quinta-feira, 16 de junho de 2016

CENTENAS de terroristas do ISIS a caminho da Europa


Milhares de pessoas boazinhas e inteligentes tomam as ruas da Europa a dar as boas-vindas à invasão muçulmana. Os governos andam à bulha uns com os outros a reclamarem a sua parte de refujiadistas - quantos mais, melhor! O resultado está à vista:

Teme-se a chegada CENTENAS de terroristas do ISIS, muçulmanos devotos que podem ter escapado para a Alemanha entre os "refujiadistas" muçulmanos!

Há dois meses, avisámos:

ISRAEL AVISA: Centenas de terroristas muçulmanos planeiam atacar a Europa 


Não esqueçamos que os massacres de Paris e de Bruxelas foram cometidos por estes simpáticos "refugiados" da Religião da Paz, que "fogem da guerra na Síria" mas que chegam de todo o lado menos da Síria e que são, em mais de 80%, homens jovens e em grande forma física, com os bolsos bem cheios de dinheiro e aparelhos electrónicos topo de gama com propaganda islamista e vídeos de decapitações de "infiéis"!
Mas como é Israel que avisa - porque está lá no meio deles, nos seus míseros 0,5% do Médio Oriente - as pessoas não acreditam. Acham que é preciso, acima de tudo, apaziguar o Islão, e assim "eles" não nos farão mal.
 
 Se fosse em Israel, esta imagem seria publicada com acusações de "Estado Policial", "apartheid" e afins. Mas agora é connosco. Agora é aqui na Europa. Os franceses, porque são gente, já podem defender-se do terrorismo. Os judeus não!

Entretanto, e no cumprimento da ordem do ISIS, para os muçulmanos tornarem este Ramadão inesquecível na Europa e nos Estados Unidos, os ataques vão-se sucedendo, todos os dias.

O porta-voz do Estado islâmico, Abu Mohammad al-Adnani, pediu recentemente aos muçulmanos: "Preparem-se, preparem-se ... este será um mês de calamidade em todos os lugares, para os não crentes... preparem-se especialmente os combatentes e apoiantes do Califado na Europa e na América."
 Abu Muhammad Al-Adnani, porta-voz do  ISIS, 21 de Setembro de 2013:
“Se não conseguirem bombas ou balas, ataquem os infiéis directamente - sejam eles americanos, franceses ou seus aliados. Esmaguem-lhes a cabeça com uma pedra, cortem-lhes a garganta com uma faca, atirem-nos de um precipício, atropelem-nos com um carro, estrangulem-nos ou envenenem-nos. Se não conseguirem fazer nada disto, queimem-lhes a casa, o carro, a loja, ou destruam-lhes as culturas - pelo menos cuspam-lhes na cara”.

Os muçulmanos e os filo-muçulmanos não se cansam de afirmar que a sua religião é tão violenta como qualquer outra. Para demonstrar que não é assim, o site The Religion of Peace/A Religião da Paz faz a contabilidade diária dos mortos e feridos (para não falar em torturas, estupros, mutilações, escravidão, etc.) que o Islão comete diariamente.

No Ramadão (o mês "sagrado") mata-se ainda mais. Pelo menos tenta-se:

Este ano, volvidos apenas 11 dias de Ramadão, já lá vão 88 ataques e 713 mortos. Para não falar dos feridos e estropiados. ISTO É O ISLÃO!
NENHUMA outra religião matou ninguém nestes 7 dias, neste mês, neste ano, nesta década, neste século e neste milénio.

O terrorista do metro de Bruxelas Naïm Al Hamed, também conhecido como Osama Krayen,   é mais um dos que entraram na Europa como "refugiados".

E porque já começa a ser difícil mascarar a jihad com as habituais desculpas de "violência no local de trabalho", "indivíduo mentalmente instável", "violência anti-gay", etc., etc., então a Imprensa de grande consumo já nos avisou ontem à noite de que estão centenas de activistas muçulmanos a caminho da Europa, para levar a cabo ataques terroristas já planeados.
No dia 10, jornais não conformistas como o Express, já o diziam, mas só agora, que os jornais "sérios" o dizem, é que é verdade:
Muçulmanos "radicais" são os que põem as bombas. Muçulmanos "moderados" são os que ficam contentes pelas bombas (ver vídeo abaixo). Uns e outros entram na Europa aos milhões. A Europa não quer aprender com a ineficácia das políticas "apaziguadoras" de Israel.

"Teme-se que centenas de terroristas do ISIS possam ter entrado na Alemanha"
por Allan Hall, Express, 10 de Junho de 2016:

    
Um político alemão pediu a revisão de todos os procedimentos de segurança no Estado que abriga o maior número de refugiados - enquanto cresce o medo de que centenas de
terroristas do Estado Islâmico (ISIS) se tenham infiltrado no país, disfarçados como migrantes.



Na noite de Passagem de Ano, o tradicional festival islâmico de estupro colectivo, abriu os olhos a alguns europeus. Só a alguns.

    O especialista em segurança do partido conservador CDU na Renânia do Norte-Vestfália pede a revisão das políticas de acolhimento, depois de se ter descoberto que três dos quatro suspeitos de terrorismo e carnificina em massa na cidade de Duesseldorf estavam todos a viver em campos de refugiados e tinham viajado da Síria disfarçados como refugiados.
    Ele disse que era "ingénuo" acreditar nas declarações de membros do seu próprio partido, que não há terroristas a caminho do país, disfarçados de requerentes de asilo.

   
Disse: "Continuamos a não conhecer a identidade de todos os requerentes de asilo".

    
"As autoridades de segurança em Rhine-Westphalia têm que organizar imediatamente uma avaliação de segurança de todos os refugiados que vivem no Estado."   Rhine-Westphalia tem Duesseldorf como sua capital e Colónia como a sua maior cidade.

    
Dezenas de homens migrantes assaltaram e molestaram sexualmente centenas de mulheres na véspera do Ano Novo em Colónia, em cenas que mudaram para sempre a percepção alemã dos refugiados.
    Hans-Georg Maassen, o chefe da agência de segurança interna da Alemanha, tinha dito anteriormente que o ISIS não precisa de contrabandear pessoas para o país na onda de refugiados, porque tem "outros meios" de lançar ataques - incluindo a radicalização dos convertidos descontentes e dos muçulmanos já vivem na Alemanha.

    
Mas as detenções realizadas em Dusseldorf mudaram essa opinião. O ministro da Justiça Heiko Maas disse: "As nossos autoridades de investigação devem reprimir os suspeitos de terrorismo com todos os meios permitidos por lei." ...



Se uma TV qualquer passasse este vídeo em horário nobre, a ameaça islâmica tornar-se-ia conhecida das populações. Assim, estas só sabem quando é demasiado tarde.



Este blog não tem filiação político-partidária, religiosa, racial ou étnica. Somos portugueses. Amamos a Verdade, a Paz e o Bem. Queremos ajudar a contrariar a difamação e a perseguição a Israel e aos judeus! Israel é 0,02% do mundo islâmico. Israel é 0,5% do Médio Oriente. Israel é a única democracia do Médio Oriente. Deixem Israel em paz!

Os textos de nossa autoria podem ser livremente reproduzidos (embora não sejam grande coisa, pois não somos nenhuns intelectuais). Os textos que traduzimos obedecem às directrizes dos respectivos autores. Nós citamos sempre a origem.

4 comentários:

  1. Olá.
    Passada rápida apenas para parabenizar os autores do blog.
    Não sou muito de tecer comentários, porém, sou leitor assíduo dos artigos do blog.
    O Islã é como um câncer com metástase e precisa ser combatido com todas as forças e recursos. Ainda que tenhamos despertado tardiamente para os seus efeitos maléficos.
    Sou brasileiro e cristão. E dou todo o apoio a Israel e a todos os defensores da liberdade e da paz.
    Décadas de influência do marxismo cultural parece ter deixado o ocidente em um estado de hipnose coletiva.

    Mas não podemos desistir.É uma questão de sobrevivência individual e cultural.

    Abraço a todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo Fábio,

      A sua mensagem chegou em boa altura, creio. O panorama aqui na Europa é desanimador. Por estranhas perversões de raciocínio, a opinião publica está mais disposta a culpar pela matança islâmica constante entidades vagas como "o capitalismo", do que a reconhecer que estamos a ser atacados pelo mundo muçulmano.

      O que escrevemos aqui neste blog está muito mais bem explicado em sites com qualidade, bem melhores que a nossa tentativa artesanal de acordar consciências.

      A nossa esperança é que a nossa simplicidade possa encorajar as pessoas a estudar, em sites melhores, mais completos. Mas hoje considerámos seriamente parar o blogue, perante o dilúvio de disparates que ouvimos e lemos, e a passividade da multidão, já resignada a ir para o matadouro.

      A sua mensagem lembrou-nos de que vale a pena lutar, de facto.

      Bem-Haja.

      Oliveira

      Eliminar
  2. Não, por favor, nunca desista!

    Eu também sofro muita pressão e desprezo por parte dos meus compatriotas, porque costumo denunciar as mentiras da mídia esquerdista e expor a verdadeira face do Islã. Tudo que os maus precisam é que os bons se calem. Talvez você não veja,porém, não tenha dúvidas de que os seus posts ajudam a abrir os olhos de muita gente, ainda que de forma silenciosa. Eu mesmo já aproveitei alguns posts seus para dar suporte á algumas publicações minhas em um grupo anti-islamismo que eu faço parte no facebook. E esse grupo tem um número de membros expressivo.Os servos da mentira e da desinformação, certamente são em maior número, por isso a verdade precisa de pessoas como você. E o Deus da verdade não precisa de quantidade e sim de qualidade. Veja o próprio Israel, tão pequena entre as nações, mas a escolhida dentre todas elas. O Deus de Israel e da Igreja é contigo, e os homens de bem e que amam a verdade também. Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela força, Fábio. Há dias em que sacrifico uma ou duas horas, ou mais horas de descanso ou lazer, para traduzir um artigo ou compilar informação, e depois, quando deparo com a massa de gente que parece hipnotizada pela flauta mágica do Islamismo, pergunto-me se vale a pena. Mas se sentimos em nós o apelo do Bem, tem razão, devemos segui-lo.

      Abraço,

      Oliveira

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.