domingo, 26 de junho de 2016

O grave problema da endogamia europeia



  
O grave problema da endogamia lagomórfica demonstra a urgência da islamização da Europa, stupid!

Tão grande tem sido a obstinação da Alemanha em escancarar ainda mais as portas à islamização da Europa, que o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, até disse numa entrevista que "a imigração em massa é uma coisa boa, porque de outra forma, a endogamia poderia fazer a degenerar a raça alemã".

Em resposta ao Ministro, o conhecido escritor turco-alemão Akif Pirinçci escreveu uma carta aberta ao Dr. Schäuble:


(...) "O meu filho livre de consanguinidade, pelo contrário, mostra alguns comportamentos preocupantes. Pede-me constantemente dinheiro, e, adicionalmente, exige que eu lhe compre roupas caras de marca, telefones celulares, serviços de wi-fi-streaming, etc. E ainda por cima, embora ele próprio seja um híbrido, ridiculariza-me com coisas como "velho turco"ou "migrantino". Além disso é preguiçoso que nem um cão.
Como vê, Dr. Wolfgang Schäuble, deixar uma multidão de homens africanos e homens muçulmanos cruzarem-se com as nossas jovens sem qualquer controlo, pode dar um resultado completamente errado. Infelizmente, eu deixei a minha excitação sexual dominar-me naquela noite fatal. Mas pelo menos fiz a minha parte no abrandamento da endogamia europeia (...)
Ainda assim, existem efeitos inesperados, ou, em termos militares, danos colaterais, no cruzamento da raça alemã, que não devemos subestimar.
Por exemplo, a Organização Mundial de Saúde fornece os seguintes dados relativos ao QI médio dos países dos quais estes homens vêm:
Camarões 64, Chade 68, Somália 68, Níger 69, Etiópia 69, Botswana 70, Sudão 71, Mali 74, Egipto 81, Argélia 83, Líbia 83, Oman 83, Síria 83, Marrocos 84, Nigéria 84, Afeganistão 84, Paquistão 84 , Irão 84, Arábia Saudita 84, Iémen 85, Iraque 87, e assim por diante.
Ops, quase me esquecia de mencionar a comparação mais importante com estes números: Alemanha 105 (mas apenas a população indígena; os migrantes que nasceram e foram criados na Alemanha mantêm o mesmo valor de QI dos seus compatriotas no seu país de origem).  

Os métodos de investigação para estes gráficos são variados, pelo que os valores diferem talvez um ponto para cima ou para baixo de gráfico para gráfico. Isso significa que num gráfico diferente do que tenho usado aqui, o QI médio habitual por exemplo, no Iraque, poderia ser 90, em vez de 87. Mas a diferença para o QI médio alemão não muda, porque é proporcional , e, nesse caso, o QI alemão seria 108.

Wolfgang Schäuble



(...)  Além disso cerca de 20% dos homens que chegam são analfabetos, e três quartos deles são analfabetos funcionais. Essa percentagem é talvez ainda maior. Entre os afegãos de 14-24 anos de idade, o percentual é de 53%, segundo o Banco Mundial. 
Muitas vezes essas pessoas nem sequer aprenderam a sua língua materna correctamente.  50% a 60% deles atingiram o nível da escola primária, mas o currículo nos seus países de origem nem sequer corresponde ao menor dos padrões de qualidade alemães. Além disso, a maioria deles só sabe escrever em Árabe.


Como vê, Dr. Schäuble, com o cruzamento da raça alemã, podemos evitar a consanguinidade Europeia, mas estamos a produzir descendentes com a inteligência de paralelepípedos. Mas cada acto heróico tem o seu preço, não é?
 
Além destes problemas, há um outro: Se estes trabalhadores qualificados se sacrificarem e copularem sem parar para engravidar as nossas mulheres, quem então irão os nossos rapazes alemães engravidar? Ok, como ouvimos hoje em dia, aparentemente, cada homem europeu é um homossexual, ou pelo menos um pouco homossexualizado. 
Mas, ainda assim, não consigo imaginar como resolver este problema. Portanto, a minha sugestão é a seguinte: por cada migrante que monte uma mulher europeia, por lei, um homem europeu deve receber em troca uma mulher migrante para montar. Cruzamento Total, por assim dizer. Talvez, então, até o meu filho rebelde finalmente descubra a atitude sensata a tomar e me deixe em paz. 

 Akif Pirinçci

 NOTA IMPORTANTE:
O discurso do folgazão do Wolfgang Schäuble não é novo:
O imã da Mesquita de Al-Aqsa tem apelado sem cessar a que os "migrantes" muçulmanos façam filhos em profusão às mulheres europeias. 
E o Papa Francisco - que até compara a o ISIS a Jesus Cristo -  também já exortou os muçulmanos a virem para a Europa fabricar criancinhas com as mulheres europeias.
PERCEBEM AGORA O BREXIT?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.