domingo, 3 de maio de 2015

Ele só andava a caçar judeus...

UM BOM MUÇULMANO

Khaled Kutina (algemado) é um bom muçulmano: o seu desejo máximo na vida é matar judeus. Conseguiu-o, e vai ter direito à Eternidade de perpétua fornicação que a sua religião lhe assegura.

As mais das vezes nem comentamos os constantes ataques de terroristas islâmicos contra cidadãos israelitas judeus. É triste dizê-lo, mas acaba por ser "banal". Os colonos muçulmanos que vivem em Israel (como qualquer muçulmano) odeiam os judeus com cada fibra dos seus corpos. Assim lhes ensina a sua religião:

"Matar judeus é adorar Allah"


Cada matança de judeus é celebrada efusivamente, nas ruas, nos bairros, nas casas, pelos invasores muçulmanos que Israel inexplicavelmente tolera dentro do seu território. Se alguma vez os exércitos islâmicos lograrem ganhar vantagem sobre Israel e levar a cabo a sua destruição (o seu objectivo confesso e inúmeras vezes tentado), a população muçulmana incendiará Israel a partir do interior. 

E isto é tanto mais lamentável quanto se sabe que um futuro Estado «palestino» não permitirá a presença de um judeu sequer - como aliás já acontece em vários países islâmicos.


A cena do crime


 ANDAVA À CAÇA DE JUDEUS

O terrorista Khaled Kutina, de 37 anos, que vive em Jerusalém, atropelou mortalmente Shalom Yohai Cherki, de 25 anos, e deixou em estado grave Shira Klein, de 20 anos. Capturado pela Polícia, inicialmente tentou fazer-se passar por louco diante da equipa de avaliação psiquiátrica. Depois alterou a estratégia, passando a sustentar que se tratara de um acidente.

O Shin Bet (a agência de informações de Israel) continuou a sua investigação, e o bárbaro acabou por admitir a real motivação do seu crime. Era o dia da Recordação do Holocausto, e o terrorista, contrariado por Hitler não ter acabado o serviço, foi para a estrada nacional nº 1, na região de Jerusalém, caçar judeus. Identificou as duas vítimas pela sua indumentária judaica e atropelou-as.


 Shalom Cherk, a vítima mortal.

No interrogatório, Khaled, tomado de fervor religioso e orgulho islâmico, acabou por confessar: "Eu queria matar judeus!".


AGUARDA-SE AS MANIFESTAÇÕES DE APOIO

O vídeo do ataque é bastante violento, avisamos desde já:



Aguardamos a qualquer momento que o Chico Louçã e a malta, a Inês de Medeiros, a Isabel Moreira, o Galamba do brinquinho, o PCP em peso, e todos os chegeuvaras da vida, venham para a rua manifestar a sua solidariedade para com mais este herói «palestino», que, coitadinho, só queria manter a via pública limpa... de judeus!...

VOCÊ PODE AJUDAR


O terrorista Abbas (Autoridade "Palestina") e o terrorista Haniyeh (Hamas)

Israel, infelizmente, não tem o bom-senso de expulsar os terroristas todos do seu território. Apesar de os judeus terem sido chacinados quase todos nos países muçulmanos, Israel continua a sustentar milhões deles na sua terra!

Israel não difere de nós, países ocidentais, que também cá os temos aos milhões, sem mexerem uma palha, a odiarem-nos e a viverem à nossa custa, enquanto aguardam a chegada do ISIS e vão assassinado, estuprando e aterrorizando (veja barra lateral O TERRORISMO GLOBAL).

Você pode ajudar a pressionar os Estados Unidos para deixarem de subsidiar a organização terrorista conhecida como Autoridade «Palestina». É essa organização a principal responsável pelo fomentar do ódio e da sede de sangue dos assassinos como este Khaled. Essa organização recompensa principescamente os assassinos de judeus e dá-lhes honras de heróis.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.