quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Nazis do BDS levam a pior com Matisyahu


BDS põe estrela amarela em Matisyahu 



O Festival  Reggae Rototom Sunsplash de Espanha, que tinha cedido aos apelos do bando pró-terrorista islamonazi BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções), renovou o seu convite ao cantor de reggae - norte-americano e judeu - Matisyahu.

Matisyahu tinha sido enxotado do festival por esse bando de criminosos, que reúne canalhas de extrema esquerda e de extrema direita, desde hippies bloquistas a engravatados ultra reaccionários leitores de "O Diabo".

A organização do festival entretanto "des-baniu" Matisyahu, porque porque milhões de admiradores de Matisyahu e amigos de Israel ao redor do Mundo se levantaram, e o tiro começou a sair-lhes pela culatra. 

É que o BDS - a que pertencem nazis paranóicos como o Roger Waters dos Lagartos Espaciais - afirma sempre que não é antissemita. Que é ""só" contra a existência de Israel. 

A mesma conversa gasta de todos os antissemitas - não são contra os judeus, são "apenas" a favor de entregar Israel nas mãos dos muçulmanos - para que estes os chacinem. Como fez Hitler e como os muçulmanos fazem há 1.400 anos.  

Esta gente nem tem nada contra os judeus, só tem contra os judeus VIVOS. Contudo, e por muita raiva que lhes meta que o povinho mais pequenino e humilde do Mundo continue a existir, terão que se conformar, pois Israel não perecerá. Palavra do Altíssimo não se pode contrariar.



Matisyahu é nosso companheiro fiel. A maior parte dos posts que aqui alinhavamos, é ao som da sua música.

A NOVA FACE DO NAZISMO

O boicote "chocante e puramente anti-semita" foi denunciado por todas as pessoas de bem, que não querem ver a Europa voltar aos sombrios tempos do Nazismo. Os ecos do protesto chegaram ao Governo espanhol, e até o Ministério dos Negócios Estrangeiros condenou cancelamento. 

Os organizadores do Rototom Sunsplash acabaram por emitir ontem um pedido público de desculpas a Matisyahu, e confirmaram que os organizadores do festival tinham cedido à pressão dos terroristas do BDS.

Em Gaza, o Hamas, tal como por exemplo o ISIS no Califado, doutrinam as crianças no ódio aos judeus e aos infiéis em geral. No Mundo Livre, os islamonazis do BDS também fazem lavagem ao cérebro às crianças:

Na página web oficial do festival, o Rototom Sunplash admite que cometeu um erro, vergado pelas ameaças de boicote e pela campanha de pressão, coerção e ameaças empregadas pelos islamonazis do BDS País Valencià, porque temeu que o funcionamento normal do festival poderia ser ameaçado.  

Tudo isto junto, "impediu a organização de raciocinar claramente sobre a forma de lidar com a situação adequadamente."

 
Islamonazis em manifestação antissemita. Cá em Portugal, esta maralha louçã tomou as ruas no Verão passado, em solidariedade para com os terroristas do Hamas, na exigência de que Israel se deixasse trucidar pela chuva de dezenas de milhar de mísseis (que durou duas semanas até Israel sair dos subterrâneos e responder - inédito na História da Humanidade!).

Comemorando a vitória inicial, o BDS Valencia tinha classificado o cancelamento do concerto como um "sucesso" e um "grito de solidariedade popular" com os "palestinos". Obviamente que o BDS não pode estar-se mais nas tintas para os tais "palestinos". O que os move é apenas a esperança de extinção dos judeus!


 

Matisyahu é sem dúvida o músico reggae não jamaicano de maior projecção mundial.

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS CONTRA DISCRIMINAÇÃO

Em obediência aos islamonazis do BDS, o Rototom exigiu que Matisyahu, a fim de participar, expusesse os seus pontos de vista sobre a criação de um Estado palestino e sobre as acções militares de Israel durante a Operação de Protecção-Limite, contra terroristas do Hamas na Faixa de Gaza no Verão passado.

- Em posts sobre Operação Protecção-Limite, ilustrados com vídeos, tais como  Comparar baixas é MANIPULAÇÃO, mostrámos os ataques dos terroristas contra os civis israelitas, a resposta de Israel, o uso de escudos humanos pelos terroristas, a sua exortação a que os habitantes de Gaza se fizessem matar (enquanto os chefes se abrigavam nos bunkers das suas mansões luxuosas) e a sua propaganda despudorada, que incluiu, como sempre, falsas baixas e encenações das mais nojentas.

"A exigência de uma declaração pública, que só foi feita a Matisyahu, é uma violação de consciência, e apenas existiu porque ele é judeu, o que desafia o princípio da não discriminação, que é a base para todas as sociedades plurais e diversificadas", afirmou o Ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol  na terça-feira. 

Apostamos que nas próximas edições de "O Diabo" e do "Avante!" a leitura destas sensatas declarações será que o festival se "rendeu ao lóbi Sionista", e que o cantor foi re-convidado porque "os judeus não gostaram" que fosse enxotado.O antissemitismo é uma grave doença mental...

BATALHA GANHA - E A GUERRA GANHA SERÁ!



Matisyahu - "O meu objectivo é fazer música para todas as pessoas."


Nas suas declarações sobre o cancelamento, Matisyahu explicou na terça-feira: "O festival continuou a insistir que eu esclarecer as minhas opiniões pessoais; o que me pareceu uma clara pressão para concordar com a agenda política do BDS. Honestamente, foi terrível e ofensivo, que, como artista judeu-americano publicamente previsto para actuar no festival, eles tenham tentado coagir-me a fazer declarações políticas. Algum dos outros artistas foi obrigado a fazer declarações políticas, a fim de poder tocar? Nenhum artista merece ser colocado em tal situação, simplesmente para fazer a sua arte. Independentemente da raça, credo, país, cultura, etc., o meu objectivo é fazer música para todas as pessoas. Como músicos que é o que buscamos. "

Na sua declaração, o Rototom afirmou que "rejeita o anti-semitismo e todas as formas de discriminação contra a comunidade judaica; que respeita a sua cultura e as suas crenças religiosas e que pede sinceramente desculpas pelo que ocorreu ". O que só lhe fica bem!


COMBATER O ÓDIO

Além disso, "depois de 22 anos de história, o Rototom Sunsplash reafirma o seu compromisso com uma cultura de paz e respeito entre as culturas, incluindo a liberdade de crença, tal como reconhecido na Declaração Universal dos Direitos do Homem e na Constituição espanhola."

"Em nome da comunidade judaica espanhola, agradeço aos organizadores pela sua declaração, e esperamos que lições tenham sido aprendidas para o futuro. Precisamos estar juntos e trabalhar juntos na luta contra todas as formas de racismo, anti-semitismo e ódio", declarou a Federação de Comunidades Judaicas da Espanha.

E JÁ AGORA...

Precisamos de facto de estar juntos, todas as pessoas de bem. E já que é de reggae que falamos, já alguém se dignou investigar o que é afinal a religião rastafari, tradicionalmente associada à música reggae? Sou fã de reggae desde que esse som incomparável foi criado, mas confesso que fico aturdido com aspectos do culto rastafari, nomeadamente com o Real Manuscrito da Supremacia Negra, que advoga, no seu capítulo 43, a morte dos povos anglo-saxónicos... Ou isso, ou por eu não consumir ganja, se calhar está-me a passar o sentido do que está lá escrito...

1 comentário:

  1. É assim mesmo. Mais activismo contra os seguidores de Hitlers e os fachas do mundo actual. Viva Israel, viva a democracia encravada no meio de abutres islâmicos, viva a civilização, viva a liberdade ... viva Israel.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.