sábado, 19 de novembro de 2016

3 MILHÕES de ILEGAIS/ESTRANGEIROS votaram em Hillary


Sem as fraudes eleitorais dos Democratas, a América teria ficado ainda mais pintada do encarnado dos Republicanos.

Fomos denunciando durante anos, tal como muitos outros: Obama introduziu milhões de estrangeiros (sobretudo muçulmanos) ilegalmente nos Estados Unidos. E contava com os respectivos votos para ajudar a eleger a sua putativa sucessora.
Afinal, aqui na Europa, foi assim que os socialistas em França ou a extrema-esquerda na Suécia foram eleitos.
Nas recentes eleições norte-americanas, a legião de eleitores do Partido Democrata foi reforçado com MILHÕES de votos de não-cidadãos. Não fossem estas e outras fraudes, e Trump teria ganho ainda mais folgadamente!

Recordamos este artigo de antologia do Lei Islâmica em Ação:
Eleição nos EUA e o apoio de Clinton e Obama ao salafismo, wahabismo e Irmandade Muçulmana



"RELATÓRIO: 3 MILHÕES de votos nas eleições presidenciais provenientes de ILEGAIS, ESTRANGEIROS, não-cidadãos".
Por  TRN, 14 de Novembro de 2016:

Três milhões de votos nas eleições presidenciais dos EUA vieram  de estrangeiros ilegais e/ou não-cidadãos, de acordo com Greg Phillips da organização VoteFraud.org.

Se for verdade, isto significa que Donald Trump ganhou a eleição apesar da ampla fraude de voto (...).

Obama considera que não é possível controlar as fronteiras...
 
 "Verificámos que mais de três milhões de votos são provenientes de não cidadãos", disse Gregg Phillips depois de relatar que o grupo havia completado a análise do banco de dados de 180 milhões de registos de eleitores.

    
Verificámos mais de três milhões de votos provenientes de não-cidadãos.

    
@ TrueTheVote vai interpor uma acção legal.
#unrigged
— Gregg Phillips (@JumpVote) November 13, 2016

"O número de votos de não cidadãos excede os 3 milhões. Vamos requerer consultoria jurídica", acrescentou.

   
Completámos a análise do banco de dados de 180 milhões de registos de eleitores.
   
O número de votos de não cidadãos excede os 3 milhões.
   
Vamos requerer consultoria jurídica.

— Gregg Phillips (@JumpVote) November 11, 2016

Praticamente todos os votos dos 3 milhões de imigrantes ilegais terão sido para Hillary Clinton, o que significa que Trump poderia ter ganhado por margem mais alargada.
A fraude eleitoral usando documentos emitidas em nome de pessoas mortas e eleitores estrangeiros ilegais foi uma grande preocupação antes da eleição.
Na manhã da eleição, havia 4 milhões de mortos nos registos de eleitores dos EUA.
Alguns Estados exigem algum tipo de identificação antes de votar. Mas os seguintes estados não exigem nenhuma identificação qualquer antes de votar:
CalifórniaIllinoisIowaMaineMarylandMassachusettsMinnesotaNebraskaNevadaNova JerseyNovo MéxicoNova yorkCarolina do NorteOregonPensilvâniaVermontWest VirginiaWyomingWashington DC.
Graças ao
Motor Voter Act 1993, de Bill Clinton, nenhuma prova de cidadania é necessária para votar. Há apenas um questionário a perguntar se se trata de um eleitor legal. Sem identificação, sem confirmação de identidade, sem sanções aplicadas.
Hillary Clinton "venceu" no Nevada - um Estado com uma população ilegal muito grande - por apenas 26.000 votos. E os populosos Estados azuis, como a Califórnia, Nova Iorque e Illinois pesaram bastante nos totais do voto popular em Clinton. Mais uma vez, sem ser necessária prova de identidade para votar.

- Via Pamela Geller.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.