quarta-feira, 8 de junho de 2016

Atentado em Tel Aviv - Árabes já festejam...



Desde o dia de Ano Novo que não havia atentados em Tel Aviv. Hoje foram assassinados pelo menos três israelitas, a curta distância do Quartel General do IDF (Forças de Defesa de Israel).

Vale a pena (re)ler este post para compreender a presente campanha de terror:


Quatro dos nove feridos estão em estado muito grave. 

O Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, preside a uma reunião de emergência.



A cena do ataque terrorista.

Nas próximas horas, em todo o Mundo, vamos assistir aos mais variados contorcionismos jornalísticos, de modo a fazer parecer que foram judeus que atacaram árabes, e não terroristas islâmicos que atacaram judeus.

ACTUALIZAÇÃO em 10.6:

Muçulmanos (e jornalistas) festejam o massacre de Tel Aviv

VÍDEOS do massacre em Tel Aviv. Terroristas atiram sobre clientes desarmados.


Israel será depois condenado na Imprensa, na ONU e nos Parlamentos deste Mundo, por "uso excessivo da força", porque deteve os terroristas usando a força, e não convidando-os com meiguice a entregarem-se. Até usaram armas de fogo! Vamos que matavam algum terrorista! Nem quero pensar nisso...

Note-se que não tem a mínima importância o que classe profissional engagèe dos jornaleiros pensa. O que está em causa é que é essa desinformação a responsável pela política dos terroristas, que matam inocentes e são beatificados pela Imprensa. Para eles, compensa matar judeus!

Em comunicado, a polícia israelita indicou que poderá tratar-se de um "ataque terrorista", embora ninguém ou nenhuma organização tenha reivindicado o atentado. O ataque foi perpetrado com recurso a armas automáticas.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/mundo/detalhe/ataque_em_israel_faz_pelo_menos_nove_feridos.html
Como acontece sempre que há ataques terroristas, os árabes muçulmanos, vulgo "palestinos", já festejam, em delírio, nas ruas de Israel:



Em todo o mundo islâmico, é, como sempre, festa rija. Mas a agência de notícias Al Arabyia está sob fogo por ter chamado vítimas aos judeus hoje assassinados! Na mentalidade muçulmana, quando os terroristas matam judeus, as vitimas são os terroristas!!!! E na mentalidade não muçulmana também.

Desde Outubro, foram assassinados 29 israelitas e quatro outros cidadãos, e centenas ficaram feridos. Graças à eficácia da Polícia israelita, inúmeros ataque foram impedidos, e foram abatidos cerca de 200 terroristas - o que só pode querer dizer uma coisa, na mentalidade vigente: que os terroristas têm razão! É aritmética...

Já com o Nazismo foi a mesma coisa: morreram mais soldados alemães do que das forças Aliadas. Portanto, os nazis tinham razão! É simples!


 Uma arma de fabrico caseiro usada no massacre:

Graças à vedação de segurança, é muito mais difícil contrabandear armas para os terroristas. Mas os hippies choram baba e ranho por causa da cerca, ou do "muro", como eles, os nostálgicos do Muro de Berlim, dizem.


LIDERANÇAS TERRORISTAS SAÚDAM OS "HERÓIS"

Soube-se entretanto que a Polícia abateu um dos terroristas.  Mais um "mártir" que a Marisa Matias e o Chico Louçã vão chorar. E os nazis também. A Polícia deveria ter deixado os rapazes matarem até gastarem os carregadores! Vem aí condenação internacional...

Pouco depois do ataque já havia foguetes, buzinões, distribuição de doces, nas ruas de Hebron, para celebrar a ida dos judeus para o Inferno islâmico, e a dos terroristas para o Paraíso de Alá:

O terrorista líder do bando que controla Gaza, o Hamas, Ismail Haniyeh, aqui numa foto de um dos famosos "campos de Verão do Hamas", onde crianças e jovens passam as férias a fazer a única coisa em que consiste a vida dos islamistas: prepararem-se para matar judeus. A foto é de Gaza, e data de Agosto de 2015. (Abed Rahim Khatib/Flash90) via Times of Israel.


Outro vídeo que agora chegou:



E agora, o detalhe de que estávamos à espera para encerrar este post:


OS JUDEUS TAMBÉM SÃO GENTE!


A Fatah, o partido do "moderado" Mamomoud Abbas, mega-terrorista e incitador número 1 da presente campanha de  de terror, também já veio a público, através da sua página no Facebook, insultar os mortos, chamando-lhes "colonos":



Para além da sua actividade como planeador e financiador do terrorismo islâmico, ou jihad, o mega-terrorista Mahmoud Abbas incita, premeia e homenageia os assassinos de judeus. A União Europeia envia-lhe milhões, todos os anos. Tem diversos palácios, aviões particulares, etc.. Um califa!

Tudo isto é deplorável, e só mesmo Israel e os judeus para suportarem uma situação assim. Os Árabes, que invadiram Israel em 1920, chamam "colonos" aos nativos! E matam-nos, perante a indiferença ou aprovação geral.

Os terroristas que matam judeus têm direito a páginas no Facebook, a serem recebidos pelo Papa e outros Chefes de Estado, a irem à ONU, a serem tratados pelo Mundo como se fossem pessoas normais. São cumulados com honrarias e fortunas em dinheiro!

Porque matam judeus. 

Alguém consegue imaginar semelhante tratamento dado a Osama Bin Laden ou a Salah Abdeslam, o terrorista sobrevivente dos ataques de Paris? A diferença entre estes dois e Mammoud Abbas ou Yasser Arafat é que os primeiros matam pessoas, e os segundos matam só judeus.

Já sabemos que o Mundo vai recomendar que o micro-Israel dê ainda mais territórios aos terroristas, para eles fazerem o que fizeram com Gaza: atacar Israel.

França, Estados Unidos, Reino Unido, todos os países que são atacados pela jihad, não pedem licença a ninguém para eliminar todos os terroristas que consigam. E o Mundo aplaude!

Israel não pode ser o único país do Mundo a pedir autorização ao Mundo para erradicar os terroristas que o atacam!



 Israel não pode ser o único país do Mundo a debater o seu direito a defender-se! CHEGA!



- A nossa sentida homenagem às vítimas de mais este massacre. Só nos permitimos fazer comentários, num momento tão triste, porque achamos poder contribuir para acordar consciências. 

- Pedimos as vossas orações pelas vítimas e a vossa colaboração na divulgação da Verdade, para que o terrorismo seja derrotado e a Paz reine, finalmente. 

- Os líderes do Mundo Livre não podem continuar a dialogar com terroristas, como se estes fossem pessoas razoáveis. Líderes terroristas como Mahmoud Abbas e Ismail Haniyeh perpetuam entre os seus seguidores uma cultura de ódio, sacrificando judeus e árabes para satisfazer o seu fanatismo. CHEGA!

2 comentários:

  1. Força Israel! Força IDF! Punam esses FDP que o único diálogo que eles percebem é o do chumbo! E que se lixe a ONU porque ninguém neste mundo deve ter de pedir autorização para defender os seus cidadãos.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.