domingo, 7 de setembro de 2014

Palmira Silva decapitada por muçulmano

A NOTÍCIA REZAVA ASSIM:
 
Encontrada mulher decapitada no norte de Londres

Cadáver da mulher foi encontrado num quintal. 

Um homem de 25 anos foi detido esta quinta-feira sob suspeita de ter decapitado uma mulher, segundo avança a 'Sky News'. 

O cadáver foi encontrado num quintal, perto das 13h00, em Nightingale Road, Edmonton, no norte de Londres. Testemunhas revelaram que viram um homem a correr quando as autoridades chegaram ao local. O crime terá sido cometido com um machete. Detetives britânicos disseram que ainda era muito cedo para especular sobre os motivos do crime, mas não há indícios de terrorismo
 CORREIO DA MANHÃ

DEPOIS, VEIO O QUE SE ESPERAVA:




Nick Salvadore, 25 anos, é acusado da decapitação de Palmira Silva, de 82 anos. Trata-se de um aspirante a lutador de gaiola (Mix Martial Arts/MMA) e convertido ao Islão.

O supremacista islâmico e pregador do ódio aos infiéis, Fiyaz Mughal, já sobejamente exposto nas suas actividades, vem a terreiro protestar contra a divulgação, nos media, de casos de assassínios, redes de estupro e terrorismo sortido, cometidos pelos muçulmanos. Com o pleno apoio da Esquerda, como sempre.

A razão?

Adivinhou: "promove a islamofobia"!


DEPOIS, VEIO O SILÊNCIO...


Em Portugal, a Imprensa, ao que parece, permanece obediente à Esquerda e ao Islão. Depois da notícia, e do "assegurar" que não se tratava de um atentado terrorista, veio o silêncio. E vamos com muita sorte se a família de Palmira não for processada por a octogenária ter resistido ao simpático Nick, candidato a lutador de gaiola, de 25 anos.

Agora imagine que tinha sido um judeu a decapitar uma octogenária, porque causa de qualquer artigo religioso. O que não iria nesse Mundo. Assim, como o Nick apenas cumpriu o que manda o Alcorão, é business as usual. E cara alegre, senão a seguir são vocês, meus semelhantes!

“E quando encontrares os infiéis, corta-lhes a garganta"  (Alcorão 47:4)

Neste vídeo, um clérigo muçulmano explica a melhor maneira de decapitar o infiel, e chama a atenção para que é diferente do abate de animais. A espada deve ser colocada no pescoço e depois movida para trás e para frente para cortar a garganta. E que o acto deve ser cometido com alegria e diversão. Dona Maria de Lurdes Modesto, aprenda que eles não duram sempre (esperemos...):



Lembramos que:

"O Islão não é uma religião"

 E que os muçulmanos têm o direito de vida e de morte sobre nós, a escumalha, os "infiéis":

"Quanto aos cativos, o emir [governante] tem a opção de tomar a acção mais benéfica segundo quatro possibilidades: a primeira, condená-los à morte, cortando-lhes o pescoço, a segunda, escravizá-los e aplicar as leis de escravidão em relação à sua venda e alforria, a terceira, resgatá-los em troca de bens ou prisioneiros, e a quarta, para mostrar bondade,  é perdoá-los. Allah (que seja louvado), diz: "Quando encontrares aqueles [infiéis] que negam [a Verdade = o Islão , então corta-lhes [os seus] pescoços" (Alcorão sura 47, verso 4)" - Abu'l-Hasan al-Mawardi, al-Ahkam as-Sultaniyyah (As Leis de Governança Islâmica), trans. por Dr. Asadullah Yate, (Londres), Ta-Ha Publishers Ltd., 1996, p. 192.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.