sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

As 10 acções mais anti-Israel da ONU em 2016


1. A REALIDADE SUPERA A FICÇÃO - SEMPRE!
Um americano, um francês e um israelita iam num avião, sobrevoando o Oceano Pacífico, quando os motores pararam de funcionar. O avião despenhou-se numa ilha do Pacífico e os três foram imediatamente capturados por uma tribo de canibais e levados para a sua aldeia. O Chefe disse aos três prisioneiros que têm um costume na sua ilha: antes de comerem alguém, eles concedem a essa pessoa o seu último desejo - não importa qual seja.
O Chefe perguntou ao americano: "Qual é o seu último desejo?".
O americano respondeu: "Quero um bife de 2 polegadas de espessura com batatas fritas e uma cerveja Budweiser."
O Chefe deu ordens a alguns dos membros da tribo, que imediatamente correram para a selva e voltaram com o bife, as batatas fritas e a cerveja. O americano comeu a sua refeição e foi atirado para o caldeirão.
O francês foi então questionado: "Qual é o seu último desejo?".
Ele respondeu: "Gostaria de uma garrafa de champanhe Dom Perignon e também gostaria de um grande prato de 'escargots' cozidos à francesa."
O Chefe deu ordens aos membros da tribo, que imediatamente correram para a selva e trouxeram tudo o que o francês tinha pedido. Ele comeu e bebeu, e foi atirado para o caldeirão.
O chefe voltou-se para o israelita e perguntou: "E qual é o seu desejo?".
O israelita olhou o chefe directamente nos olhos e respondeu:
"Eu quero que me dê um pontapé no traseiro com a maior força de que for capaz”.
O Chefe ficou perplexo e perguntou novamente ao israelita, o que ele queria como último desejo, para receber a mesma resposta: "Eu quero que me dê um chuto no traseiro tão forte quanto você for capaz".
O chefe encolheu os ombros, pediu ao israelita que se virasse e chutou o mais forte que conseguiu. O israelita sacou uma arma e matou o chefe e todos os outros canibais. O americano e o francês saíram do caldeirão, olharam para o israelita e perguntaram: "Se você tinha a arma, porque é que não fez nada mais cedo?".
O israelita respondeu: "O quê? E correr o risco de ser condenado pela ONU, pela UE e pelo Departamento de Estado por 'exagerar' na resposta perante uma 'provocação insuficiente'?”.


Há muita gente que só lê "A Bola" (nada contra!) ou revistas de decoração (nada contra!), mas já decidiu que Israel é o mau da fita. Estudar, tratar de apurar a VERDADE, dá trabalho, e priva-nos da sublime sensação de ser "in", de alinhar com os politicamente correctos.

O dogma Politicamente Correcto elegeu como divindades inquestionáveis a ONU, Obama e outras instituições islamistas e comunistas. Se traz o carimbo ONU ou Obama, é BOM!
A seguir a selecção da UN WATCH dos 10 piores momentos anti-Israel (leia-se antissemitas, porque o objectivo é obliterar o Estado Judaico e exterminar os judeus) da ONU neste ano.
Sem contar com  a cereja em cima do bolo, que foi o ataque (final?) do jihadista Obama:

A ONU declara guerra à civilização judaico-cristã




2. AS 10 ACÇÕES MAIS ANTI-ISRAEL DA ONU EM 2016

10. O secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, fez um ataque sem precedentes contra Israel num editorial do New York Times, repetindo o discurso do Conselho de Segurança, que justificou o terror 'palestino' contra civis israelitas, dizendo: "é da natureza humana reagir à ocupação ".

Ban Ki-moon, um infiel para todo o serviço!

9. A Comissão das Nações Unidas para os Direitos da Mulher condenou Israel como o único país que violou os direitos das mulheres, ignorando os verdadeiros abusadores dos direitos das mulheres, como o Irão, a Arábia Saudita, o Paquistão e muitos outros.
8. Numa nova tentativa liderada pelos 'palestinos' de usar a ONU para realizar uma campanha global do grupo antissemita BDS, o Conselho de Direitos Humanos da ONU votou a criação uma lista negra especial de empresas que fazem negócios com comunidades residenciais israelitas além da Linha Verde de 1949, incluindo Jerusalém.
7. O professor de Direito canadiano Michael Lynk foi nomeado investigador "imparcial" da ONU sobre supostas violações de Direitos Humanos por parte dos israelitas - mesmo tendo-se recusado a revelar o seu longo registo de actividades anti-Israel ou a sua participação em três organizações pró-'palestinas', incluindo a Amigos de Sabeel e o Conselho Nacional de Relações Canadá-Árabes.
6. A Organização Mundial de Saúde (OMS) da ONU escolheu Israel como o único infractor no mundo da "saúde mental, física e ambiental".
5. A OIT da ONU identificou Israel como o único violador de direitos dos trabalhadores no mundo, por meio da produção e do debate de um relatório - a que nenhum outro país está sujeito - sobre a situação dos trabalhadores dos territórios árabes "ocupados", incluindo "Montes Golan sírios". Enquanto isso, a situação dos sírios sofrendo na Síria foi ignorada.
4. Quando os homens 'palestinos' espancam as suas esposas, é culpa de Israel, argumentou a especialista da ONU Dubravka Simonovic, numa declaração que resume a sua visita de Setembro aos territórios 'palestinos'.
3. Como é da praxe, a Assembleia Geral da ONU adoptou 20 resoluções unilaterais contra Israel (o seu bode expiatório habitual), e apenas 4 resoluções ao resto do mundo (que, como sabemos, regurgita de verdadeiros paraísos islâmicos e comunistas.

Este gráfico mostra o número de condenações do "Conselho de Direitos Humanos" da ONU de 2006 a 2015. Como se pode constatar, grupos terroristas como o Hamas, a Jihad Islâmica, o Boko Haram, o Hezbollah, a Al-Qaeda, não tiveram nem uma condenação. Israel teve 57!!! Por EXISTIR! Como se atreve Israel a existir??? É muito atrevimento!!!

A ONU é uma VERGONHA!


2. A UNESCO renegou o seu mandato de proteger o Património mundial, através da adopção de uma resolução que
usou apenas termos islâmicos para o Monte do Templo de Jerusalém, o local mais sagrado do Judaísmo, negando milhares de anos de História, religião e cultura judaica e cristã.
1. Sem sequer tentar parecer imparcial, o presidente da Assembleia Geral da ONU, Peter Thomson, usou o lenço da bandeira 'palestina' (a bandeira dos terroristas islâmicos, que assassinam crianças israelitas) em volta do pescoço, enquanto discursava num encontro para marcar o "Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino" da ONU.

O Nazismo é proibido (e bem!). Mas o Comunismo e o Islamismo (que não são melhores), continuam a ser legais, dominam a ONU e estão a caminho de dominar o Mundo. Não se esqueçam, amigos, que os judeus são sempre os primeiros a sofrer. Mas a seguir vamos nós!

-----------------------------------------
3. PRIMEIRO VIERAM ATRÁS DOS JUDEUS
A ONU e Obama não se levantam pelos judeus assassinados pelos terroristas islâmicos. A ONU e Obama não se levantam pelos cristãos mortos pelos terroristas islâmicos.
Via TRADUTORES DE DIREITA:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.