segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Na Polónia, outra vez "sabão"...




As autoridades polacas tomam mais uma vez partido pelos carrascos contra as vítimas, em mais uma demonstração lamentável de que o proverbial antissemitismo polaco esteve 70 anos escondido, mas bem vivo. Agora resolveram levar um activista pró-Israel a julgamento.  

Tadeusz Markiewicz, um ex-aluno polaco da Universidade de Haifa, foi indiciado na Polónia por organizar uma manifestação pró-Israel em frente à embaixada israelita em Varsóvia, durante a Operação Protecção-Limite, no Verão passado.
As autoridades polacas decidiram que a manifestação, em que participaram várias dezenas de pessoas, foi ilegal. A manifestação foi organizado como contra-protesto a um comício pró-"palestino" (pró-Hamas, pró-terrorismo) que decorria ao mesmo tempo.  

O julgamento será realizado no próximo mês, e Piotr Kadlcik, o presidente da União das Comunidades Religiosas Judaicas da Polónia, vai testemunhar. Kadlcik estava entre os que tomaram parte na manifestação. Se condenado, Markiewicz será multado em 800 dólares.
Markiewicz, membro activo da comunidade judaica na Polónia, disse: "A manifestação pró-'palestina' foi violenta, e alguns dos seus participantes fizeram observações antissemitas, tais como: 'Nós vamos fazer sabão de vocês!'. O problema é que o nosso comício durou mais do que a Polícia havia autorizado, e eu, como organizador, estou a ser responsabilizado por isso". 
E acrescentou: "A polícia agarrou-se a esta questão trivial, mas não abordou os apelos antissemitas e de apoio ao Hamas [por parte dos manifestantes pró-'palestinos'], que são ilegais na Polónia. No momento, estamos a lutar pela liberdade de expressão no nosso país. O Tribunal está a desperdiçar o meu tempo, o meu dinheiro e recursos públicos."


Quando vários países europeus expulsaram os judeus, entraram em declínio. Os judeus são inteligentes, empreendedores, trabalhadores (e eu estou por demais à vontade para o dizer, pois não sou judeu). Veja-se os Descobrimentos, e o papel decisivo que os judeus tiveram. Quando os mesmos países permitiram o regresso dos judeus, ou que deixassem de viver em condições sub-humanas, a Europa entrou em ciclo de prosperidade de novo. Depois veio o Holocausto, o extermínio bárbaro dos judeus, e veja-se como estamos. Somos a chacota do Mundo.

Na Polónia, na Lituânia, na Rússia, em diversos lugares do Velho Continente, a vida está de novo a tornar-se impossível para os judeus. Os judeus estavam cá na Europa centenas de anos antes da fundação da maior parte das nacionalidades europeias. São cidadãos leais, como quaisquer outros, de quaisquer outros grupos religiosos, étnicos ou culturais. Mas o velho monstro do antissemitismo persiste. E os judeus vão-se, a pouco e pouco. E a Europa volta a afundar-se, mais e mais. Faltam os cérebros e a força de trabalho deste grupo humano tão peculiar, que moldou a nossa Civilização e que nós estamos a descartar, trocando-os por invasores que nos vêm submeter, de novo.

Os polacos querem voltar a fazer "sabão" dos judeus. Bem faz Netanyahu, que pede aos judeus europeus para se refugiarem na Terra dos seus antepassados, a minúscula Israel, que apesar de pequenina, com boa vontade, tem sempre lugar para mais umas centenas - que é o que os judeus são hoje em cada país europeu. Ainda hão-de chorar por aqueles de quem hoje querem fazer "sabão". E com eles chorarão os que, como eu, abominam o antissemitismo, o racismo, todas as formas de discriminação, ódio e totalitarismo.

1 comentário:

  1. A Europa sem judeus não é nada...toda a tecnologia vem dos judeus,são pessoas intergas,intelegentes,e submissas e trabalhadoras...tudo está acontecer com previsto..e a Europa ainda vai sofrer muito por ser anti Israel

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.