sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Mãe de terrorista abatido canta de alegria


A encantadora senhora que podeis contemplar no vídeo abaixo, cantando, jubilosamente, é a mãe do terrorista Muhannad Halabi, que assassinou à facada dois israelitas na Cidade Velha.

As vítimas foram rabino Neemias Lavi, 41 anos, pai de sete filhos, e Aaron Bennett, 24 anos, pai de um. Adelle Bennet, a Esposa, ficou ferida no ataque.



MERECE ESTA CRIATURA O SAGRADO NOME DE "MÃE"?

Qualquer ser humano normal, provido de senso-comum, com conhecimento mínimo da vida e do mundo real, poderia parar a leitura deste post por aqui, e ficaria esclarecido. Nem as mães dos soldados tombados nas guerras contra as piores tiranias do mundo festejam. O que dizer de uma mãe que se alegra pela morte e pelos actos diabólicos do seu filho?

Mas a extrema-esquerda e a extrema-direita (tal como os terroristas islâmicos) aplaudem em delírio a "coragem da jovem mãe, que sacrificou o próprio filho na resistência à opressão", etc., etc..
O simples facto de os adeptos das ditaduras comunistas e das ditaduras nazis-fascistas (que se odeiam uns aos outros) estarem de acordo no apoio ao terrorismo islâmico, já deve pôr qualquer pessoa normal de sobreaviso.

Aaron Bennett e Neemias Lavi foram assassinados à facada  por Halabi 

A seguir aos esfaqueamentos mortais, o terrorista Muhannad Halabi roubou a arma de uma das vítimas e abriu fogo contra a multidão de turistas, pelo que foi abatido pela Polícia.

A Imprensa mundial (e com ela a opinião pública) ignoraram os mortos e os feridos judeus, ignoraram o próprio ataque terrorista, e condenaram Israel, por ter abatido um jovem, "coitadinho, que não fez mal nenhum, só ia a passar, na sua vidinha"...

O rabino Neemias Lavi perdeu a vida e deixou viúva e 7 órfãos ao tentar acudir. Repare-se na satisfação com que o árabe saboreia o seu refrigerante e a matança de judeus:

 
 


Acresce, no barómetro das emoções baratas e enviesadas, que o jovem tinha 19 anos, e um rosto fresquinho, como todos os rapazes e raparigas de 19 anos:


O terrorista Muhannad Halabi enternece o coração do mundo...


Hitler também usou terroristas suicidas. E isso não fez dele e do Nazismo aceitáveis. Mas os terroristas abatidos pelas forças de segurança de Israel são vistos com simpatia pelo vulgo, e alvo de um culto religioso em certos sectores políticos ocidentais - os mesmos que cultuam deuses como Stalin, Hitler, Mussolini, Mao, Castro, a Dinastia Kim da Coreia do Norte, o messias Che, e tantos outros assassinos psicopatas, terroristas e genocidas.
(A propósito: a jornaleiragem a soldo dos terroristas anda a propalar a notícia falsa de que a Polícia de Israel abateu um garoto de 13 anos. O anjinho em questão foi apenas detido quando estava a esfaquear umas pessoas. Se num país muçulmano um garoto judeu fizesse o mesmo seria assado em fogo vivo ali mesmo no local!).


O jovem "executado" pela Polícia (segundo a patranha do aldrabão terrorista Mahmoud Abbas, na TV), está de boa saúde, para quem morreu! Valeu a pena a descasca que demos ao Luke Baker!!!

Quem não comove corações nem é notícia, são os órfãos israelitas que os terroristas islâmicos causam. 
A 19 de Abril deste ano, o Primeiro-Ministro de Israel recebeu órfãos de soldados assassinados pelos terroristas islâmicos.

A FALÁCIA DOS "POBREZINHOS"


Para a Imprensa e para o público Ocidental, os órfãos israelitas não merecem compaixão. São considerados inerentemente maus, privilegiados, usurpadores, enquanto que os terroristas são considerados pobrezinhos e oprimidos.

Esta falácia romântica merece uma pequena análise. Damos a palavra a :

«(...) Estes jovens (terroristas árabes que têm assassinado judeus nos últimos dias)  aproveitaram o seu estatuto de residentes permanentes em Israel para assassinar judeus. Todos eles tinham bilhetes de identidade israelitas que lhes permitiam viajar livremente dentro de Israel, e até mesmo possuir e conduzir veículos com placas israelitas. Também tinham direito a prestações sociais e cuidados de saúde gratuitos concedidos a todos os cidadãos israelitas, independentemente da sua fé, cor ou etnia.

Nenhum dos jovens 'palestinos' envolvidos nos recentes ataques terroristas vivia numa casa de barro, numa tenda, ou até mesmo num apartamento alugado. Todos eles viviam em casas de propriedade de suas famílias, e tinham acesso ilimitado à Internet. Todos eles tinham smartphones e partilhavam os seus pontos de vista no Facebook e Twitter, que usavam, entre outras coisas, para promover o incitamento ao ódio contra Israel e os judeus.



O terrorista Muhannad Halabi em sua casa: estas pessoas vêm viver para a única democracia do Médio-Oriente, e dedicam-se a assassinar os nativos.

Por exemplo: se formos a casa de Muhannad Halabi, o 'palestino' que matou dois judeus na Cidade Velha de Jerusalém na semana passada, veremos que o seu pai é um homem de negócios bem sucedido, que comercializa sistemas de ar condicionado e tem o seu próprio negócio em Ramallah. A casa da família, na aldeia de Surda na periferia norte de Ramallah, parece que saiu de um filme rodado em San Diego.
Os parentes de Muhannad Halabi disseram que ele era um jovem mimado que tinha tudo o que pedia. Estudava Direito na Universidade Al-Quds, perto de Jerusalém, e conduzia livremente entre Ramallah e o campus. Mas a boa vida de Muhannad não o impediu de se juntar à Jihad Islâmica e assassinar dois judeus. Ele queria matar judeus, porque tinha sofrido uma lavagem cerebral por parte dos nossos líderes e dos nossos media, e foi impulsionado pelo ódio - ele não vivia na miséria nem sofria privações.(...)»

Comício nazi na "Universidade" que o terrorista frequentava  - assim são as actividades curriculares na pomposamente chamada Universidade Al-Quds, e nas famosas "escolas" de Gaza - que também servem de bases terroristas e depósitos de armas e munições. Os "jovens" que estão a protagonizar o morticínio de israelitas são "educados" desta forma.
Estes assassinos que estão diariamente a ceifar vidas israelitas são árabes muçulmanos que vêm viver para Israel, beneficiam dos privilégios que a única democracia do Médio-Oriente lhes oferece, e retribuem com ódio e terrorismo. Exactamente o que se passa na Europa ou nas Américas, onde os muçulmanos são acolhidos, alimentados, alojados, e nos dedicam um ódio visceral, brindando-nos diariamente com ataques terroristas, estupros, espancamentos, roubos, desordem pública.
Convém também que se diga que o que mais se estuda nas "escolas" como a Universidade Al-Quds, que este terrorista frequentava, é Islão, Jihad e Nazismo.

EM ISRAEL, COMO EM TODO O MUNDO...

Dentre os milhares de ataques terroristas islâmicos da última década e meia, os da Maratona de Boston foram dos mais visíveis - o que é um dos objectivos da jihad, aterrorizar o mais possível os infiéis antes de os submeter.



Os dois terroristas, os irmãos Tsarnaev (e o seu cúmplice saudita, que foi mandado por Obama para o seu país), quando puseram estas bombas, quando mataram e estropiaram estas pessoas, fizeram exactamente o que os terroristas árabes fazem em Israel. Os motivos foram os mesmos: ódio aos infiéis e ânsia de conquista islâmica. 

Os irmãos Tsarnaev, dois dos bombistas da Maratona de Boston

 
Passavam necessidades, os irmãos Tsarnaev? Pelo contrário, viviam uma vida regalada nos Estados Unidos. A mãe, a encantadora Zubeidat Tsarnavea, já tinha sido recambiada para o Quirguistão, por diversos roubos cometidos no país de acolhimento, e a irmã, a não menos encantadora Ailina Tsarnaev, já era conhecida da Polícia por repetidas ameaças de bomba.

Tamerlan, um homem com tendências depressivas (mas também um calaceiro que mandava a mulher trabalhar enquanto ele ficava em casa a estudar terrorismo) já tinha assassinado três judeus, os seus melhores amigos nos Estados Unidos.

Se quiser saber mais dê uma vista de olhos no nosso marcador Atentados de Boston.

Numa memorável série de actuações dramáticas para a Imprensa, dignas de um Óscar, a senhora Zubeidat Tsarnaeva chorou, gritou, esbracejou, jurou a inocência dos filhos e afirmou que não existiram quaisquer atentados, que tudo não passou de uma encenação. E por estranho que pareça, a tese de que os ataques terroristas são encenações, colhe adeptos entre muitos maluquinhos da Internet e extremistas políticos.

Mas em breve deixaria cair a máscara e mostraria todo o seu orgulho nos ataques terroristas cometidos pelos filhos e no seu "martírio" - "Allahu Akbar", como ela orgulhosamente proclama:

  

Eram tanto "pobrezinhos" e "injustiçados", os Tsarnaev, como são os jovens portugueses que vão para o ISIS decapitar, crucificar, queimar e enterrar vivos aos infiéis, e estuprar as infiéis antes de lhes darem o mesmo destino.

CULTURA DE MORTE 
Cultura de morte: Líderes terroristas "palestinos" declaram que o seu povo ama a morte como os outros povos amam a vida: 
Um Nidal, também conhecida como "Fábrica de Bombas", declara que o dia da morte do seu filho (bombista suicida) foi o melhor da sua vida. Este monstro continua  a parir bombas humanas e a regozijar-se:
 

Programação infantil "palestina": "o martírio é melhor que este mundo":

Mãe muçulmana leva o filho bebé a um hospital israelita para ser tratado gratuitamente. Acabam de SALVAR A VIDA DO SEU FILHO. O seu maior desejo? Que o menino venha a ser um bombista suicida:


ESTA LISTA PODERIA IR RAPIDAMENTE ÀS CENTENAS DE VÍDEOS.


REPETIMOS: Os motivos para o massacre de judeus em Israel, cristãos na Síria e no Iraque e "infiéis" em todo o Mundo, são os mesmos: ódio aos infiéis e ânsia de conquista islâmica.
  
E não esqueçamos que a seguir a Israel, eles querem a Península Ibérica.

Mas é assim, cada qual tem as suas simpatias. 

3 comentários:

  1. As ações dos árabes/islâmicos são erradas? Não, segundo o alcorão deles, ainda que sim segundo o mundo todo:


    "Matai-os onde quer os encontreis. ... Tal será o castigo dos incrédulos... . Lutai contra eles até... prevalecer a religião de deus [o islã]." (2,191-193) "A luta é obrigatória para vós, ainda que vós a repudieis." (2,216) "Que os [islâmicos] não façam amizade com os [não-islâmicos.] O que assim procede, que nada espere de deus. (3,28) "Ó [islâmicos], não façais amigos com outros que não sejam do vosso próprio meio." (3,118) "Que os [não-islâmicos, como judeus e cristãos] não pensem que "Nós" prolongamos seus dias para o seu bem; ao contrário, toleramo-los para que cometam pecados ainda piores." (3,178) "Aqueles [islâmicos] que desejam trocar a vida neste mundo pela vida eterna após a morte, lutem pela causa de deus... . [Os não-islâmicos] lutam pelo diabo. Lutai, pois contra os amigos de Satã." (4,74-78) "O castigo, para aqueles que lutam contra Deus e contra o Seu Mensageiro... é que sejam mortos, ou crucificados." (5,33) "Ó [islâmicos], não tomeis por amigos os judeus nem os cristãos; que sejam amigos entre si. Porém, quem dentre vós os tomar por amigos, certamente será um deles." (5,51) "[Aos não-islâmicos, judeus,] deus amaldiçoou, abominou e converteu em símios [e] suínos." (5,60) "Os inimigos mais implacáveis dos [islâmicos] são os judeus e os pagãos." (5,80-82) "Matai os incrédulos, onde quer que os acheis." (9,5) "Guerreai contra eles! Deus os castigará, por intermédio das vossas mãos." (9,14) "Ó [islâmicos], não tomeis por amigos vossos pais e irmãos, se preferirem a incredulidade à fé; aqueles, dentre vós, que os tomarem por amigos, serão iníquos." (9,23) "Guerreai contra aqueles que não... professam a verdadeira religião. [E qual é essa? A surata 3,19 diz: "Para deus a única e verdadeira religião é o Islam."] (9,29) "Se não marchardes (para a guerra contra os incrédulos), [deus] vos castigará dolorosamente." (9,39) "Só nos ocorrerá [aos islâmicos] uma das suas sublimes coisas (o martírio ou a vitória)." (9,52) "deus promete aos hipócritas e às hipócritas e aos incrédulos o fogo do inferno, onde permanecerão eternamente. Isso lhes bastará. Deus os amaldiçoou." (9,68) "Guerreia contra os descrentes e os hipócritas, e trata-os com rigor." (9,73) "deus cobrará dos [islâmicos] o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Guerrearão pela causa de deus, matarão e serão mortos." (9,111) "Não devem todos os [islâmicos], de uma só vez, sair para a guerra; deve permanecer uma parte de cada coletividade, para instruir-se na fé, e assim admoestar sua gente quando regressar, a fim de que se acautelem. [Islâmicos], guerreai contra os infiéis que vivem ao vosso redor." (9,122-123) "Ninguém refuta os versículos de deus, senão os incrédulos." (40,4) "Os fiéis, ... crêem no que foi revelado a Mohammad — esta é a verdade do seu Senhor. ... Os incrédulos seguem a falsidade, enquanto os [islâmicos] seguem a verdade do seu Senhor. ... E quando guerreardes com os incrédulos, golpeai-lhes os pescoços... . Eis aqui uma descrição do Paraíso, que foi prometido aos [islâmicos]: Lá há ... rios de leite de sabor inalterável; rios de vinho deleitante para os que o bebem; e rios de mel purificado; ali terão toda a classe de frutos, com a indulgência do seu Senhor. Poderá isto equipar-se ao castigo daqueles que permanecerão eternamente no fogo, a quem será dada a beber água fervente, a qual lhes dilacerará as entranhas?" (47,2 ao 4 e 15)



    Esses são apenas alguns poucos exemplos do livro "sagrado", do livro do próprio "deus, o criador", para o qual querem te converter, da religião que dizem ser a última e derradeira revelação divina.

    Informe-se, pesquise, pense, reflita.
    E divulgue.

    ResponderEliminar
  2. Não sei quem foi o primeiro a começar com esta estória que o nacional-socialismo (nazismo) seria direita, quanto mais extrema-direita! Desde quando um modo de socialismo pode ser avesso ao comunismo? e desde quando existe direita/conservadorismo revolucionário (porque Hitler propunha revolução e não conservação)?
    Fiquemos de olhos bem abertos! Hitler e Stálin eram adversários por apenas um motivo: ambos queriam dominar o mundo sozinhos.

    ResponderEliminar
  3. Salmos 27:3. Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.