terça-feira, 12 de maio de 2015

A Invasão que eles escondem - 2




A verdadeira face do Islão: Na semana em que a União Europeia se prepara para obrigar os Estados membros a acolherem os colonos muçulmanos vindos de África e Médio-Oriente, na semana em que a Imprensa institucional faz todos os possíveis para elevar ao máximo o absurdo sentimento de culpa dos Ocidentais (de forma a preparar terreno para mais este patamar de islamização da Europa) traduzimos este artigo de Guillaume Faye.

A História da invasão islâmica da Europa, com as hordas bárbaras a chacinarem, saquearem, escravizarem e estuprarem (como manda o Islão e como eles nunca deixaram de fazer nestes 1400 anos):


Mas o grau de ignorância e lavagem cerebral é de tal ordem, que as massas vêem os muçulmanos como povos pacíficos e vítimas do "papão ocidental", como uma civilização que foi injustamente castigada pelas Cruzadas, etc., etc.. Para a ignorância ainda há cura; para a estupidez, não há!

A Invasão que eles escondem - 1


A Invasão da Europa pelo Mediterrâneo - o que fazer?
Artigo de  Guillaume Faye
Os regressos forçados e as expulsões (dos muçulmanos africanos) são uma proporção ínfima, em relação à quantidade dos que chegam.
Em 2014, 280 mil ilegais chegaram à Europa, 80% por via marítima - três vezes mais do que em 2013. Todos vindos de África, do Magrebe e do Médio Oriente. Fabrice Leggeri, chefe da Frontex (Agência Europeia da "monitorização" das Fronteiras), disse que, só na Líbia, um milhão de pessoas estão "prontas para embarcar para a Itália."
Este aumento súbito da imigração é um novo capítulo do que já vimos há 30 anos em matéria de imigração legal e ilegal. Hoje já não se trata de uma inundação lenta, já não são pingos de água que caem de uma canalização deficiente. Hoje é uma torrente.

 
O «Belgistão» é apenas um exemplo: As cidades belgas têm 1/4 de população muçulmana. Dentro de 20 anos eles serão maioria. Os nativos, os «infiéis», sustentam os seus futuros senhores. A extrema-esquerda e os nazis babam-se de contentamento.

Uma invasão islâmica dissimulada
As forças jihadistas, solidárias com a organização Daesh, que assumiu o controle de parte da Líbia*, obviamente tentam organizar uma imigração em massa para a Europa.

* - Esta organização é uma filial do ISIS, que aqui mesmo, às portas da Europa, massacra regularmente cristãos. E só não massacra judeus porque nos países islâmicos já quase não os há. Já foram todos chacinados. Esta degola colectiva de cristãos ocorreu em Fevereiro deste ano, perante a IMPASSIVIDADE EUROPEIA E OBÂMICA:



Nas mentes deles, isto é uma invasão, que decorre, aliás, conforme planeado. E a islamização massiva da Europa já começou.
Como benefício adicional, os terroristas do ISIS/Daesh, recebem uma enorme quantidade de dinheiro com este tráfico humano, que juntam ao saque do petróleo líbio.
Os imigrantes pagam entre 1.000 e 2.000 € por pessoa aos traficantes, que acumulam fortunas. Os traficantes e contrabandistas do Magrebe, que promovem esta escravidão do século XX, sobrecarregam deliberada e cinicamente os barcos para que eles naufraguem. Dessa forma, sabem que comovem o coração sensível dos europeus **, incentivando o resgate dos náufragos e acelerando a invasão.

** - Manipulam a opinião pública do mundo civilizado tal como os terroristas do Hamas fazem com os escudos humanos em Gaza, fazendo crer que a culpa das mortes é de Israel.

Vitória! Mais uma barco carregado de invasores (analise-lhes bem a "pinta"...) que enganou os ingénuos europeus! E mais uma multidão de pessoas a viverem à nossa conta, a odiarem-nos e a destruírem a nossa Sociedade! A bem do Islão!

Trata-se de um círculo vicioso. A chantagem da Daesh consiste em lançar ao mar verdadeiras banheiras flutuantes com multidões a bordo.
O Estado Islâmico está por trás destas frotas altamente organizadas, e este êxodo é pensado pelos seus manipuladores como uma invasão escondida.
A estratégia é pensada para sensibilizar e desestabilizar a ingénua Europa.
90% dos imigrantes ilegais que entram em massa na Europa são muçulmanos. Em 16 de Abril, 12 cristãos africanos foram atirados ao mar pelos muçulmanos.
A Itália é a verdadeira porta de entrada para a invasão. O fenómeno dura há muito tempo, mas em pequenas doses. Desde que Kadáfi e a Líbia desapareceram, dando lugar ao caos instalado pelas milícias islâmicas, devido ao erro estúpido da operação militar franco-britânica (Sarkozy e Cameron), a porta está aberta à invasão.
 CONTINUA

Em França, uma percentagem já superior a 10% de população muçulmana está a lançar o crime, o terrorismo e o caos, e a inviabilizar o futuro do país:

 Isto não é imigração. Isto é INVASÃO!

Não queremos isto em Portugal! AJUDE!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.