quarta-feira, 1 de junho de 2016

Dalai Lama contra a invasão muçulmana da Europa


Dalai Lama diz que "há demasiados refugiados na Europa ... e que a Europa não pode tornar-se um país árabe".
 
Finalmente! Um líder religioso com coragem. Uau! 
Não creio que o dhimmi Papa o venha a felicitar. Esse reconhecimento especial vai para idiotas narcisistas como George Clooney, Salma Hayek, etc.. Lamentavelmente.

Espero que o Dalai Lama tenha uma excelente segurança, caso a religião da paz resolva agir.

E agora, Lisa?...

    "Dalai Lama sobre os Refugiados: a Europa não pode tornar-se um país árabe"
Red State,  01 de Junho de 2016:

    
Ele é o líder espiritual do Budismo Tibetano, bem como um símbolo pseudo-espiritual para boa parte da esquerda cultural: metade de Hollywood, incontáveis ​​'posers' universitários, e, claro, Lisa Simpson. E ele fez uma observação plena de senso comum, o que normalmente só vem da direita.(...)
    O Dalai Lama, esta semana teve a ousadia de sugerir que talvez um fluxo ilimitado de refugiados indefinidamente alojados não seja a melhor ideia de sempre. *suspiro*

Enquanto os muçulmanos espancam, roubam, matam e estupram,  o Papa Francisco compara o ISIS com Jesus Cristo e  aconselha as mulheres europeias a terem filhos dos muçulmanos e renderem-se à cultura islâmica - está AQUI.
Nisso (pelo menos) o Papa Francisco está com o imã de Jerusalém:

Imã de Jerusalém apela à jihad sexual na Europa


  
  Observe que a mensagem do Dalai Lama é compassiva, mas ainda assim razoável:

        "Quando olhamos para o rosto de cada refugiado, especialmente as crianças e as mulheres, podemos sentir o seu sofrimento", disse o líder espiritual tibetano, que  vive no exílio há mais de meio século.

        "Um ser humano que tenha um pouco mais de sorte tem o dever de ajudá-los. Por outro lado, agora são demasiados", disse ele, de acordo com a tradução alemã da entrevista ao Frankfurter Allgemeine Zeitung.

        "A Europa, como a Alemanha, não pode tornar-se um país árabe", acrescentou com uma gargalhada, relatou o jornal. "A Alemanha é a Alemanha".

    
O que uma óbvia verdade. É simplesmente factual dizer que, se a composição demográfica de uma área é completamente substituída por uma diferente, já não é o lugar que era anteriormente. Esta é uma afirmação tabu se você é de direita, mas não é
absolutamente estranha à esquerda, embora eles detestem a admiti-lo. É a própria essência dos argumentos contra a "gentrificação" e o colonialismo.

 
  Os esquerdistas não se cansam de dizer que a América do Norte pertencia às tribos antes de os brancos chegarem? Será que eles não afirmam que a reposição da população após a conquista europeia branca e a sua expansão mudou drasticamente a terra para os nativos? Claro que sim. O mesmo argumento é usado hoje em menor escala contra a invasão de pessoas brancas em bairros de minorias, com o fundamento de que estas mudam a identidade cultural do bairro ou apagam a sua história, carácter ou herança.

    
O que o Dalai Lama diz que não é diferente. É um argumento óbvio, matemático, dizer que se continuarmos a importar pessoas de um país para outro país, e as pessoas do outro país não se adaptam ao novo país, mas trazem consigo os costumes, língua e cultura do seu país de origem, o país de destino acabará por se tornar a nova localização geográfica para o que é, em essência, o país de origem. Esta não é uma ideia complicada!

Já há mais de 52 milhões de muçulmanos na Europa. É uma INVASÃO.

    
Mas voltemos ao Dalai Lama:

        
"Há tantos refugiados, que, na prática, torna-se difícil."

        
O Dalai Lama acrescentou que "de um ponto de vista moral também, eu acho que os refugiados só devem ser admitidos temporariamente".

        
"O objectivo deve ser que eles voltem, e ajudá-los a reconstruir os seus países."    

- Já mostramos sobejamente neste blogue que eles deixam lá as várias mulheres e as dezenas de filhos, à mercê do terrorismo, e vêm para cá invadir e desfrutar, como manda o Islão. 
Outra heresia para os esquerdistas. Será que o presidente Obama afirmará que o líder espiritual do Budismo Tibetano tem medo de mulheres e crianças, como ele diz dos republicanos que fazem a mesma observação? Lembremos que Obama chamou ao Dalai Lama "um poderoso exemplo do que significa a prática de compaixão", e disse que ele "nos inspira a falar em defesa da liberdade e da dignidade de todos os seres humanos."

    
Pergunto-me como é que o presidente Obama e os seus amigos vão reagir às declarações do Dalai Lama considerando os alemães nativos como seres humanos. Ou à sua opinião de que os refugiados devem voltar para casa.
    Sim, é moral ajudar os refugiados a regressarem aos seus países de origem para reconstrui-los em vez de abandoná-los. * Suspiro novamente *

   
Pode-se ser compassivo e querer ajudar os refugiados e, simultaneamente, estar vigilante sobre as ameaças à segurança que os seus números representam, e também estar preocupado com a preservação da própria herança cultural. Na verdade, pode-se fazer as três coisas ao mesmo tempo e ser um monge budista. E ser considerado um símbolo mundial da tolerância e paz.

Via Pamela Geller


Lembramos que o Dalai Lama é um Amigo de Israel:

Apoiemos o Tibete!



"Entre os refugiados Tibetanos estamos sempre a dizer a nós mesmos que devemos aprender o segredo dos Judeus para conservarmos as nossas tradições, em alguns casos sob circunstâncias hostis" - disse o Dalai Lama.

Se é novo aqui e neste tema, ou se não tem vivido neste planeta nos últimos 15 anos, convida-mo-lo a consultar os sites na barra lateral, sob o título O TERRORISMO GLOBAL. Não há um dia em que na Europa e em todo o Mundo os muçulmanos não cometam os mais variados actos criminosos, de terrorismo e de supremacismo.

20 minutos do caos provocado pela invasão dos muçulmanos na Europa:


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.