domingo, 7 de setembro de 2014

Quem fala assim é Gaga!



Apesar da violência dos terroristas islâmicos e das ameaças das organizações esquerdistas-islamistas globais, Lady Gaga vai voltar a actuar em Israel, a 13 de Setembro.

Em 2009, Lady Gaga já tinha actuado em Israel. O espectáculo foi assim:


É claro que há quem goste, e quem não goste. Quem ache uma explosão de alegria e liberdade, e quem ache demasiado licencioso. Mas em Israel, como em Portugal, nos globalmente odiados Estados Unidos da América, ou em qualquer país do MUNDO LIVRE, cada um é livre de gostar ou não gostar, de ir ou não ir.

Há artistas que boicotam Israel, porque é esquerda e é chique. É-lhes proibido actuar em países islâmicos. Desde logo porque o Islão é contra a imaginação, a arte, a alegria de viver. 



Isto é o Islão. Isto não incomoda os esquerdistas, inimigos e boicotadores de Israel. Isto não incomoda a Rihanna, o Eddie Veder dos Pearl Jam, o Jello Biafra dos Dead Kennedys, e outros esquerdistas bem-pensantes. Incomoda-os que Israel EXISTA, contra a vontade dos islamistas, que não admitem países "infiéis" nas suas imediações (e fora delas).

"Alá não criou o homem para que ele pudesse divertir-se. O objectivo da criação foi a Humanidade a ser posta à prova por meio de sofrimento e oração. Um regime islâmico deve ser sério em todos os campos. Não há piadas no Islão. Não há humor no Islão. Não há diversão no Islão. Não pode haver diversão e alegria no que é grave" 

Aiatolá Khomeini

Aqui a temos em conferência de Imprensa de Lady Gaga em Tel Aviv, usando a Estrela de David, e falando de tudo o que lhe apetece, com a frontalidade que lhe é peculiar:


Este ano já actuaram em Israel por exemplo: Rolling Stones, Justin Timberlake, Prodigy, Neil Young, e, além de Lady Gaga, estão previstos nomes como Lana Del Rey, Cee Lo Green e os Backstreet Boys.

Estes artistas vão a Israel para actuar e ganhar dinheiro, obviamente. Mas, num mundo que odeia Israel e os judeus com o empenho de sempre, talvez  lhes fosse mais proveitoso em termos financeiros boicotar Israel. E de certeza que não seriam incomodados pelos bullies islamistas e esquerdistas, que chegam a atacá-los fisicamente e vão aos concertos para os insultarem.

Por militância no ódio antissemita já temos boicotadores como o lunático-nazi Roger Waters ou o nazi Elvis Costello.

Com a integridade que o caracteriza, Moby foi frontal, quando esteve em Israel:
"Quando o cantor Moby foi entrevistado na Rádio do Exército pouco antes de se ter apresentado em Israel, ele disse que a intensidade dos ataques contra ele antes de vir para Israel o fez suspeitar de que este não era um movimento objectivo que estava preocupado com o bem-estar das pessoas, mas sim algo escuro e duvidoso. "Infelizmente, porém," a maioria dos artistas simplesmente não querem lidar com isso. É muito mais fácil para eles fazerem uma declaração de que não irão a Israel "por motivos de consciência" ao invés de dizerem que as suas vidas estão a ser ameaçadas e que estão com medo".


Moby, um homem bom e íntegro.


Os islamonazis ameaçam regularmente de morte os artistas que tocam em Israel. Paul McCartney foi dos que não se vergou ao Islão.

Também nós conhecemos alguns que, embora sabendo que Israel tem razão e que os terroristas do Hamas ou da Fatah são bárbaros hediondos, iguais aos do ISIS ou da Al-Qaeda, preferem alinhar na postura de condenação de Israel.

Trata-se de gente COBARDE, de invertebrados, que de bom grado se submeterão a tiranias como o Islão, o Comunismo ou o Nazismo, em vez de defenderem a LIBERDADE. Mascaram a cobardia de "tolerância". E já andam cheirar afanosamente o rabo ao proverbial aldrabão e pró terrorista David Munir, na esperança (vã), de não serem chacinados quando o Califado cá chegar.

"Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados."
Edmund Burke - escritor orador e político irlandês, séc. XVIII

Todos nós podemos combater o Mal. O argumento de que "somos demasiado pequenos para mudar as coisas", não colhe. Uma pequena acção pode ter um impacto enorme. Este blog, criado para esclarecer literalmente meia dúzia de amigos, ultrapassa regularmente as 2.000 visitas diárias. Alguma coisa de bom havemos de estar a semear...

Escrever num blog, esclarecer os amigos, participar em manifestações, subscrever abaixo-assinados, pode parecer pouco, mas pode ser o suficiente para mover a opinião pública, e evitar que num dia (cada vez mais próximo) tenhamos que pegar em armas ou ser massacrados, como está a acontecer com os curdos, os cristãos e os yazidis no Estado Islâmico.

Causas como a de Israel (sob o terrorismo islâmico diário), do Tibete (ocupado pelo Império do Mal), como as minorias religiosas em TODOS os países islâmicos, como todas as ditaduras comunistas do Mundo, como a exploração desenfreada dos trabalhadores no chamado Terceiro Mundo, como a depredação da natureza e dos recursos naturais, como a corrupção endémica da classe política e como tantas outras, podem ter uma evolução positiva graças a pequenos gestos nossos, cidadãos do MUNDO LIVRE. Um clique nosso pode salvar vidas deles.

A pressão sobre os media (hegemonicamente de orientação esquerdista bem-pensante), as mensagens à Entidade Reguladora da Comunicação Social/ERC (info@erc.pt), as cartas aos jornalistas-propagandistas e aos espantalhos-provedores dos leitores, são como a água mole em pedra dura.

Vamos furar, amigos! Não é preciso sermos milionários e famosos como a Lady Gaga - que ainda há bem pouco tempo era uma ilustre desconhecida, como nós, mas que tem a sorte de viver num país Livre, onde tudo é possível.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.