quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Líderes espirituais judeus e muçulmanos apelam à calma

Do muito de que temos conhecimento todos os dias sobre Israel e os muçulmanos, só podemos publicar e comentar uma ínfima parte. Mas as iniciativas de paz têm sempre prioridade. 


Líderes espirituais judeus e muçulmanos apelam à calma em vésperas de feriados
Líderes judeus e muçulmanos em Israel uniram-se para transmitir uma mensagem de paciência e aceitação.
Líderes espirituais das comunidades judaica e muçulmana em Israel reuniram-se na quarta-feira, antes de um fim de semana durante a qual feriados judaicos e muçulmanos serão comemorado simultaneamente. O principal objectivo da reunião foi dissipar possíveis tensões que podem resultar devido a esta coincidência única.

O feriado judaico
mais sagrado, o Yom Kippur, e o muçulmano Id-al-Adha (Festa do Sacrifício) ambos caem no mesmo dia (sábado, 4 Out); isto acontece uma vez a cada 33 anos.
O rabino-chefe de Israel, o chefe do tribunal islâmico muçulmano em Jaffa e vários membros do Knesset reuniram em Lod, uma cidade mista judia-muçulmana, para transmitir uma mensagem de tolerância e respeito mútuo.
O presidente do município de Lod, Yair Revivo, vê a celebração de ambas as religiões no mesmo dia como uma oportunidade para aumentar a tolerância, respeito e conhecimento do património e dos costumes de cada um, em vez de criar atritos desnecessários e tensão.
O deputado trabalhista Merav Michaeli, que organizou o encontro entre as cúpulas religiosas, espera que os elementos radicais não tenham sucesso em transformar o espírito das festividades numa fonte de ódio e violência.

Ouça, Aprenda e Respeite


O
rabino-chefe Sefardita  Yitzhak Yosef, citando passagens religiosas, apelou ao respeito mútuo. O Rabino chefe ashkenazi David Lau pediu uma demonstração de sensibilidade, acrescentando que o Estado de Israel inclui cidadãos de diversas origens.

"Devemos tentar ouvir o outro, ouvir a outra pessoa. Todos devem viver de acordo com a sua religião, e fazer o seu melhor para manter e respeitar as outras crenças"
, disse o rabino Lau.

Daoud Zinni, presidente do tribunal sharia muçulmano, falou da necessidade de optimismo, incentivando relações de boa vizinhança entre os membros de todas as religiões. "Devemos fazer tudo o que pudermos para garantir que este dia se passe em paz", disse ele.

Autor: Aryeh Savir
 

-  Que o exemplo frutifique são os nossos votos. E achamos por bem nem acrescentar mais nada.

1 comentário:

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.