sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Deputado cristão sul-africano arrasa BDS


Nazis do BDS levam a pior com Matisyahu


Vimos recentemente como a organização antissemita BDS mostrou a sua verdadeira face em Espanha, ao boicotar a presença do cantor Matisyahu num festival de reggae, por este ser judeu. 


A BDS recorre frequentemente à propaganda de estilo nazi, sem quaisquer escrúpulos. Uma das estratégias é acusar Israel de apartheid, e nem se coíbe de usar o Photoshop para produzir medíocres montagens de Mandela com um lenço à moda do terrorista Arafat, a dizer mal de Israel. Tão ridículo... 



De apartheid percebia também Martin Luther King, um homem de Paz, um herói e um grande Amigo de Israel...

Na falta de melhor, os neo-nazis da BDS inventam citações antissemitas e atribuem-nas às mais diversas personalidades - de preferência já falecidas, como é o caso de... Einstein! Para além de ridículo!!!

Pessoas de bem de todo o mundo estão a condenar a BDS. Se mais gente se chegasse à frente, o terrorismo, o Nazismo, as ditaduras - o Mal, enfim - não vingariam.


Deputado sul-africano: "Nada em Israel se assemelha a 'apartheid'"
O membro do Parlamento Sul-Africano Kenneth Meshoe manifestou-se contra a alegação dos activistas do movimento Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS), de que Israel é um "Estado de apartheid".
"Há muitos cristãos que apoiam Israel, mas que não se manifestam ... Aqueles que sabem o que  apartheid realmente é, como eu sei, sabem que não há nada em Israel que se pareça com apartheid", disse Meshoe, que é o presidente da Partido Democrata Cristão Africano, ao Canal 10. E acrescentou que aqueles que apoiam Israel na África do Sul frequentemente se deparam com "intimidação".
A visão de que Israel é um estado de apartheid, disse ele, "é uma declaração política vazia que não detém a verdade. Em Israel pode ver-se a coexistência entre pessoas de diferentes cores, origens e religiões".
"O movimento BDS é uma verdadeira dor para nós, os que na África do Sul amamos a verdade. O movimento BDS não é um movimento democrático; eles são um movimento de intimidação, um movimento que pratica o ódio. As pessoas que não acreditam no ódio não devem permitir que o movimento BDS as impeça de fazer o que está certo", acrescentou Meshoe ao Jerusalem Post.
Meshoe fez os comentários no contexto de uma discussão sobre a recente controvérsia envolvendo a estrela do reggae judaica Matisyahu, que foi banido de um festival de música em Espanha devido à pressão da BDS pela sua recusa em aderir à exigência do festival de que apoiasse publicamente um Estado palestino, mas mais tarde, foi re-convidado.
Por: JNS.org

1 comentário:

  1. Meshoe, que é o presidente da Partido Democrata Cristão Africano, declarou em entrevista ao Canal 10:"A visão de que Israel é um estado de apartheid, é uma declaração política vazia que não detém a verdade. Em Israel pode ver-se a coexistência entre pessoas de diferentes cores, origens e religiões".
    " O movimento BDS não é um movimento democrático; eles são um movimento de intimidação, um movimento que pratica o ódio. As pessoas que não acreditam no ódio não devem permitir que o movimento BDS as impeça de fazer o que está certo", acrescentou Meshoe ao Jerusalem Post.
    Meshoe fez os comentários no contexto de uma discussão sobre a recente controvérsia envolvendo a estrela do reggae judaica Matisyahu, que foi banido de um festival de música em Espanha devido à pressão da BDS pela sua recusa em aderir à exigência do festival de que apoiasse publicamente um Estado palestino, mas mais tarde, foi re-convidado.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.