terça-feira, 6 de outubro de 2015

Ajude a combater a difamação de Israel

0. SURREALISMO MACABRO!

VOCÊ QUE NOS LÊ, E É PELO BEM, PODE CONTRARIAR A DIFAMAÇÃO E CONTRIBUIR PARA SALVAR VIDAS INOCENTES: ESCREVA, TELEFONE, ENVIE UM MAIL, AOS JORNAIS, ÀS TELEVISÕES E ÀS RÁDIOS QUE DIFAMAM ISRAEL.

Por hábito ou distracção, a TVI24 manipula a opinião pública, como praticamente toda a Imprensa. Pode escrever-lhes (relacoes.publicas@tvi.pt) ou telefonar-lhes (351 21 434 75 00), e solicitar amavelmente que façam Jornalismo com mais rigor e isenção.

Foi na TVI24 mas poderia ter sido noutra TV qualquer. Por motivos alheios à nossa vontade apanhámos com uma peça de propaganda anti-Israel mal disfarçada de notícia. Não retivemos as palavras exactas, mas a mensagem era esta:

1 - "ISRAEL MATA 2 JOVENS!!!" (a TVI24 não referiu que a Polícia israelita abate terroristas quando estes desatam a disparar contra a multidão, como foi o caso).

2 - "Os palestinos protestam" (a TVI24 não referiu que os "palestinos" começaram a protestar quando o terrorista foi abatido. Enquanto mataram judeus e andaram nas ruas a festejar, com fogo de artifício, distribuição de doces, o costume, a TVI24 e a Imprensa mundial estiveram caladinhas).

3 - "Os 'colonos' israelitas da Cisjordânia protestam porque morreram recentemente dois israelitas, o Governo prometeu aumentar o policiamento, mas aos colonos isso não basta" (a TVI24 não explicou que os israelitas que morreram foram assassinados pelos que agora protestam; chamou erradamente "colonos" aos nativos, dando a entender que estão em terra alheia; e chamou "Cisjordânia" à Judeia e Samaria).

4 - Para nossa surpresa, o noticiário já de si tendencioso (para dizer o mínimo) entra pela propaganda descarada, apresentando uma espécie de moral da história, em que afirma que há "dois povos e duas religiões para um só território". Não, TVI24! Há um povo nativo e invasores terroristas, que no final da década de 60 inventaram, com os soviéticos, essa entidade absurda a que chamam Palestina árabe.
É esta a diferença entre os israelitas e os colonos árabes. Não permita que façam das vítimas os maus da fita.


2. O QUE A TVI24 E TODA A IMPRENSA OMITIRAM

Não é de espantar que tenham omitido. Há décadas que a Imprensa omite todos os ataques dos terroristas e apresenta a resposta de Israel como acção desgarrada, sem motivo!

 
Eitam e Naama Henkin, foram executados à frente dos quatro filhos pequenos. A Imprensa não disse nada, como sempre. O terrorista Mohannad Chafik Halabi foi abatido após ter esfaqueado um adolescente, quando começou a disparar contra a multidão. ALERTA GERAL NOS MEDIA!

Como os leitores habituais e todos os que se interessam por Israel sabem, desde o Ano Novo judaico que a eterna violência dos terroristas árabes em Israel se intensificou. Alguns posts recentes sobre essa onda de terrorismo:
 

Mostrámos aqui os vídeos.  Mostrámos os festejos e o êxtase dos árabes, temos mostrado muita da incitação ao terrorismo, nomeadamente por parte de Mahmoud Abbas, o "moderado".

Os títulos acima não são meras palavras num ecrã de computador. São relatos, são vídeos, são o espelho do Inferno que os terroristas têm semeado. A Imprensa tudo ignorou. 

 

Os amados "palestinos" celebram efusivamente o assassinato do casal Henkin, a mando do "moderado" Mahmoud Abbas. Onde está a cobertura mediática do incitamento, do assassinato e  dos festejos?


3. O PARADIGMA DA NOSSA IMPRENSA




Com editores como Paulo Farinha, mesmo os jornalistas honestos pensarão duas vezes antes de dizer a VERDADE. Paulo Farinha é o paradigma do Jornalismo global. Difamar Israel e os judeus é uma segunda natureza do Jornalismo. É fácil imaginar pessoas como o Paulo Farinha rejubilando quando os terroristas abatem judeus.


4. PORQUE É QUE OS COLONOS ÁRABES SE DEDICAM AO TERRORISMO?

Porque têm um público. O terrorismo islâmico contra Israel é uma operação de propaganda. Daniel Pipes, num brilhante artigo que traduzimos AQUI, explica que os colonos árabes muçulmanos montam periodicamente o espectáculo sangrento, com o intuito de:

a) Matar judeus - que, como sabemos, é "adorar Alá".

b) Ter baixas - os mortos vão para o Paraíso e os vivos conquistam a opinião pública global.


O cartune da esquerda mostra o terrorista dizer ao filho: "Agora vai lá para fora brincar e ganha a guerra mediática para o papá!".
A foto da direita é recente, e mostra uma criança, no Monte do Templo, em Jerusalém, com uma metralhadora nas mãos. Os terroristas não hesitam ( e até se orgulham) de usar os próprios filhos como "mártires". Os ocidentais bem-pensantes interpretam uma imagem destas como "a resistência desesperada de um povo".
 
Discurso do mega-terrorista Yasser Arafat, encorajando as crianças a morrerem pelo Islão. Este tipo de mensagem terrorista encontra eco em certas mentalidades cheguevarianas ocidentais.

5. PORQUE É QUE A IMPRENSA DIFAMA ISRAEL?


Um dos exemplos clássicos: o homem "morto pelos israelitas", passados alguns segundos já está vivo outra vez. os jornalistas sabem que é encenação e pactuam.
Porquê tanta má-fé da Imprensa?
a) Puro ódio anti-semita.

b) Agenda política islamista/de extrema-esquerda/neo-nazi.

c) Os jornalistas são subornados.
d) Ignorância e seguidismo.
e) Chantagens dos superiores hierárquicos ou dos "de fora".
f) Medo de dizer a VERDADE.
Ou combinação de várias destas razões.

6. SE OS ÓRGÃOS DE INFORMAÇÃO INFORMASSEM...


Se os órgãos de Informação informassem, os terroristas ficariam sem público!

Haveria tanto para mostrar, se os jornalistas quisessem. E não necessariamente as carnificinas. Poderiam ficar apenas pelo incitamento. Por exemplo: o Mahmoud Abbas e Companhia, que pagam a crianças e mulheres para insultarem, agredirem e gritarem Allahu Akbar aos judeus que querem ir ao seu Monte do Templo. Daí às chacinas é um passinho.


 

"Matar judeus é adorar Allah": os líderes da Autoridade Palestina e do Hamas estão de acordo! Os jornalistas também!


"Matar judeus é adorar Alá" - Propaganda oficial do bando terrorista Hamas, que ambiciona finalizar o Holocausto, extinguindo os judeus, e criar um Estado islâmico no lugar de Israel.

“Claro que Israel não pode negociar com alguém que se dedique à sua destruição No entanto, e ainda que eu saiba que existem divergências na Autoridade Palestina, acredito que Israel tem um verdadeiro parceiro para a paz no Presidente Abbas…” Barack Obama, Março 21, 2013 
“Pela parte que me toca, não existem diferenças entre as nossas políticas e as do Hamas.” Mahmoud Abbas, Março 15, 2013
Imagine que alguma TV tinha a coragem de mostrar como começou a recente vaga de terrorismo:

Mahmoud Abbas: "Nós vos abençoamos e bendizemos ó Murabitin (aqueles que fazem a guerra para proteger a terra reivindicada para ser islâmica), que Alá abençoe cada gota de sangue derramado por Jerusalém, limpo e puro sangue, sangue derramado por Alá. Cada Mártir (Shahid) vai para o Paraíso, e todos os feridos serão recompensados por Alá. Al-Aqsa [a Mesquita] é nossa, a Igreja do Santo Sepulcro é nossa, e os judeus não têm o direito de contaminá-los com os seus pés sujos. Nós não o vamos permitir, e faremos tudo em nosso poder para proteger Jerusalém".
[TV da Autoridade Palestina, em 16 de Setembro de 2015]


Se tivesse sido Netanyahu a fazer um discurso como este haveria uma  comoção global! PORQUE É QUE OS ÁRABES GOZAM DE TÃO DESPUDORADA PROTECÇÃO DA IMPRENSA? Porque o público permite!

A divulgação de um simples discurso destes, que é o trivialzinho para Abbas (e há bem pior, vide p. ex. o Hamas) desmontaria o mito perpetuado pelos media, de que Abbas é um "moderado", de que (na melhor das hipóteses) existe um equivalente moral entre israelitas e "palestinos", etc., etc.. 

Ao omitirem o terrorismo contra Israel, ao omitirem a razão que assiste a Israel - e que é a mesma que assiste a qualquer vítima do terrorismo - os jornalistas não valem mais que os que assassinam judeus.

4 comentários:

  1. Toda a nossa Imprensa tendenciosa , desenformada , e anti semita devia ser vigiada por alguma autoridade antes de por para público noticias não verdadeiras. Jornalistas anti semitas e com odio bafiento por Israel como esse Farinha devia ser sancionado por declarações indecorosas contra um País que a única coisa que quer ter é o seu lugar no mundo. Tem todo o direito de o ter, Israel é dos Israelitas sempre o foi e será, não há lugar para invenções, não há palestinos, há árabes que vieram para Palestina que é Israel e como era chamada a região por outros ocupantes. Não é Israel que agride, Israel defende os seus cidadãos civis , inocentes e suas crianças que nem essas esses árabes terroristas respeitam.Senhores Jornalistas não ponham noticias para o ar sem saber o que estão a dizer, vão á fonte dos acontecimentos e vejam quem é o atacante ou o atacado. Sejam honestos para vós próprios e para o publico. Ele merece.

    ResponderEliminar
  2. A toda a ignorância, má-fé, pressões e aspirações a guia da Humanidade da parte de uma dita Comunicação Social pindérica e interpostamente assassina pelos efeitos que provoca, há que juntar um ponto não menos essencial: a dependência energética da Europa em relação ao Médio-Oriente, gerando o conhecido histórico: "Os judeus que se lixem, que não servem para outra coisa". Sem perceber que está a cavar a sua própria sepultura civilizacional e, cada vez mais, territorial. Desde que os cristãos foram obrigados a sair do Kosovo para que a minoria islâmica pudesse formar um Estado... bem, está tudo dito quanto ao altíssimo esclarecimento das "autoridades" europeias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão na sua análise. A Comunicação Social é cúmplice activa da islamização. Temos um post agendado para breve que o comprova.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.