quinta-feira, 11 de setembro de 2014

9/11 - Manhã, Tarde e Noite

MANHÃ


Toda a gente se lembra de onde estava e do que estava a fazer há 13 anos, neste dia...


A cena de 11 de Março deste ano, repetiu-se. Como em todas as datas "significativas":

8 da manhã, café da esquina, bicas a sair em ritmo de hora de ponta.

- Então, já se sabe alguma coisa?

- Ainda é cedo...

- Mas ELES ameaçaram.

- Ameaçam sempre, não é...

- Ai, Deus queira que não haja nada!

- O Obama já disse qualquer coisa, que não permitir...
Não há qualquer referência à autoria e ao mobile destes atentados, que iniciaram a presente jihad (guerra santa muçulmana), que, passados 13 anos, vai com:


 23803 atentados terroristas islâmicos desde o 11 de Setembro. Até agora. 

A lista, em detalhe:














Número incontável de vítimas. Decapitações, estupro colectivo, escravatura, escravatura sexual, raptos, tortura, profanação de artefactos sagrados e templos de outras religiões, execuções em massa, bombas, bombistas suicidas, espancamentos, esfaqueamentos, canibalismo, enterramento e incineração de pessoas vivas, amputações, crucificações, etc., etc., etc..

Não temos tempo nem espaço para mostrar tudo. Mas há quem tente mostrar tudo quanto pode. Por exemplo:


    No dia 11 de Setembro de 2001, o Mundo chorou as vítimas do atentado islamista. Os países islâmicos celebraram. E continuam a celebrar.
"When the twin towers collapsed... My lungs filled with air and I breathed in relief, as I had never breathed before."
'Ali 'Uqleh 'Ursan,
Syrian Arab Writers Association chairman
Al-Usbu' Al-Adabi (Damascus)
September 15, 2001
- See more at: http://www.memrifilms.org/9-11-five-years-later.php#sthash.7430M7pv.dpuf
"When the twin towers collapsed... My lungs filled with air and I breathed in relief, as I had never breathed before."
'Ali 'Uqleh 'Ursan,
Syrian Arab Writers Association chairman
Al-Usbu' Al-Adabi (Damascus)
September 15, 2001
- See more at: http://www.memrifilms.org/9-11-five-years-later.php#sthash.7430M7pv.dpuf
TARDE

À hora de  almoço, os noticiários lembram a tragédia. Nem uma referência à autoria e ao mobile destes atentados, que iniciaram a presente jihad (guerra santa muçulmana).

Na TV, finalmente, vai-se vendo alguma coisa deste horror, mas só desde que o ISIS (Estado Islâmico do Iraque e da Síria) começou a publicar as decapitações de "infiéis" e a ser impossível negar que o Iraque e a Síria já eram, que parte do Norte de África também já era, e que já ameaçam a Europa (a começar por Portugal e Espanha). 


Os irmãos muçulmanos Malik e Barack Obama.  Na foto da esquerda podemos ver o tesoureiro da jihad global com a famosa ècharpe dos terroristas «palestinos», que tem a inscrição "JERUSALÉM, ESTAMOS A CHEGAR".

Os apresentadores dos noticiários informam que Obama, o omnipresente, omnipotente e omnisciente deus das esquerdas, "já enviou" 475 militares para darem formação aos exércitos nacionais sírios e iraquianos. Podemos dormir descansados. Segundo o Al-Público, Obama "não hesita"! Uma descrição fabulosa do homem que, perante cada crise, vai jogar golfe!


No Iraque e na Síria, o Estado Islâmico chacina sistematicamente os cristãos, yazidis, curdos, e muçulmanos da seita "errada". São gente como nós. Não são "números" nem "notícias".

Não referem, os veneradores apresentadores, que o mesmo Obama retirou as tropas norte-americanas do Médio Oriente (após baixas inéditas, graças à incúria presidencial), que deixou material de primeira qualidade aos jihadistas, que financia e arma organizações terroristas como a Irmandade Muçulmana e o Free Syrian Army, que tem libertado os terroristas detidos em Guántanamo Bay, que mandou retirar todas as alusões ao terrorismo islâmico dos manuais de Defesa interna e externa dos Estados Unidos, que tem permitido a instalação de regimes fundamentalistas islâmicos nos países de onde os EUA se têm retirado, que se está nas tintas para o massacre de norte-americanos ás mãos dos islamistas (vide Beghazi), que o gabinete de Obama está cheio de membros da organização terroristas supremacista Irmandade Muçulmana, e muito menos referem a Jihad de Obama contra Israel, etc., etc., etc..

O deus Obama - dizem os mesmos apresentadores - declarou que o Estado Islâmico, não só não existe, como não é islâmico.

13 anos de terrorismo islâmico islâmico diário. 13 anos de negação. E continua!

E agora, o medo paralisante. A Europa sente que o Califado está a porta. E já vê as patrulhas-sharia nas ruas:




Pelas ruas das cidades europeias, bandos de muçulmanos já se constituíram em polícia religiosa, como as que existem nos seus países de origem. A Polícia, propriamente dita, já foge deles. As ruas, as escolas, a política, estão nas mãos deles. 


O mundo islâmico alastra de dia para dia. os muçulmanos vêem o Califado Global cada vez mais perto. Por incúria ou cumplicidade, Obama é o homem ideal para eles. P.S. - Não se esqueça de procurar Israel (( a grande potência expansionista que ameaça e oprime o mundo muçulmano) no mapa.

NOITE

A Europa caminha passos largos para a islamização, quer pela via demográfica, quer pela via militar. 



Há quem argumente que os terroristas islâmicos não compreendem o Islão.  para além de que estão a cumprir o que o seu livro sagrado determina e o seu profeta exemplificou, essa questão é capaz de ser um bocadinho secundária para quem é chacinado...

Ingénuos, os europeus e os ocidentais em geral, prodigalizam ao Islão gestos de "apaziguamento" - que eles interpretam como medo. Brevemente, se nada for feito, a Europa irá parar ao século VII muçulmano, de onde o Islão nunca saiu:




O 11 de Setembro, coincidindo com o quatrocentésimo aniversário da derrota dos bárbaros muçulmanos na Batalha de Viena, foi só o começo. O objectivo é este - e eles próprios o afirmam:

A Islamização da Europa e do Mundo


Para mais posts sobre a data de hoje, veja a nossa etiqueta 9/11 .

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.