quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Estilhaços da guerra em curso em Israel

Enquanto Israel está sob esta onda de terror, a resposta da comunidade internacional e da Imprensa tem sido patética, na melhor das hipóteses.

A Imprensa e os políticos (em grande parte PAGOS por capitais sauditas e afins), tentam passar a ideia de que há uma equivalência moral entre os israelitas e os invasores, terroristas e colonos muçulmanos. Isto na melhor das hipóteses, porque há muitos que mentem descaradamente, condenam as vítimas e glorificam os assassinos.

Algumas notícias que a Imprensa mainstream jamais passará, dos MILHARES que estão disponíveis na Internet. Sobre a onda de terrorismo dos últimos dias em Israel, aqui ficam alguns exemplos:

24 HORAS DE TERROR EM ISRAEL

 
Os terroristas "palestinos" estão fora de controle, causando estragos nas ruas e fazendo o seu melhor para matar tantos inocentes civis israelitas e soldados do IDF quanto possível.

O que se está a passar não é apenas terror. É guerra.

A vida diária dos civis israelitas está a ser afectada, as pessoas questionam-se se podem sair de suas casas para irem trabalhar em segurança. Problema que os terroristas "palestinos" não têm, pois são pagos a peso de ouro por Mahmoud Abbas - com o dinheiro dos impostos dos Ocidentais. Tanto dinheiro, que Abbas que tem diversos palácios e a elite terrorista vive na opulência, como temos aqui revelado diversas vezes.

O mega-terrorista Mahmoud Abbas premeia com 10 milhões de dólares por mês os assassinos de judeus. É este o "homem de paz" que o Ocidente impõe a Israel.
Enquanto Israel está sob esta onda de terror, a resposta da comunidade internacional e da Imprensa tem sido patética, na melhor das hipóteses.



DEPUTADO TERRORISTA

O deputado árabe, muçulmano e terrorista, Jamal Zahalka, membro do Parlamento de Israel, a única democracia do Médio Oriente, vai para o Monte do Templo gritar e amaldiçoar os judeus que pretendem orar no local mais sagrado do Judaísmo, presentemente ocupado e profanado pelos terroristas:

 


No post Como a RTP2 "olha o Mundo" mostrámos alguns vídeos da ocupação, profanação e terror, que os muçulmanos espalham no Monte do Templo. E comentámos a parcialidade escandalosa da comentadora, que até é de centro-direita, pasme-se. Mas ela lá terá a sua agenda.

 CAPTURA DE UM DOS ASSASSINOS DO CASAL HENKIN

A seguir, o  vídeo dramático de um terrorista Hamas ferido que foi capturado pelas forças de segurança israelitas. O terrorista foi ferido por um companheiro, que o atingiu acidentalmente enquanto assassinavam Eitam e Naama Henkin, casal judeu que viajava na Samaria com os seus quatro filhos pequenos.

Os terroristas fugiram rapidamente, a fim de procurarem ajuda médica. Graças à retirada apressada dos terroristas, as crianças foram poupadas de serem abatidas.

Ao serem capturado, os terroristas assumiram a autoria do assassinato dos Henkins. E também confessaram ter realizado dois ataques terroristas anteriores na área.



ATAQUE COM BLOCOS DE CIMENTO
 
O Jornalista freelancer Josh Hasten e outros motoristas quase foram assassinados por uma multidão árabes armados com blocos de cimento. A testemunha descreve a multidão como tendo a morte no olhar.

Os árabes tentaram arrastar uma mulher para fora de seu carro. A mulher ficou ferida pelas pedras e pontapés da multidão enfurecida.

Hasten puxou da sua arma de uso pessoal e disparou para o ar, assustando os assaltantes e evitando uma tragédia horrível.



MAIS UM ESFAQUEAMENTO



Ontem, quarta-feira, uma terrorista árabe esfaqueou e feriu mais um israelita, na Cidade Velha de Jerusalém, muito próximo do local do ataque mortal de sábado.

O homem, de 36 anos, foi atacado por trás e esfaqueado repetidamente no corpo e pescoço, mas conseguiu sacar da sua arma e atirar sobre a terrorista, que ficou gravemente ferida. A vítima foi tratada no local pela Magen David Adom e evacuada para o Hospital Hadassah Ein Kerem

A terrorista está em estado crítico, pelo que a Imprensa mundial, os políticos e a ONU já devem estar a lavrar mais um protesto. O israelita devia ter-se deixado matar.


Nechemia Lavi e Aharon Benita


Este ataque acontece apenas quatro dias depois de Nechemiá Lavi, pai de sete filhos, e Aaron Benita, pai de dois filhos, terem sido mortalmente esfaqueados e mortos por Muhannad Halabi no sábado à noite.  
Halabi também feriu a Esposa e o filho bebé dos Benita.  O terrorista roubou a arma de uma das vítimas e começou a disparar sobre a multidão, tendo sido  baleado pelas forças de segurança israelitas.

A Imprensa, políticos de todo o mundo, e o secretário-geral da ONU lamentaram a morte do terrorista. 
PAPÁS ÁRABES DÃO O NOME DO ASSASSINO AO SEU BEBÉ

Muhannad Halabi, o assassino de Nechemiá Lavi, pai de sete filhos, e de Aaron Benita, pai de dois filhos.
Numa demonstração eloquente da cultura de ódio, terrorismo e desprezo pela vida alheia e pela própria, um encantador casal muçulmano de Gaza escolheu o nome do terrorista Muhannad Halabi para o seu filho recém-nascido.  

A Wafa, a agência de notícias oficial da "Autoridade Palestina", e o Al-Hayat Al-Jadida, o jornal oficial da "Autoridade Palestina" felicitaram o casal pela escolha de nome tão "feliz". 

Então, que sejam muito felizes, que tenham muitos terroristazinhos, mas que VÃO PARA A TERRA DELES, e fiquem por lá.
  
MUÇULMANOS DE TODO O MUNDO PARTILHAM FOTOS DOS MORTOS ISRAELITAS


O site United With Israel traduz as expressões de júbilo orgulhosamente reportadas pela TV e jornais oficiais da "Autoridade Palestina". As redes sociais regurgitam de manifestações de êxtase pela onda de terror a decorrer em Israel. A Palestinian Media Watch, uma organização que monitoriza os media dos terroristas, dá conta da partilha entusiástica das fotos do casal Henkin, que foi executado à frente dos quatro filhos pequenos.

Sempre que há ataques contra judeus, a reacção da população, dos media e das lideranças árabes, é:

a) Intensa alegria e celebração, como vos mostrámos, por exemplo, no post O Riso da Besta

b) Apresentar o massacre de judeus como um ataque de judeus aos árabes:
"Na minha opinião, os dois cidadãos palestinianos que pretendiam, num gesto de bondade, dar boleia aos três rapazes, foram violentamente atacados por eles, dentro do carro, durante a viagem. Quando sentiram que as suas vidas corriam perigo, e sem outra alternativa, optaram pela auto-defesa, e dispararam armas de fogo contra os jovens colonos, que os atacavam pelas costas. Trata-se apenas de um acto de "auto-defesa." Via Inácio Steinhardt.

A autora desta barbaridade é a deputada Hanim Zoabi do Partido árabe Balad, que, ao contrário do que se poderia pensar, não é deputada em nenhum país árabe, mas sim na Knesset - o Parlamento israelita - para onde foi eleita pela minoria árabe israelita.


Celebrando a morte de inocentes

Este post poderia continuar indefinidamente. A cada minuto, novas notícias. Israel está a ser empurrado para reagir, como no Verão passado. Caso contrário, o país pára e a sua população será toda dizimada, um judeu de cada vez. 

Quando dois terroristas foram abatidos, a Imprensa e as lideranças políticas mundiais acordaram - para condenar Israel.

Quando Israel reagir, a Imprensa e as lideranças políticas mundiais acordarão - para condenar Israel.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.