domingo, 2 de agosto de 2015

Terrorismo contra Árabes - Descubra as Diferenças



Os restos chamuscados de uma foto da família Dawabsha 

Segundo o site Honest Reporting, uma criança árabe, de seu nome Ali Dawabsha,  morreu num incêndio que se supõe ter sido iniciado por extremistas (terroristas) judeus, que terão atirado um cocktail Molotov contra a casa da família, em Duma, perto de Nablus, no território da Judeia e Samaria.

Graffiti em Hebraico com as palavras “Vingança” e “Viva o Messias”, juntamente com um desenho de uma Estrela de David, foram pintados nas paredes da casa. Os media israelitas estão a dar toda a cobertura ao ataque e às suas consequências.

Os pais, Saad e Riham, e o irmão Ahmed, de quatro anos, ficaram gravemente feridos no ataque e estão hospitalizados, entre a vida e a morte.

--------------------------

Ao malogrado Ali, e à sua família, de nada servem mais considerações.  

Nós condenamos veementemente este acto, sejam quem tenham sido os seus autores e lamentamo-lo sinceramente. 

Sabemos, no entanto, que, a confirmar-se que foram judeus, o caso correrá mundo. Quanto ao morticínio de judeus pelos colonos árabes, encorajado e pago pela Autoridade "Palestina", pelo Hezbollah, pelo Hamas, e por tantos outros grupos terroristas, desses massacres, não chegam notícias ao Ocidente. 

Se os colonos árabes não praticassem uma política exclusivamente dirigida ao ódio, ao terrorismo sem tréguas, à extinção de Israel e dos judeus, não haveria retaliações episódicas de judeus que resolvem responder na mesma moeda. E que são exemplarmente punidos, se se confirma a sua responsabilidade. 

Porque se é verdade que há judeus que pagam na mesma moeda, é verdade também que Israel os pune exemplarmente. Não saem da cadeia após um ou dois anos, como acontece a milhares de terroristas árabes.

Estes são os 5 membros da família Fogel, assassinados durante o sono, por serem judeus. Imagens e vídeo explícitos AQUI.

Doces são distribuídos na cidade de Rafah, em Gaza, em celebração do massacre da família Fogel. É a regra, sempre que há massacres de judeus. 

--------------------------
Alguns posts em que ilustramos a diferença de política entre as lideranças israelitas e islamistas, e a diferença de tratamento pelos media:

Uma homenagem às vítimas do Terror

"Matar judeus é adorar Allah" 

Abbas distingue mais uma terrorista

E o Mundo nada diz

Eh pá, mas taqyia!!!

Pedido das famílias dos quatro rabinos assassinados

Massacre em Jerusalém, Festa em Gaza!

Mais uma chacina em Jerusalém

Hamas celebra chacina na sinagoga 

24 órfãos - Hamas distribui doces

Abbas, o Biface

A lista poderia continuar indefinidamente, e do terrorismo diário contra os judeus só demos breves pinceladas neste blogue...

------------------------------------------

A terrorista islâmica Ahlam Tamimi coordenou o ataque que vitimou 15 judeus em Jerusalém, numa pizzaria. Foi libertada, foi recebida em triunfo pelas suas lideranças políticas, e ei-la, feliz, a regozijar-se por ter assassinado mais crianças do que pensava:



Lembrando o ataque terrorista:


As crianças judias, para os media globais, não são gente. Esta não morreu, como era seu dever, seu papel no mundo e sua vocação natural...

Aos supremacistas de todos os sectores, e especialmente aos supremacistas islâmicos, que através de grupos como o Hamas, o ISIS, o Boko-Haram, a Irmandade Muçulmana, e de regimes como o do Irão ou o da Síria, procuram submeter ou extinguir quem é diferente, relembramos o discurso do Imperador da Etiópia, Haile Selassie I, em 1963, nas Nações Unidas:
 
"Enquanto a filosofia que considera 
uma raça superior e outra inferior
não for total e permanentemente 

desacreditada e abandonada,
haverá sempre guerra"

Não foi livre de erros a sua acção política, mas esta tirada é lapidar.

E agora vou de féria. Até à vista...

4 comentários:

  1. Bem lembrado .... estava para escrever sobre isto.
    A autoridade palestiniana tem o desplante de ameaçar com processos quando premeia os que, do seu lado, chacinam civis israelitas.

    Os media aproveitam qq coisa para atacar Israel mesmo sem saberem se foram israelitas a realizar o crime.

    ResponderEliminar
  2. Comentem por favor sobre a aliança entre Obama, Al Qaeda, e Irmandade Muçulmana:

    http://perigoislamico.blogspot.com.br/2015/08/muculmanos-matam-mulher-crista-por-esta.html

    ResponderEliminar
  3. Depois na TV dizem que são "colonos israelitas": Israelitas na sua própria terra classificados como colonos! Não há decência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida. Os media estão maioritariamente do lado dos islamistas.

      José J.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.