domingo, 4 de outubro de 2015

14 órfãos judeus! Muçulmanos em delírio!

Crianças doutrinadas no ódio e no terrorismo juntam-se às celebrações. São os terroristas de amanhã.

Como sempre que há assassínios de judeus, os colonos árabes saíram às ruas para celebrar, em êxtase. A cultura do Mal e do Ódio em todo o seu repugnante esplendor. Na recente vaga de assassinatos, morreram 4 israelitas, que deixaram 14 órfãos. 

Os "palestinos" tomaram as ruas, gritando, acenando com bandeiras, soltaram fogos de artifício e procedeu-se à habitual distribuição de doces aos transeuntes. A Imprensa Ocidental e os políticos do Mundo Livre nada disseram, como sempre. As palavras de condenação aparecerão a seu tempo, quando Israel responder.

Como já mostrámos nos posts anteriores, a Fatah, o bando terrorista do mega-terrorista Mahmoud Abbas, pomposamente chamado Presidente da "Autoridade Palestina", já reivindicou estes assassinatos e ataques sortidos, classificando-os como "actos heróicos".

Nesta foto, o mega-terrorista Abbas celebra a libertação de terroristas por Israel, em Ramallah em 2013. (Hadas Parush/Flash90).

Temos reportado por diversas vezes o incitamento, planeamento e prática do terrorismo promovidos por este homem, que premeia com muito dinheiro os assassinos de judeus. 

O Ocidente continua a aceitá-lo como interlocutor válido e sério para a Paz e a insistir com Israel para "negociar" com ele. O programa de Abbas resume-se à extinção de Israel. Como os seus antecessores e todos os  colonos árabes em Israel, o seu comportamento em negociações "de paz" tem sido a negativa obstinada ou levantar-se e sair da sala.
 

Funeral de Eitam e Naama Henkin
Na noite de sábado - um dia após o funeral de Eitam e Naama Henkin, que foram assassinados na presença de seus filhos - um terrorista "palestino" esfaqueou quatro israelitas na Cidade Velha, matando dois homens. As vítimas foram rabino Neemias Lavi, 41 anos, pai de sete filhos, e Aaron Bennett, 24 anos, pai de um. Adelle Bennet, a Esposa, ficou ferida no ataque.

 
Aaron Bennett e Neemias Lavi

O terrorista islâmico Muhannad Halabi, de 19 anos, que vive nas proximidades de Ramallah, nos territórios da Autoridade "Palestina" foi o autor do ataque. Na sequência do esfaqueamento, o terrorista pegou a arma de uma das vítimas e começou a atirar contra as forças de segurança, que responderam e o mataram - o que muito aborreceu os naz... perdão, os senhores jornalistas do CM, da BBC e Companhia.



A cena do crime, ontem.

O rabino Neemias Lavi perdeu a vida e deixou viúva e 7 órfãos ao tentar acudir. Repare-se na satisfação com que o árabe saboreia o seu refrigerante e a matança de judeus:




Eitam e Naama Henkin foram assassinados. Deixaram quatro filhos pequeninos:

Esfaqueada e a sangrar, Adele Banita pediu ajuda aos clientes e lojistas árabes em seu redor para que a ajudassem a salvar os seus bebés, enquanto o marido jazia numa poça de sangue. Os árabes cuspiram nela, bateram-lhe, riram-se e insultaram-na. Disseram-lhe "Esperamos que também morras!".



A jovem mãe e vítima do terrorismo Adelle Banita vai reunir-se com o seu filho bebé antes do início do feriado de Simchat Torah esta noite, depois de sobreviver a uma facada e a um tiro no ataque em Jerusalém. O marido de Adelle foi morto no ataque.

O Director do Centro Médico Shaare Zedek, Prof. Yonatan Halevy, disse que, apesar de tentativas de reanimação, o rabino Lavie foi pronunciado morto logo após a sua chegada. O rabino foi esfaqueado repetidamente na parte superior do corpo.

Adelle Banita, que foi tratada no 
Centro Médico Hadassah, sofreu um ferimento de bala na perna direita.



Noutro ataque, também ontem à noite, Moshe Malka, de 15 anos, foi esfaqueado mas sobreviveu:



Grupos de Facebook como estes, fazem a cobertura possível da onda de terrorismo islamista em Israel:
Ajude Israel com as suas orações e divulgando a VERDADE!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.