domingo, 31 de maio de 2015

Os comparsas de Blatter - 3

O Qatar, o país a quem Blatter concedeu a organização do Mundial, e com o qual tem as melhores relações. Comerciais também... Blatter tem sido um perseguidor implacável de Israel e um amigo assumido dos terroristas "palestinos". Será aceitável que o líder da maior federação desportiva do Mundo ande assim, de braço dado com o terrorismo e a corrupção?


Os comparsas de Blatter - 1

 Os comparsas de Blatter - 2

Como o Qatar está a financiar a ascensão de extremistas islâmicos
Por David Blair e Richard Spencer
No caso da Síria, o método escolhido pelo Qatar para apoiar os insurgentes é o de transferir grandes somas para intermediários na Turquia. Esses cúmplices, em seguida, usam o dinheiro para comprar armas provenientes de países terceiros, nomeadamente a Croácia, e organizam a sua transferência para os rebeldes na Síria. (...)

No mês passado, Gerd Müller, Ministro do desenvolvimento internacional alemão, implicou o Qatar na ascensão do ISIS: "Temos que perguntar quem está a armar e a financiar as tropas do ISIS. A palavra-chave é Qatar", disse ele.

Mas um Estado dotado de grandes reservas de gás e petróleo e de um dos maiores fundos soberanos do mundo pode exercer imensa influência, mesmo sobre Berlim. E o Qatar foi capaz de garantir uma retirada formal dessa acusação do governo alemão.

Na quarta-feira, o Emir do Qatar, de 34 anos, que foi educado em Harrow e Sandhurst, esforçou-se para negar a acusação, ao lado de Angela Merkel, a chanceler alemã. "O que está a acontecer no Iraque e na Síria é o extremismo, e e essas organizações são parcialmente financiados pelo exterior, mas o Qatar nunca apoiou e nunca apoiará organizações terroristas", disse ele.
A credibilidade da negação depende de como se define uma "organização terrorista". O Qatar autorizou o Hamas, o movimento palestino armado, a basear a sua liderança política em Doha desde 2012. O governo do Qatar tem financiado o Hamas e o Emir anterior efectuou uma visita oficial à Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, em 2012. (...)


"MATAR OS CRISTÃOS E OS JUDEUS ATÉ AO ÚLTIMO" - Política oficial do Hamas, que governa Gaza, é apoiado pelo Qatar e tem a sua sede no Qatar.
A disposição do Qatar em apoiar extremistas causou consternação. "É um quebra-cabeças, e, para ser honesto, de muito mau gosto", disse um ex-funcionário ocidental que tem lidado com Qatar.
"Há pessoas nos Estados do Golfo que apoiam grupos que são grotescos nos seus valores, e parecem incapazes de compreender quão grotesco isso é."
FIM

O Hamas, o grupo terrorista amado pela quase totalidade das Esquerdas, que usa as suas crianças como bombas humanas e as doutrina no ódio e na morte desde o berço:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.