segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Umas pedrinhas de nada! - 2



"Criancinhas" muçulmanas de Jerusalém em acção, logo a seguir ao assassínio de Chaya Zissel Braum, de 3 meses.


Continuação de

Umas pedrinhas de nada! - 1


Quem vive em torre de marfim, e só conhece a realidade através de "filmes muito giros, pá", não sabe do que falamos. Quem nunca teve que viver ou trabalhar paredes meias com criminosos, marginais e vagabundos, bem pode conservar as ideias românticas dos "bons selvagens", que são sempre "vítimas das desigualdades sociais". E conversas da treta afins.

No código amoral dos bandidos, as forças da ordem são odiadas. Não porque não tenham razão, quando protegem os cidadãos indefesos desses predadores humanos. Mas porque não deixam estes últimos matar, assaltar, roubar, traficar, violar, etc., etc., a seu bel-prazer.

Na sequência do assassínio da pequena Chaya, os celebradíssimos "meninos palestinos" vieram de imediato para rua atacar judeus. E porquê? Porque a Polícia de Jerusalém abateu o terrorista do Hamas Abdel Rahman Al-Shalud. E, na opinião dos terroristas, da extrema-esquerda e da generalidade da Imprensa, os polícias agiram mal. Deviam ter deixado o terrorista (que continua a ser louvado como "herói e mártir"), ceifar judeus a eito com o seu automóvel!

Entre as heróicas tropelias desses cheguevaras de keffieh, podemos citar por exemplo o ataque a uma bomba de gasolina e loja adjacente (o que vale é que os donos já estão habituados a ter a loja incendiada, pilhada e vandalizada):


Daí, cerca de 150 destes encantadores meninos, todos mascarados com o precioso lencinho a la Arafat, atacaram o jardim infantil do bairro de Ma’ale Zeitim, situado no Monte das Oliveiras, e a seguir uma  escola na Cidade Velha - por sorte, os alunos tinham acabado de sair.

Os "palestinos", apesar (ou talvez por isso) de serem bombardeados com milhões de dólares por parte do Mundo Livre (e do Mundo Muçulmano) nada constroem, nada edificam, seja literal ou figurativamente. Em compensação, o seu  talento na destruição é indiscutível. Os românticos e heróicos apedrejadores conseguiram, na sequência destes protestos, reduzir o número de comboios do metro de superfície de 23 para 16! Só com as suas ricas pedrinhas (e umas fisgas e uns cocktails molotov):


Enquanto a Dilma, a Marisa Matias, o Chico Louçã e outros terroristas e fãs do terrorismo ululavam, os lindos meninos continuaram, com o empenho que se pode ver:


Alguns, apesar de tão novinhos, até já têm bigode, benza-os Alá...


Os carros não foram poupados, como é regra entre os valentes revolucionários de todo o mundo.


Mas eis que chega a Boa-Nova!


Para conter os protestos, que à hora a que vos escrevemos continuam, a Polícia saiu à rua. É o festim habitual da Imprensa! Depois de vários dias a lamentarem a morte do terrorista do Hamas e a ignorarem os feridos e a bebé que ele assassinou, agora têm um prato cheio!

"ARMAS CONTRA PEDRAS"! "UM DOS EXÉRCITOS MAIS PODEROSOS DO MUNDO CONTRA GENTE DE MÃOS NUAS"! "SIONISTAS COBARDES ATACAM CRIANÇAS QUE ATIRAM PEDRINHAS AO OCUPANTE"!

Um fartote!
Os terroristas da Imprensa não mostram imagens como esta, dos ataques que decorrem agora mesmo em Jerusalém:


Esperam que a Polícia leve um bandalho destes preso para darem largas à imaginação.
Aqui, os mesmos "meninos" muçulmanos atacam casas de habitação em Jerusalém, com bombas incendiárias:





E tudo isto porque as autoridades de Israel, esses malandros!, não deixaram o menino Abdel Rahman Al-Shalud, de 26 aninhos, dar largas à sua legítima matança de judeus, que faz parte da sua cultura e deve ser respeitada como tal! Pá.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.