sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O Matrouk das Dúzias


Mais 12 judeus esfaqueados. Estes ataques são tantos, que se fôssemos dar-vos conta de todos, precisávamos de ter um blog especializado. E com equipa reforçad!

Os ataques contra judeus e outros israelitas, nomeadamente nos transportes públicos em Israel, são o pão nosso de cada dia. Os colonos muçulmanos, incentivados pelos grupos terroristas Hamas, pela Fatah (do terrorista Mammoud Abbas) e por outros gangues islâmicos, atiram-se aos israelitas como gato a bofe. É a sua única razão de viver: matar judeus!

A Imprensa Ocidental, quando há ataques, mortes, massacres de judeus às mãos dos colonos muçulmanos, raramente dá a notícia. E se dá, dá-a de forma ambígua - e não faltam defensores dos terroristas..

Anteontem, o terrorista islâmico Hizme Matrouk, um colono árabe de 23 anos, residente em Tulkarem, na Samaria, entrou no autocarro número 40, logo pela manhã, sacou do facalhão e desatou a atacar indiscriminadamente as pessoas normais, que iam trabalhar - para o sustentar e a outros calaceiros e terroristas como ele.

Estas são as primeiras imagens:




Reparem que na fuga, o colono ainda esfaqueia uma mulher que ia a passar. Tinha que perfazer um número giro - uma dúzia, por exemplo. Assim pode passar à galeria dos heróis "palestinos" com o glorioso cognome de O Matrouk Das Dúzias! Um grande Salam Aleikum para o Matrouk!



  

O terrorista foi caputurado, e esta é a imagem da sua detenção, que vai fazer as delícias dos antissemitas de todo o mundo, com legendas do tipo: "Polícia israelita espanca barbaramente jovem 'palestino' depois de lhe cortar as oliveiras, roubar a água do poço e apreender as metralhadores e os Legos todos!".

Este ataque terrorista é resultado directo da campnha de promoção do ódio e do assassínio por parte da Autoridade "Palestina", de Mammoud Abbas, que o Ocidente tem por "moderado"Abbas, que esteve na primeira fila da manifestação anti-terrorista de Paris (a rir-se), incita, celebra e recompensa os ataques contra judeus.

A "moderada" Fatah tem promovido nos últimos meses uma campanha especialmente venenosa a incitar ao assassínio do judeus. Para grande alegria de Abbas, têm morrido muitos judeus, incluindo crianças - um bónus sempre muito apreciado pela comunidade terrorista islâmica.

Este é um dos vídeos em que se ensina como esfaquear judeus como deve ser:



É isto que a Imprensa incute na opinião pública ocidental como sendo natural e legítimo. Estes colonos muçulmanos que chacinam judeus em Israel e no mundo inteiro não são terroristas! São "combatentes"! São "resistentes"! São "cheguevaras"!

SOBRE OS AUTOCARROS

Há pessoas que chegam a certas regiões de Israel e ficam "horrorizadas", porque há linhas de autocarro para israelitas e outras para colonos muçulmanos. A Imprensa aproveita-se disso e passa a sua mensagem distorcida. É que, como explicámos, por exemplo, no post "Quem Segrega Quem?", os malandros dos judeus não gostam (olha os finórios, hein!!!) de ser atacados à facada, a tiro ou à bomba, quando apanham o transporte público:



 Terrorista tenta esfaquear israelita num autocarro


Nenhum país (seja ele Israel, França, Reino Unido, ou qualquer outro), deveria ser obrigado a abrigar terroristas dentro das suas fronteiras. Israel (e os países afectados pela praga do terrorismo islâmico) deveria REPATRIAR todos estes indivíduos! 

Muçulmanos (ou quaisquer outros cidadãos) que respeitem e cumpram as leis nacionais, obviamente que são bem-vindos em qualquer país democrático.

Contamos voltar a este assunto. Não por ter sido excepcional, já que os ataques islâmicos são a regra, o trivial, mas porque há ilações interessantes a tirar deste caso, no período que atravessamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.