sábado, 3 de dezembro de 2016

Mammoud Abbas, o bombeiro incendiário


O líder da organização terrorista "Fatah/Autoridade Palestina", Mammoud Abbas, enviou bombeiros para Israel, numa operação de charme, mas vai pagar aos incendiários, como paga aos terroristas e às famílias dos que atacam e matam israelitas - veja a nossa secção INTIFACADA, que só aí encontra vasto material sobre o assunto, desde os discursos de apelo ao terrorismo até às recompensas aos assassinos.

"Enquanto o líder da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas, recebia elogios pelo envio de bombeiros palestinos para ajudar a apagar incêndios em Israel, o Ministério das Finanças da AP estava ocupado a começar a pagar salários aos incendiários palestinos que foram presos por terem ateado esses mesmos incêndios", afirmou Itamar Marcus, director do instituto de monitorização dos media árabes muçulmanos Palestinian Media Watch (PMW), em editorial publicado no The Jerusalem Post.

 
Agosto de 2013: O "moderado" Abbas recebe em apoteose dois terroristas que assassinaram a golpes de machado um sobrevivente do Holocausto. É a regra com o mega-terrorista Abbas, apresentado pelos media como "moderado".

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu fez um telefonema especial a Abbas na semana passada, agradecendo-lhe a ajuda no combate aos incêndios que grassaram pelo país, provocados por incendiários Árabes.
Não houve mortes (para grande desapontamento dos muçulmanos, dos nazis e da esquerda em geral) mas centenas de pessoas, incluindo um bebé de seis semanas de idade, foram tratados por inalação de fumo. Pessoas é como quem diz. Foram apenas judeus.
Aqui mesmo no nosso blogue, fizemos alguns posts mostrando os muçulmanos a atearem os fogos e a cantarem e dançarem em celebração. A TV e os jornais não mostram! Se mostrassem, lá se ia a demonização de Israel e o endeusamento do islamismo...



23 suspeitos foram presos até agora, envolvidos nas centenas de incêndios que destruíram centenas de casas e 32.000 hectares de florestas e parques nacionais.
"Todo o fogo que foi o resultado de incêndio ou incitação a incêndio é terrorismo em todos os sentidos e vamos tratá-lo como tal. Quem quer que seja que tente queimar partes do Estado de Israel será severamente punido", declarou Netanyahu.
Como o PMW demonstra sistematicamente no seu site, com os vídeos dos discursos na TV "palestina", a "Autoridade Palestina" não só incita à violência contra israelitas e glorifica o terrorismo jihadista; como também paga salários a quem cometa qualquer acto de terrorismo contra judeus e contra o Estado judaico.


Ainda recentemente o Reino Unido congelou mais uma remessa de 31 milhões de libras, destinadas a "ajuda" à organização terrorista de Abbas, porque a dita cuja, a chamada "Autoridade Palestina", usa esse dinheiro para recompensar assassinos.

"Não são apenas os terroristas que recebem um salário de AP. Todos os palestinos, árabes israelitas e terroristas árabes de qualquer país que estão presos, são recompensados ​​com altos salários da AP", disse Marcus no editorial do Post.
"Uma vez que a AP considera automaticamente qualquer pessoa que tenha atacado israelitas ou a sua propriedade como 'combatentes que resistem à ocupação', não há justificação, sob a lei e a prática 'palestinas' para não incluir os incendiários da semana passada entre os 'heróis palestinos' que recebem salários mensais."
Além disso, quanto mais tempo os terroristas permanecem na prisão - em outras palavras, quanto pior o acto de terror, como o assassinato - maior o salário.
De acordo com Marcus, "Se Abbas foi sincero em enviar ajuda na semana passada, agora é o momento perfeito para demonstrar essa mudança na política".
(Marcus acredita no Pai Natal, raios! É isto que me irrita nos israelitas e nos judeus! É como esperar que o Stalin, o Hitler, o Castro, o Mao, o Arafat, o Bin Laden, deixem de ser assassinos psicopatas e passem a ser boas pessoas).
 Continua Marcus:
"Mas se Abbas insistir em acrescentar os incendiários presos à folha de pagamento da AP, a sua hipocrisia ao enviar alguns carros de bombeiros para Israel será exposta ao mundo".

 -------------------------------


Abbas é um Hitler dos nossos dias. Daí ser tão apoiado em todo o Mundo. Esperam que ele conclua o que Hitler não logrou.

 

Todos os dias chovem mísseis sobre o sul de Israel, apontados preferencialmente a escolas e infantários, como se pode ver no vídeo abaixo, da castigada cidade de Sderot. A propaganda demoníaca dos islamistas diz que Israel "mata crianças":

Na cerimónia de aniversário do bando terrorista islamista e assumidamente nazi Hamas (que diariamente bombardeia escolas e infantários em Israel) o senhor Mammoud Abbas lê a extensa lista de assassinos de israelitas e honra-os como heróis:

Mammoud Abbas condecora e atribui pensão monetário ao terrorista Abu Jihad:


Abbas admite enviar terroristas para assassinarem israelitas:


Shimon Peres, o Papa Francisco (que acreditam no Pai Natal) rezam pela Paz, no Vaticano, com o terrorista Mammoud Abbas, o responsável nº1 por não haver paz (que COMÉDIA grotesca!!! Porque não levam lá o Califa Al-Bagdadi, o chefe do ISIS)?:


Os nazis e o movimento jihadista dito "palestino":

 


O verdadeiro Abbas é um NAZI:


Enquanto Abbas dizia na TV que os israelitas tinham "executado" um jovem terrorista islâmico, o mesmo estava a ser tratado num hospital israelita - após ter cometido mais um ataque terrorista:

Terrorista "palestina" regozija-se por ter assassinado 8 crianças judias:


Mas muito boa gente continua a acreditar em Abbas e no velho libelo de sangue anti-semita, que ainda cala fundo em muitos corações. Enquanto as crianças judias são mortas, boa parte do Mundo acredita que "os judeus matam crianças". Mais do que estupidez, é cegueira espiritual.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.