sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Islamistas tomam as ruas de Londres para apoiar o ISIS e exigir o Califado Global

Ontem à noite, milhares de muçulmanos em fúria foram para as ruas de Londres pedir o Califado Global e a aniquilação do Mundo Livre. A Imprensa internacional assobia para o lado.

Ontem ao serão, enquanto alinhavávamos o post anterior, o jornal DAILY EXPRESS, que estava a ser a nossa fonte, ia mostrando imagens e relatando a manifestação que juntou milhares de islamistas e entupiu Londres.
Contra o que protestavam esses islamistas, esses "migrantes"? - acolhidos de braços abertos pelos europeus, que os sustentam, lhes dão habitação, alimentação, assistência médica, dinheiro para gastos, confortos, tudo?
- Protestavam contra os países que estavam a atacar o grupo terrorista ISIS, ou Estado Islâmico. No entender dos manifestantes, os terroristas do ISIS estão a fazer uma boa obra, e os países (mesmo os países islâmicos) que estão a combater o ISIS, devem ser destruídos! 
O que queriam esses islamistas, esses "migrantes"? - que a Europa recebeu sem pedir contrapartidas, e que sustenta, enquanto os países muçulmanos não receberam nem um?
- Queriam o Califado Global e o extermínio dos "infiéis". Queriam aquilo por que o Islão luta desde há 1,400 anos, com uma folha de serviços de mais de 240 milhões de mortos, com povos inteiros pura e simplesmente extintos e substituídos pelos árabes e outros muçulmanos.


Um dos colonos muçulmanos, proclamou bem alto, em Londres, a capital do país que lhe permite viver sem trabalhar:

"Precisamos de um califa que limpe estas ruas. Um califa que derrubará os vossos exércitos e que vos vencerá. Disparem os vossos mísseis contra a vossa terra, esse é o plano. O domínio global do Islão está próximo. Vamos expandir-nos e acabar com estes idiotas infiéis".

Breitbart - Estas foram palavras de um denominado poeta, convidado a dirigir-se à multidão estridente que rodeava a Embaixada da Síria, no centro de Londres, e que aplaudiu e gritou Allahu Akbar (Allah é o maior) em apoio aos seus apelos à guerra.



A multidão, maioritariamente vinda das mesquitas de Londres, era em grande parte auto-segregada, com muitas das mulheres vestindo roupas islâmicas.



Os supremacistas islâmicos bloquearam as ruas, e muitos na multidão transportavam o que parecia ser a bandeira taliban, enquanto outros levavam cartazes do radical Hizb ut-Tahrir, que pede o restabelecimento do califado global.
Haitham al-Hadad, muçulmano salafista treinado pelos sauditas, felicitou a multidão por se reunir rapidamente e em tão grande número: "Esta reunião de hoje - em questão de algumas horas, centenas de irmãos e irmãs unidos - é um sinal de positividade e revivalismo do Islão, e um sinal de vitória para Allah", disse ele.
Asim Qureshi, director do grupo de direitos muçulmanos CAGE, ligado ao terrorismo islâmico, lançou as culpas pela situação em Aleppo na América, dizendo: "Nunca esqueçamos quem é o problema aqui".

O post acaba aqui! Só falta:

O NOSSO COMENTÁRIO
Numa das capitais-chave do Mundo Livre, hordas islâmicas gritam pelo Califado Global e pelo ISIS. O Islamismo é  ainda pior que o Comunismo e o Nazismo (quem experimentou as três abominações, confirma, e a História também). Os poderes europeus não se mexem, e todos os dias deixam entrar (chamam!) mais colonos!

Este documentário está sempre a ser retirado pelo novo fascismo cibernético. Tente vê-lo na íntegra. Pode salvar a sua vida, a dos seus familiares, a dos seus compatriotas, a do seu País, a do Mundo Livre, a de nós todos, "infiéis".

Parece-nos desnecessário explicar a natureza do grupo terrorista islâmico ISIS, ou Estado Islâmico, que, seguindo à risca o exemplo de Maomé, do Alcorão e da tradição histórica islâmica,  se dedica a tentar estabelecer o Califado Global, o mundo todo sob a bandeira do Islão, o Mundo purgado de "infiéis", que, no Islão, conhecem três destinos: conversão, morte ou escravidão.
O Islão é isto, sempre o foi, e sempre o será, pois é por natureza irreformável. Ainda que os muçulmanos moderados queiram reformá-lo..
O que poderemos nós fazer mais para vos explicar o perigo que corremos, e para vos chamar a atenção para seres humanos como nós, que são abatidos e torturados diariamente, por serem "infiéis" - nomeadamente os cristãos do Médio Oriente e do Paquistão? 

“E quando encontrares os infiéis, corta-lhes as gargantas" (Alcorão 47:4)



RESCUE CHRISTIANS (SALVEM OS CRISTÃOS)

 O que um bilião e 600 milhões de muçulmanos pensam: que a sua religião legitima um Califado Global, e o abate e escravização de todos os "infiéis".

 

 CURIOSAS COINCIDÊNCIAS

Massacre de Paris - Está oficialmente estabelecido que o Islão é uma religião pacífica. E quem o conteste, sofre pesadas penalizações judiciais - como demonstrámos, por exemplo no post FRANÇA - GOVERNO JÁ APLICA A SHARIA

CURIOSAS COINCIDÊNCIAS QUE VALERIA A PENA ANALISAR, SE NÃO ESTIVÉSSEMOS, TODOS OS NÃO MUÇULMANOS, SOB PERMANENTE SUSPEITA DE "ISLAMOFOBIA":
Os terroristas dos ataques ao Bataclan, Stade de France e outros: eram muçulmanos
Os terroristas do ataque ao Charlie Hebdo e ao Hypercasher em Paris: eram muçulmanos
O bombista no autocarro em Tel Aviv: era muçulmano
O terrorista do sapato: era muçulmano
Os decapitadores dos dois reféns japoneses: eram muçulmanos
As atiradores do café na Austrália: eram muçulmanos
O atirador de Fort Hood: era muçulmano
O bombista da cueca: era muçulmano
Os decapitadores do soldado Lee Rigby, em Londres: eram muçulmanos.
Os bombistas dos comboios de Madrid: eram muçulmanos
Os bombistas do metro de Londres: eram muçulmanos

Os bombistas discoteca em Bali: eram muçulmanos 
Os atacantes do Teatro em Moscovo: eram muçulmanos
Os bombistas do voo 93 da Pan-Am: eram muçulmanos
Os sequestradores do avião da Air-France: eram muçulmanos
Os atacantes da Embaixada dos Estados Unidos em Beirute: eram muçulmanos
Os atacantes da Embaixada dos Estados Unidos na Líbia: eram muçulmanos
Os bombistas suicidas de Buenos Aires: eram muçulmanos
Os assassinos dos atletas olímpicos israelitas em Munique: eram muçulmanos
Os atacantes da Embaixada dos Estados Unidos no Quénia: eram muçulmanos
Os atacantes das Torres Khobar, na Arábia Saudita: eram muçulmanos 
Os terroristas da escola russa de Beslan: eram muçulmanos
Os terroristas do World Trade Center: eram muçulmanos
Os terroristas de Bombaim e Mumbai, na Índia: eram muçulmanos
Os sequestradores do navio Achille Lauro: eram muçulmanos
Os terroristas do 11 de Setembro de 2001: eram muçulmanos
Os atacantes do centro comercial no Quénia: eram muçulmanos.
Os assassinos que massacram ou massacraram povoações inteiras de "infiéis" nas Filipinas, Quénia, Sudão, Timor-Leste, Síria, Iraque, Egipto, Líbia, etc., etc.: são muçulmanos
E muito, muito mais...
"Em breve seremos a maioria!" - garante esta muçulmana enraivecida. Aqui é em New Jersey, Estados Unidos, mas é assim em todo o Mundo.
COMO É O CONVÍVIO ENTRE RELIGIÕES NÃO ISLÂMICAS:
Budistas que vivem com Hindus = sem problemas
Hindus que vivem com os cristãos = sem problemas
Hindus que vivem com judeus = sem problemas
Cristãos que vivem com xintoístas = sem problemas
Xintoístas que vivem com confucionistas = sem problemas
Confucionistas que vivem com Baha'is = sem problemas
Bahá'ís que vivem com judeus = sem problemas
Judeus que vivem com ateus = sem problemas
Ateus que vivem com budistas = sem problemas
Budistas que vivem com Sikhs = sem problemas
Sikhs vivem com Hindus = sem problemas
Hindus que vivem com Baha'is = sem problemas
Bahá'ís que vivem com cristãos = sem problemas
Cristãos que vivem com judeus = sem problemas
Judeus que vivem com budistas = sem problemas
Budistas que vivem com xintoístas = sem problemas
Xintoístas que vivem com ateus = sem problemas
Ateus que vivem com confucionistas = sem problemas
Confucionistas que vivem com Hindus = sem problemas
Já percebeu a ideia...
"A Sharia só pode ser estabelecida com armas" - informa o terrorista islâmico. Na Austrália têm-se sucedido as manifestações públicas de raiva e as desordens, porque as autoridades já começaram a prevenir o terrorismo islâmico.

COMO É O CONVÍVIO QUANDO HÁ MUÇULMANOS EM CENA:
Muçulmanos que vivem com Hindus = Problema
Muçulmanos que vivem com budistas = Problema
Muçulmanos que vivem com cristãos = Problema
Muçulmanos que vivem com judeus = Problema
Muçulmanos que vivem com Sikhs = Problema
Muçulmanos que vivem com Baha'is = Problema
Muçulmanos que vivem com xintoístas = Problema
Muçulmanos que vivem com ateus = Problema
Muçulmanos que vivem com os muçulmanos = GRANDE PROBLEMA
Poderíamos ilustrar com séculos de História e milhares de exemplos de intolerância total dos muçulmanos, contra os infiéis e entre eles.

Mais 30 cristãos executados por não quererem pagar a jyziia, o imposto exigido aos "infiéis" para financiamento da "guerra santa" aos "infiéis".

ONDE É QUE OS MUÇULMANOS NÃO ESTÃO FELIZES
Eles não estão felizes em Gaza
Eles não estão felizes no Egipto
Eles não estão felizes na Líbia
Eles não estão felizes em Marrocos
Eles não estão felizes no Irão
Eles não estão felizes no Iraque
Eles não estão felizes no Iémen
Eles não estão felizes no Afeganistão
Eles não estão felizes no Paquistão
Eles não estão felizes na Síria
Eles não estão felizes no Líbano
Eles não estão felizes na Nigéria
Eles não estão felizes no Quénia
Eles não estão felizes no Sudão
Eles não estão felizes em NENHUM país muçulmano


A famosa Amira Abase, uma jovem muçulmana privilegiada, imigrante em Inglaterra, ficou famosa por ser uma "noiva jihadista" (uma daquelas raparigas que fogem para o Califado para casarem com terroristas) e por causa das suas reacções de júbilo aquando do massacre na estância balnear na Tunísia

ENTÃO, ONDE É QUE OS MUÇULMANOS ESTÃO FELIZES?
Eles estão felizes na Austrália
Eles estão felizes em Inglaterra
Eles estão felizes na Bélgica
Eles estão felizes em França
Eles estão felizes em Itália
Eles estão felizes na Alemanha
Eles estão felizes na Suécia
Eles estão felizes nos EUA e no Canadá
Eles estão felizes na Noruega e na Índia
Eles estão felizes em quase todos os países que não sejam islâmicos!
Manifestações  islâmicas com as proverbiais promessas de decapitação. Eternamente indignados com a nossa liberdade, com a nossa democracia, com a nossa religião, com a nossa alimentação, com o nosso vestuário, eles não vão embora!

E QUEM É QUE OS MUÇULMANOS CULPAM QUANDO NÃO ESTÃO FELIZES?
E quem é que eles culpam, por serem infelizes nos seus países? Não o Islão! Não as suas lideranças! Não a eles mesmos! Eles culpam os países onde são felizes!!! E eles querem mudar os países em que são felizes, para que se tornem como os países de onde vieram porque lá não eram felizes!

GRUPOS TERRORISTAS EM NOME DA RELIGIÃO:
JIHAD ISLÂMICA: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA 
ISIS: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA  
AL-QAEDA: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA 
TALIBAN: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA 
HAMAS: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA  
HEZBOLLAH: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA  
BOKO HARAM: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
AL-NUSRA: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
ABU SAYYAF: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
AL-BADR: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
IRMANDADE MUÇULMANA: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
LASHKAR-E-TAIBA: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
FRENTE PELA LIBERTAÇÃO DA PALESTINA: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA  
ANSARU: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
JEMAAH ISLAMIYAH: ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
ABDULLAH AZZAM BRIGADES: UMA ORGANIZAÇÃO TERRORISTA ISLÂMICA
ETC., ETC., ETC., ETC., ETC.. NÃO HÁ NENHUM GRUPO TERRORISTA RELIGIOSO DE OUTRA RELIGIÃO. NO ISLÃO HÁ CENTENAS.

Como pode haver quem continue a acreditar no que os media são pagos para papaguear: que o Islão é perfeito, e que os terroristas é que o compreendem mal? Porque é que a quase totalidade do terrorismo global é cometido em nome do Islão?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.