sábado, 16 de julho de 2016

Nice: Meninos preciosos e meninos descartáveis

Em Nice, as crianças assistiam aos fogos de artifício, os olhos cheios de estrelas ...


Uma boneca deitada no chão. O seu vestido rosa casa-se tragicamente com o sangue encarnado da sua pequena "mamã", colorindo o asfalto.
Esta menina, que tantas vezes enlaçou a boneca nos seus braços, que a vestiu, a penteou, a beijou, não o fará mais. A sua vida foi interrompida por um tunisino, um louco de Alá, que, ao volante de seu camião, investiu deliberadamente contra a multidão para matar infiéis.
Se o massacre de Nice, perpetrado por um soldado de Alá, pela causa do sanguinário Alá, precisava de um símbolo, é a inocência quebrada desta menina, e da sua boneca vestida de rosa, deitada no asfalto.
Crianças mortas, crianças feridas: a sua alegria para sempre esmagada no asfalto pela barbárie terrorista islâmica.
Eis a esperança da Europa, o seu futuro aniquilado para sempre.
Do sonho ao pesadelo. Estas crianças felizes admiravam o majestoso fogo de artifício. Esta menina testemunhava com os pais o espectáculo das estrelas a florirem no céu, na bela Promenade des Anglais, à beira do mar. A alegria que transformou-se em dor atroz para muitos, em golpe mortal para os outros.
O 14 de Julho nunca mais será o mesmo. Para os adultos, adolescentes, bebés, crianças, mortos no ataque, não haverá nenhuma celebração da tomada da Bastilha. Este camião do infortúnio levou a dor e a morte à multidão.
Os pequenos corpos das crianças mortas, deitados no asfalto, os sapatinhos espalhados ao longo da estrada, o sangue destes inocentes, transformaram a tão romântica Promenade des Anglais numa cena de horror.
Como podemos suportar a dor de uma criança que morre? Qual é o significado desta barbárie? Qual é o significado destes sacrifícios, cada vez mais difíceis de suportar?
Quero expressar a minha tristeza, a minha simpatia e apoio aos meus amigos franceses, os franceses novamente enlutados pelo veneno do ódio islâmico.
Quantas vítimas inocentes vão eles ainda sacrificar para alcançar este sinistro projecto da Eurábia?
© Rosaly para Dreuz.info.

 ----------------------------


84 mortos até agora, 52 entre a vida e a morte, mais de 200 feridos. Foi ontem. A Imprensa fala de "um louco qualquer". Os políticos e  os "analistas" pronunciam-se apenas para debitar banalidades ocas e sobretudo para isentar o Islão de culpas - quando a culpa é única e exclusivamente da ideologia islâmica, dos clérigos e líderes político-militares islâmicos que ordenam matar os infiéis ao deus Alá, como manda o Alcorão.

Os meninos não muçulmanos, como estes 10 que foram ontem sacrificados em honra do deus Alá, não interessam aos nossos políticos, analistas e comentadores. Meninos cristãos e judeus, budistas e hindus, não comovem.

O menino - e pobre dele - filho de um traficante de pessoas, que morreu num naufrágio, esse sim, foi explorado à exaustão por uma classe política, académica e jornalística que insiste em islamizar a Europa a todo o custo:

O cadáver do pequeno Aylan Kurdi foi removido do local onde estava e colocado no que vemos acima, para uma foto de melhor efeito dramático. Os guardas turcos passeiam-se calmamente e os pescadores à cana turcos dão tanta importância à criança morta como a um tronco que tivesse dado à costa.

Aylan Kurdi e a indignação artificial

A foto manipulada do menino na praia


O foto-embuste do "menino da praia" perdura, como chantagem psicológica sobre os europeus, fazendo-lhes crer que a culpa da invasão da Europa é deles. É nossa. 

Enquanto isso, os países islâmicos não recebem NEM UM "refugiado".

Os meninos não muçulmanos que ontem caíram em Nice, e os que caem todos os dias martirizados pelo Islão, não interessam. A ninguém. Só porque ficava mal não falarem do caso, os jornais de hoje reservaram um espacito nas suas capas para o massacre de Nice. 

E se tivesse sido em Israel, os polícias que alvejaram o moamede estariam a ser acusados na ONU e na UE de uma "execução arbitrária".

A Profecia de Kaddafi




NOTA: Relembramos que o lóbi islamista/extrema-esquerdista retira permanentemente os vídeos do YouTube que expõem a realidade do Islão. É natural que visite um dos nossos posts (que realçamos sempre a laranja) e os vídeos estejam desactivados. Sendo os vídeos apenas descritivos de FACTOS, essa é mais uma prova de que os canalhas temem a VERDADE e do que são capazes para a suprimir. Os canalhas declararam GUERRA ao Mundo Livre. Mas vão perder.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.