirt que declara 'A DEMOCRACIA MORREU!' - a grande aspiração islâmica, logo após a destruição total de Israel.

Acrescentando que o capitão em questão, Zaharie Ahmad Shah, era conhecido por ser feliz no casamento e estar confortavelmente bem na vida, Yeffet disse que o perfil simplesmente não se encaixa. "Dos Estados Unidos à China, passando pelo Japão, todo o Mundo está à procura desta aeronave ou de parte dela. E não há sinal. Então, na minha opinião, o avião foi sequestrado. E foi um excelente plano dos terroristas, pousar num lugar onde podem esconder o avião e ninguém consegue encontrá-lo."

- Mas o politicamente correcto decreta que Aquele Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado... não seja pronunciado! Apesar de o Irão ser destacadamente o Estado nº 1 no patrocínio do terrorismo global,  há receio de o ofender, pondo sequer a possibilidade de os dois iranianos com passaportes falsos terem tido alguma ligação com esta tragédia. Ou de se tratar sequer de um atentado! Mais depressa se falará numa possível ligação do Monstro das Bolachas!


Uma mulher enxuga as lágrimas depois de sair do centro de recepção e área de espera para familiares e amigos dos passageiros do avião da Malaysia Airlines, no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, em Sepang, sábado 8 Março, 2014. (Foto: AP Photo / Lai Seng Sin)

O tenente-coronel Eran Ramot, um ex-piloto de caça da Força Aérea Israelita e chefe de pesquisa de aviação no Instituto Israelita de Estudos Estratégicos do Ar e do Espaço, no entanto, tirou outras conclusões:
"Seria muito complicado para alguém que não fosse o piloto ter tomado os comandos do avião", disse Ramot, com base nas revelações impressionantes que o voo não só fez uma inversão de marcha total da sua rota planeada, mas também em que todos os seus sistemas de rastreio foram manualmente desligados. "É preciso alguém que saiba como operar um avião como este." 
 - E não sabe Ramot que o co-piloto ("elogiado" pelos media como "um homem muito religioso"), proferiu as palavras "Muito bem! Boa noite!", imediatamente antes de os sistemas de localização do avião terem sido todos desligados.
Como Yeffet, Ramot acredita que o avião foi intencionalmente levado para um local secreto, e ele foi tão longe a ponto de dizer que tem esperança de que os 239 passageiros e tripulantes que estavam a bordo ainda estejam vivos. 
"Nós não sabemos nada mais, por enquanto", disse ele. "Uma das minhas teorias é que o avião pousou no Bangladesh. Poderia chegar lá, é muito próximo do Afeganistão. Poderia ter aterrado, e todos a bordo ainda estarem vivos. Isso poderia ser feito."


Um membro da tripulação da Marinha indonésia que varre as águas na fronteira com a Indonésia, Malásia e Tailândia, durante uma operação de busca do Boeing 777 perto do Estreito de Malaca, na segunda-feira, 10 de Março, 2014. (Foto: AP / Binsar Bakkara)
Questionado sobre o que teria acontecido se o avião - que deixou de ser detectado pelos radares - tivesse entrado espaço aéreo israelita, Ramot disse: "Não passaria despercebido, isso é certo. Teríamos tomado medidas, a mais elementar das quais teria sido  a interceptação e escolta". Isto não significa que as forças armadas da Malásia não tivessem prestando atenção, acrescentou. É simplesmente que, em Israel, a margem para se arriscar é significativamente mais reduzida.

"É uma questão de atmosfera", disse ele. "Aqui, cada pontinho no ecrã é suspeito, porque esta é a maneira como vivemos. Este é o nosso programa diário. Eu não posso imaginar que eles prestem a mesma atenção, mas se um sinal de radar toma um rumo inesperado ou fica estranho, eu esperaria que eles percebessem."

Pini Schiff, um dos especialistas de topo em segurança de aviação de Israel, disse que, se houver qualquer conforto que os israelitas possam tirar da história de MH 370, que está a ser um dos desastres de aviação mais confusos de todos os tempos, é que decerto nunca aconteceria a um avião voando a partir do Aeroporto Internacional Ben-Gurion.
"Simplesmente não aconteceria em Ben-Gurion", disse ele. "O nível de segurança em Ben-Gurion e em todos os aeroportos da El Al é tão alto, que simplesmente há nada mais que se possa fazer ... Os outros países não gastam biliões de dólares da forma como o governo israelita o faz, para proteger a aviação israelita, porque a ameaça contra a aviação israelita é muito mais elevada. O que fazemos em Ben-Gurion é uma operação que não está a ser feita em qualquer outro aeroporto do mundo. Nem nos Estados Unidos, nem na Grã-Bretanha, nem na Alemanha, nem em qualquer outro lugar."

- Deve ser muito triste ter que se viver assim. Para um português, é inimaginável. Tão inimaginável, que nem imaginamos a sorte que temos em viver num país sem terrorismo.

Como os seus colegas, Schiff disse que o seu palpite é tão bom como qualquer outro, quanto ao destino do MH 370, mas também acredita que há uma boa possibilidade de que a aeronave esteja intacta, numa pista escondida em algum canto longínquo do mundo.

"O avião vai ser encontrado. Pode demorar um mês ou um ano, mas será encontrado", disse ele. "Esta aeronave não desapareceu. Ela existe em algum lugar do mundo, e vai ser encontrada, provavelmente inteira".

- Que Deus o ouça, e que os inocentes que iam a bordo possam reencontrar-se com as respectivas famílias, que dá dó ver tanto sofrimento...


-----------------------------

A propósito:


Talvez isto seja verdade. Fosse a Líbia ou fosse o Irão, foi jihad. Mas os analistas oficiais do Ocidente já se sabe que vão desvalorizar, pela mesma razão por que não ousam pôr a hipótese de que os dois iranianos com passaportes falsos tenham alguma coisa a ver com o desaparecimento do avião malaio...
"'Atentado ao Lockerbie foi obra do Irão, não da Líbia', diz ex-espião"
de Gordon Rayner para o Telegraph , 10 de Março:

    
O atentado do Lockerbie foi ordenada pelo Irão e realizado por um grupo terrorista com base na Síria, admitiu um ex-oficial dos serviços secretos iranianos.
    Abolghassem Mesbahi, um desertor do Irão para a Alemanha, disse que o voo 103 da Pan Am foi derrubado em 1988, em retaliação por um ataque da Marinha dos EUA contra um jacto comercial iraniano, no qual 290 pessoas morreram.

    
Ele afirma que o aiatolá Khomeini, que era o líder supremo do Irão, ordenou o bombardeio "para copiar exactamente o que aconteceu com o Airbus iraniano".


Abolghassem Mesbahi


    Evidências inéditas reunidas para a audiência de recurso de Abdelbaset al-Megrahi, o ex-oficial dos serviços secretos líbios, condenado pelo atentado, apoiam a reivindicação do Sr. Mesbahi, e sugerem que os terroristas pertenciam ao grupo extremista da Frente Popular para a Libertação da Palestina - Comando Geral (FPLP -CG).

    Documentos obtidos pela emissora Al Jazeera para um documentário chamado 'Lockerbie: o que realmente aconteceu'  nomeiam indivíduos-chave, supostamente envolvidos no atentado, incluindo o alegado fabricante das bombas, o suposto mentor e o homem que pode ter colocado a bomba no Boeing 747.  
(...)
Da esquerda para a direita: Marwan Khreesat, Hafez Dalkamoni, Mohammed Abu Talb e Ahmed Jibril. Tudo bons rapazes!

2 comentários:

  1. Os 150 cristãos mortos, no passado Domingo, por muçulmanos na Nigéria não mereceram uma linha que seja no PÚBLICO. E as repreensões de Obama a Abbas? Quando foi o PM de Israel a ir aos USA, o PÚBLICO deu eco aos avisos de Obama, mas agora o silêncio é total.

    ResponderEliminar
  2. PALPITE. Estaria na COREA DO NORTE?

    Pois naquelas imediações, seria o unico pais que poderia concordar em ajudar extremistas consoante sua política ANTI-OCIDENTE.

    A propósito, deixe advertir conforme abaixo:



    TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

    Conjecturas

    A COREA DO NORTE POSSUI MESMO ARTEFATOS NUCLEARES?

    PODERIA A COREA DO NORTE, DE ALGUMA FORMA, POR MOTIVOS AINDA NÃO TÃO CLAROS, MAS PARA APOIO A SEUS ALIADOS POLÍTICOS INTERNACIONAIS, COLABORAR COM GRUPOS RADICAIS TERRORISTAS OU MESMO GOVERNOS ALIADOS DE SUA POLÍTICA ANTI-OCIDENTE , A FIM DE QUE UM ARTEFATO NUCLEAR SEJA USADO PARA ATAQUES CONTRA PAISES NÃO ALIADOS?

    ACERCA DO DESAPARECIMENTO DO JATO DA MALASIA

    SEGUNDO INVESTIGAÇÕES, POR ORA, AINDA EM ANDAMENTO NO AGUARDO DE CONFIRMAÇÕES,
    HAVERIA DOIS IRANIANOS ENVOLVIDOS


    SERIA POSSÍVEL QUE ESTE JATO ESTIVESSE HOJE NO TERRITÓRIO NORTE CORIANO SENDO PREPARADO PARA AÇÃO DE GRUPOS HOSTIS A ISRAEL?

    SERIA POSSÍVEL QUE UM AVIÃO COM CARACTERISTICAS DE JATO COMERCIAL PUDESSE, ATRAVÉS DE ALGUM ENGODO, LUDIBRIAR AS DEFESAS AEREAS ISRAELENSES E SOBREVOAR O TERRITÓRIO DE ISRAEL PORTANDO NA SUA CARGA UM ARTEFATO NUCLEAR?

    SERÁ QUE AS QUATRO LUAS DE SANGUE CONSOANTE ECLPSES LUNARES POR OCORRER NOS MESES QUE SE APROXIMAM , SERIA ALGUM PRESSAGIO DE ALGO TERRÍVEL QUE ESTÁ PARA ACONTECER?

    SERÁ QUE AS DEFESAS DE ISRAEL ATINOU PARA O PROBLEMA DO JATO DA MALASIA DESAPARECIDO?

    SERÁ QUE ATINOU BEM, EM VIRTUDE DE DOIS IRANIANOS ESTAREM ENVOLVIDOS NO DESAPARECIMENTO DO TAL AVIÃO C O M E R C I A L?

    UM JATO COMERCIAL NÃO LEVANTA SUSPEITA,
    POIS PODE MUITO BEM, ATRAVÉS DE ALGUM PLANO ASTUTO , SE PASSAR COMO AVIÃO DE PASSAGEIROS A CAMINHO DE UM VOO DE ROTINA AO TERRITÓRIO DE ISRAEL.

    NÃO CUSTA FICAR EM ALERTA

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.