quinta-feira, 23 de junho de 2016

Abbas "parceiro para a paz" recusa receber Rivlin



 Reuven Rivlin discursando no Parlamento Europeu.


O líder da chamada Autoridade Palestina, o mega-terrorista Mammoud Abbas, perpetrador, financiador, incentivador e glorificador do terrorismo, está na Europa. Uma corte de jornaleiros e politiqueiros beija-lhe os pés, como habitualmente. Desde a manhã que passam mensagens constantes na TV como se se tratasse de uma visita papal.

O presidente da república de Israel, Reuven Rivlin, também está de visita à Europa. Mas esse é  olimpicamente ignorado pela Imprensa.


Abbas, o menino querido da Imprensa e dos políticos ocidentais, condecora Fatima Barnawi, cujos "feitos heróicos" foram ter posto uma bomba num cinema cheio de judeus de todas as idades.


Mas há mais...

O presidente "palestino" Mahmoud Abbas, recusou hoje encontrar-se com o seu homólogo israelita, Reuven Rivlin, em Bruxelas, apesar de: 

A) pedidos insistentes dos funcionários europeus  

B) disposição de Rivlin, manifestada ao longo não apenas do seu mandato mas de toda a sua carreira política, de chegar a entendimento com os árabes e concretamente com Abbas.

C) o próprio Abbas ter-se declarado disposto a reunir "imediatamente" com os líderes israelitas.  

 Rivlin considerou "estranho" o desprezo de Abbas.


     Portanto: Abbas recusa-se a dialogar com o presidente de Israel, Reuven Rivlin, mas será culpa de Israel que não haja negociação. Certo?
     - Ariel Kahana (@ arik3000) 23 de Junho de 2016


Abbas, no cumprimento da máxima islamista de que "matar judeus é adorar Alá", ordenou a presente campanha de assassínios de judeus a que chamámos INTIFACADA, acusando-os de profanarem o Monte do Templo (o lugar mais sagrado do Judaísmo) com os seus "pés sujos" - explore a secção INTIFACADA, que estão lá os vídeos todos - dos discursos de Abbas, das exortações dos clérigos e dos ataques contra inocentes desarmados. O site e o canal YouTube Palestina Livre contém vasto material em Português sobre a folha de serviços deste mega-terrorista que o Mundo insiste em adular.


Esta recusa é apenas mais um episódio numa longa negociação em que do lado dos ocupantes árabes a resposta é sempre a mesma: NÃO! Por muito que Israel faça, os negociadores árabes:
a) assinam um acordo e assim que chegam a casa proclamam que a guerra continuará

b) levantam-se e saem da sala
c) recusam-se sequer a comparecer.

Os detractores de Israel ainda não perceberam que estão no mesmo barco que Israel. Israel é um pequeno país livre e democrático que tem no seu território milhões de invasores islâmicos e, ao redor, países islâmicos hostis e bandos terroristas islâmicos como o Hamas, o Hezbollah, a OLP ou a Fatah, apostados na sua destruição - exactamente o que está a passar-se com os países africanos e o Boko-Haram (entre outros) e os países europeus e o ISIS/Daesh (entre outros).

Se ao menos conseguisse que os detractores de Israel visem este vídeo, e caso tivessem dúvidas estudassem História até as tirarem todas...



Rivlin discursou ontem no Parlamento Europeu (transcrição aqui), dizendo aos legisladores que a iniciativa de paz francesa consiste apenas em "negociações por negociações" e está fadado ao fracasso, e conclamando a UE a concentrar-se "numa paciente e metódica construção e confiança". Abbas dirigiu-se ao Parlamento Europeu hoje, continuando a rectórica habitual de que Israel está a "ocupar o seu país" e que deve por isso deixar de existir.

O Hamas é terrorista, toda a gente concorda (menos a extrema-esquerda e os nazis, obviamente!). Mas a Fatah de Mammoud Abbas não é menos terrorista.


Alguém conseguiria imaginar Osama Bin Laden a discursar no Parlamento Europeu?  A diferença entre ele e Mammoud Abbas é nula. Bin Laden, pelo menos, tinha a decência de aparecer de camuflado e kalashnikov em punho - não escondia o seu terrorismo atrás de fato e gravata, e de falinhas mansas para consumo ocidental.

-------------------------

POST-SCRIPTUM: Terminou agora mesmo um ataque terrorista contra um cinema em Frankfurt. O atirador, mascarado, invadiu um cinema onde passavam filmes para crianças e começou a disparar. Foi neutralizado e abatido pela Polícia. Não há mortos a lamentar, graças a Deus e à actuação abnegada das forças policiais (sempre tão denegridas). A Amnistia Internacional e o Bloco de Esquerda lá do sítio devem estar à espera de saber a identidade do atacante para saber se podem protestar contra a Polícia...

A identidade e a motivação do atacante que não foram divulgadas! Dizem as más línguas que só serão quando encerrarem as urnas do referendo à permanência do Reino Unido na UE (motivado pela invasão islâmica imposta pelos eurocratas). Logo a noite já se saberá se se trata de um nazi de extrema-direita (se for não-muçulmano) ou de um pobre cidadão desequilibrado devido ao stress (se for da Religião da Paz).

Coisas que não passarão nunca na TV - e muito menos em semana e dia de referendo - são, por exemplo, os "refugiados" a apedrejar autocarros escolares no Reino Unido ou a gritarem "FUCK THE UK/ QUE SE F*** O REINO UNIDO", enquanto apedrejam a Polícia e tentam... entrar no Reino Unido, à força, abordando ferry boats e camiões!!!

POST POST-SCRIPTUM: Ultimamente, temos tido um "boom" de visualizações dos Estados Unidos - desconhecemos o motivo, mas agradecemos a preferência:



Visualizações de páginas
 
Estados Unidos
9573
Brasil
1206
Portugal
738
Alemanha
54
Ucrânia
48
Espanha
27
China
20
França
20
Austrália
19
Polônia
13

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.