quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Os jornalistas ocidentais alinham na farsa

     TÍTULOS DA IMPRENSA ÁRABE: "ESTAMOS ORGULHOSOS POR ATACAR OS JUDEUS."  

    TÍTULOS DA IMPRENSA ÁRABE EM INGLÊS: "OS ISRAELITAS ESTÃO A ATACAR-NOS SEM NENHUMA RAZÃO."

O Jornalismo Ocidental é basicamente isto!

Quase sem excepção, a Imprensa Mundial omite que os islamistas em Israel estão a atacar e a matar israelitas num frenesim sangrento, cujo único motivo é o seu ódio milenar aos judeus. Os vídeos estão na Internet, mas apenas a Imprensa israelita os publica.

Os líderes e a Imprensa islâmica incitam e louvam os ataques, ao mesmo tempo que dizem ao Ocidente que não os cometem. Que os islamistas recorram a esta propaganda, é de esperar, pois está na essência do Islão enganar os infiéis

Que o Ocidente, que os nossos jornalistas, que têm o curso superior de Comunicação Social, que têm orgulho na sua ética profissional, alinhem nela, é DEGRADANTE!

Para a Imprensa mundial, os ataques dos islamistas contra israelitas não existem. Só existe choradeira quando os terroristas são abatidos.

Os media árabes e "palestinos" estão alegremente a incitar a mais uma intifada violenta - em Árabe. Mas em Inglês fingem que não existem tais ataques, e que os israelitas os estão a atacar sem qualquer provocação. Os jornalistas ocidentais alinham na farsa.

Um exemplo desta segunda-feira, conforme publicado no Times of Israel:
Um homem tentou esfaquear um polícia e foi baleado e morto na Cidade Velha de Jerusalém na segunda-feira de manhã, no mais recente incidente de uma onda de ataques terroristas que abalaram a capital e o resto de Israel ao longo das duas últimas semanas.

A Polícia disse que não houve feridos na tentativa de ataque e que o atacante foi declarado morto na cena do crime.

O incidente ocorreu perto do Portão do Leão, na Cidade Velha, o local de dois ataques por esfaqueamento anteriores, incluindo um que causou duas mortes, há uma semana.


Um porta-voz da Polícia disse que o agressor, um homem árabe, se aproximou da área vindo de um cemitério situado mais a norte, e que a Polícia lhe pediu para retirar as mãos dos bolsos, por suspeitar de que algo estava errado.

O homem retirou então uma faca do bolso e tentou esfaquear um polícia. O agente usava um colete de protecção e não foi ferido.

"Os polícias dispararam
rapidamente sobre o atacante", disse o porta-voz.

Palestine News Network nega tudo, usando o testemunho das famosas "testemunhas oculares anónimas", cuja credibilidade é quase sempre perto de zero. Eis como os árabes noticiam a ocorrência:
Um jovem palestino foi executado na segunda-feira de manhã pelas forças policiais de ocupação de Israel, sob alegações de que tentou atacar um agente à facada próximo ao Portão do Leão (Bab Al-Asbat) na parte antiga da cidade de Jerusalém.
Testemunhas no local confirmaram que o homem não fez quaisquer tentativas de esfaqueamento, e que apenas ia a passar no seu veículo através de uma rua estreita da Cidade Velha, quando a Polícia o deteve e abriu fogo contra ele sem motivo aparente.
Outras testemunhas disseram que ele estava a tirar o seu telefone celular do bolso, quando a Polícia atirou nele.



Entretanto, foi publicado mais um vídeo de um árabe a esfaquear um polícia israelita no sábado, em mais um ataque que a PNN continua a negar:



A Amnistia Internacional já sentenciou que os polícias estavam "fortemente protegidos" e que não tinham nada a temer de um homem que apenas os queria matar à facada. Talvez a Amnistia Internacional queira exemplificar, numa situação destas, como devem proceder os profissionais para poupar a vida de alguém que tenta desesperadamente assassiná-los. 

Post traduzido e adaptado do Elder of Ziyon.

2 comentários:

  1. Aqui mais um vídeo de um militante da religião da paz.
    Um minuto e meio. A imagem nítida do rancor de selvagens.

    http://bcove.me/o973z7x6


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos infelizmente a reviver o clima que antecedeu a II Grande Guerra: uma ideologia raivosa e totalitária, genocida e supremacista, avança todos os dias, e a resposta dos políticos e da Imprensa é o «apaziguamento». Esquecem-se eles de que quem apazigua ó crocodilo é apenas o último a ser devorado...

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.