terça-feira, 5 de maio de 2015

30% da ajuda internacional no Nepal é israelita. Sabia?

Esta foto de um soldado israelita com uma criança nepalesa ao colo está a tornar-se "viral". Ajude a espalhar este "vírus", e não se esqueça de acrescentar que os israelitas são apenas 8,345,000, mas 30% da ajuda internacional no Nepal é israelita.

Os judeus são apenas 0,18% da Humanidade. Uma percentagem ridícula. E os israelitas  ainda são uma percentagem menor da Humanidade. Boa parte dos judeus ainda estão espalhados pelo Mundo (como por exemplo os portugueses). No entanto, quando ocorrem catástrofes, a percentagem da ajuda israelita e judaica é desproporcional.

Na sequência do sismo que varreu o Nepal, Israel enviou um contingente de auxílio que perfaz 30% do total da ajuda internacional. Sem contar com os israelitas residentes no país, e com os que por iniciativa própria rumaram ao Nepal para ajudar.

Algumas pessoas poderão maliciosamente sugerir que Israel ajuda porque é um país rico. Não é verdade. Israel não tem petróleo, como acontece com todos os outros países do Médio Oriente. Israel enfrenta muitas dificuldades, que só com trabalho árduo consegue vencer. Há algumas famílias israelitas muito ricas, é verdade - como as há em Portugal, nos Estados Unidos, em Espanha, na China, em todo o lado. Mas os muito ricos, infelizmente, não são habitualmente muito dados à generosidade.

Algumas pessoas poderão maliciosamente sugerir que Israel ajuda para granjear simpatia internacional. Também não é verdade. A Imprensa mundial não só ignora as missões humanitárias de Israel, como se serve delas para denegrir o Estado Judaico. Veja-se por exemplo o caso do Diário de Notícias, que "acusa" Israel de dar prioridade no resgate a bebés e mulheres na fase final da gravidez.


 A equipa israelita de resgate salva uma mulher dos escombros após 5 dias de encarceramento.

Estaremos a sugerir que os judeus, ou os israelitas, são melhores que os outros seres humanos? De forma alguma. Também temos visto, com muita satisfação e orgulho, os montanhistas portugueses que resolveram ficar no Nepal para ajudar, e os agradecimentos da população local ao nosso País.

O que queremos mais uma vez sublinhar é que Israel (ao contrário dos mitos que os media propagam) é um país de gente boa e civilizada, como nós, portugueses. Com defeitos e qualidades. Como nós, portugueses. E como qualquer outro povo do Mundo.


Rabino Hillel (110 a.C. - 10 d.C.)

A odiada "tradição judaico-cristã" baseia-se no amor ao próximo. Cientes de que por fazermos citações da Torá/Antigo Testamento, seremos qualificados pelas pessoas "evoluídas" como fanáticos e ignorantes, aqui vai:

"Amarás o teu próximo como a ti mesmo."

Levítico 19:18/ Vayicrá 19:18 

Sobre este princípio, que é recordado por Jesus de Nazaré no Novo Testamento, disse um célebre Rabino de nome Hillel : "O que é odioso para ti, não o faças ao próximo. Este é o âmago do Judaísmo. O resto é apenas comentário."



Não queremos com isto dizer que é necessário ser religioso - ou ser judeu ou cristão - para se amar o próximo. Pessoas de todas as religiões o fazem. E pessoas sem religião o fazem, melhor que muitos religiosos. Mas não é menos verdade que a Civilização Judaico-Cristã tem como matriz a solidariedade, o amor desinteressado ao próximo, o tornar nossos os sofrimentos alheios. E devemos estar orgulhosos disso. Não envergonhados.

E já agora, se o Ocidente quiser encontrar no Médio Oriente o país que mais se lhe assemelhe, em democracia, em direitos humanos, em solidariedade, em liberdade, não há que enganar...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.