terça-feira, 25 de agosto de 2015

Paulo Farinha - Sei o que disseste no Verão passado



    «FILHOS DA PUTA! MIL VEZES FILHOS DA PUTA! FILHOS DE UMA GRANDÍSSIMA PUTA!» - a opinião de PAULO FARINHA, Editor da revista NOTÍCIAS MAGAZINE (DN/JN), sobre os israelitas, por estes se terem atrevido a não morrer todos no Verão passado.


 Wojciech Cegielski, Karolina Rożej e Roman Czejarek, em Gaza, no Verão passado.


O repórter polaco Wojciech Cegielski descreve no Haaretz (um jornal de esquerda israelita) como o Hamas usou jornalistas como escudos humanos durante a Operação de Protecção-Limite
O artigo chama-se: "EU VI O JOGO CRUEL E EGOÍSTA DO HAMAS EM GAZA".


Porque é que só agora ele teve a coragem de contar a VERDADE? Naturalmente, porque no seu país, no seu jornal, Wojciech Cegielski deve ter chefes como Paulo Farinha, que é editor da revista Notícias Magazine (DN/JN). E deve ter colegas como as jornaleiras da brigada islamista do Al-Público.

O "director farmacêutico" Paulo Farinha precisa de uns comprimidos de imparcialidade e esclarecimento...
Imaginemos que um jornalista do Notícias Magazine chegava de Gaza com os factos para contar e encontrava o chefe aos gritos de "Filhos da puta! Mil vezes filhos da puta! Filhos de uma grandíssima puta!". Naturalmente que metia a reportagem no saco e se deitava a escrever um artigo sobre o quão malandros são os israelitas, e até era capaz de dizer que os mísseis do Hamas como os que explodiram na escola da ONU foram lançados por Israel, como afirma o torpe Nuno Lobito, o tal que clama "Inch' Allah!" - reler Israel ataca escola da ONU, ou as tretas do costume.

Os filhos dos jornalistas também precisam de comer! De modo que, mesmo que sejam gente decente, poucos arriscam...

Transcrevemos uma passagem do artigo:
     A segunda história aconteceu a meio do dia. Eu estava sentado com outros jornalistas num café de um dos hotéis perto da praia. Em tempo de guerra, estes hotéis são ocupados por Imprensa estrangeira e algumas ONG's. Cada hotel está cheio e nos seus cafés muitos jornalistas passam o seu tempo a discutir, escrever, editar histórias ou apenas a recarregar os telefones. De repente, vi um homem disparando um rocket de entre os hotéis. Era óbvio que nós, jornalistas, nos tornava-mos um alvo. Se o IDF respondesse, estaríamos todos mortos. O que pretendia o Hamas? Não seria surpreendente ouvi-lo depois queixar-se da "cruel matança  do regime Sionista sobre a Imprensa inocente e livre."



E é desta guisa que o Mundo continua a odiar Israel. Não é apenas por antissemitismo. É porque a Imprensa ENVENENA as pessoas contra Israel.

Israel é a única (e minúscula) democracia do Médio Oriente. Israel é um país legítimo, com uma legitimidade de 5 milénios, que na região talvez nenhum outro tenha. Israel é rigorosamente cumpridor do Direito Internacional. Israel é atacado todos os dias por terroristas islâmicos iguais aos do ISIS, do Boko-Haram ou da Al-Qaeda. Os israelitas (sobretudo as crianças) são atacados diariamente - com mísseis, a tiro, com bombas, à facada, de todas as formas possíveis.

Israel foi atacado no Verão passado, pelo Hamas, com uma chuva de mísseis ininterrupta, que durou duas longas semanas, com os israelitas todos metidos nos abrigos anti bomba. O país não poderia continuar parado, ou os israelitas morreriam de fome, e o IDF saiu a neutralizar os terroristas do Hamas em Gaza. Fê-lo contra um inimigo que pretendia ter baixas civis, que disparava do meio da multidão, que tinha os seus quartéis generais em casas de habitação, escolas, mesquitas, hospitais. E só aí a Imprensa e o Mundo acordaram.

Israel foi criticado por ter padrões humanitários para evitar vítimas civis, que nenhum outro Exército no Mundo usa! Soldados israelitas morreram vítimas da estratégia vil das "crianças-isco"

As guerras provocadas pelo Hamas destinam-se a produzir baixas e a instigar o ódio contra Israel. Se a Imprensa não alinhasse nessa farsa, seria meio caminho andado para o fim do conflito. Infelizmente, com Paulos Farinhas, continuarão a morrer inocentes de ambos os lados.


O Exército Mais Moral na História da Guerra

Comparar baixas é MANIPULAÇÃO

 O país sem direito à VIDA!

Não fossem os escudos humanos...

MAS!!!.. MAS!!!... MAS!!!... - 1 

MAS!!!.. MAS!!!... MAS!!!... - 2

 MAS!!!.. MAS!!!... MAS!!!... - Conclusão


1 de Agosto de 2014 -  90 minutos após o cessar-fogo, os terroristas do Hamas emergiram de um túnel dentro de Israel, detonaram um bombista suicida e levaram um refém israelita. A leitura que o Ocidente faz deste acontecimentos é que "eles estão tão desesperados que até se matam". A realidade é outra: eles odeiam mais os infiéis do que amam a própria vida. E querem ir para o Paraíso islâmico.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.