quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Boa viagem, David Munir!



O cartunista muçulmano (que, como todos os muçulmanos e o Alcorão, advoga a extinção dos judeus), diz ao desenhador dinamarquês que é ofensivo desenhar o Maomé.
- Arquivo de Cartunes.

DUPLO PADRÃO RIMA COM ISLÃO

O clássico duplo padrão islâmico é sempre um "must"! Não têm conta as exposições de cartunes e arte antissemita nos países deles. Mas se alguém desenha o seu bendito profeta - nem é preciso fazer uma piada, basta representá-lo, em desenho, pintura, teatro, etc.! - tem automaticamente uma sentença de morte sobre si!


Sacos de lixo ambulantes riem-se numa exposição de cartunes antissemitas, em Teerão

E eles não pretendem apenas fazer humor e cultura. Eles defendem a chacina  total dos judeus e de todos os não muçulmanos. Conversão, submissão, escravidão, ou morte, é assim a regra do Islão. Se duvida, informe-se.

"POR FAVOR, VÃO-SE EMBORA!"

Os cartunes dinamarqueses. A falta de sentido de humor e a não permissão de opiniões e pontos de vista diferentes, é sempre reflexo de espíritos atrasados ou alienados.
A propósito da "polémica" dos cartunes dinamarqueses, em 2005, o site Face of Muhammed (A Cara de Maomé), escreveu, em 2006:

Por favor, vão-se embora!


Caros muçulmanos,

Se não gostam do meu país, por favor vão-se embora.
Se não gostam da maneira como as nossas mulheres se vestem, por favor vão-se embora. 
Se não gostam da nossa separação entre política e religião, por favor vão-se embora. 
Se apoiam respostas violentas às críticas ao Islão, por favor vão-se embora. 
Se apoiam o terrorismo, sob qualquer forma ou meio, por favor vão-se embora. 
Se não aceitam desenhos satíricos nos nossos jornais, por favor vão-se embora. 
Se não apoiam a democracia e a liberdade de expressão, por favor vão-se embora do meu país!
Eles não foram. terão de ser deportados.

TEMPESTADE DE ISLAMOFILIA

Na sequência do caso dos cartunes, o idiota dinamarquês Jens Byskov, com um cartaz a pedir desculpas aos muçulmanos por estes andarem a chacinar inocentes. É esta a imagem da submissão.

Era de esperar. Muita Imprensa, após este ataque, está "preocupada" com o possível "aumento da islamofobia" (!!!).

Uma amostra da tempestadde de islamofilia dá-a um leitor da Lura do Grilo:

New York Times: “What What We Don’t Know: The reason Charlie Hebdo was targeted”

Financial Times: “Some common sense would be useful at publications such as Charlie Hebdo”

Variety: “Charlie Hebdo carnage will likely fuel the racism and anti-Islam sentiment which has been on the rise in France”


Telegraph: “Charlie Hebdo attacks: Anti-Islam parties are now on the march across Europe”

Outra do Telegraph de hoje: “France faces rising tide of Islamophobia”

NY Daily News: "Charlie Hebdo terror attack victims were cartoonists, journalists who defiantly pushed the envelope even after their offices were firebombed in 2011"

Apostamos que haverá IDIOTAS que virão até pedir desculpas aos muçulmanos. Na Dinamarca houve-os. É de saudar, contudo, que houve jornais que perceberam que ter medo é pior. O Correio da Manhã, por exemplo, publicou uma miscelânea de cartunes do Charlie Hebdo, focando várias personalidades, religiões e casos da actualidade internacional. E os jornalistas deram a cara pela liberdade de Imprensa e pela cultura. Apesar de haver leitores que acham que ninguém se deve meter com o Islão, porque "quem semeia ventos colhe tempestades"!




AS BESTAS REGOZIJAM-SE




No mundo islâmico, a habitual euforia celebratória, que vai do ISIS às redes sociais. Exemplos:

"O Charlie Hebdo foi atacado... Nem me aquece nem arrefece! Mas é bem-feita. Cada um tem o que merece."
"É para aprenderem por dizer que o corão é merda" "10 mortos e 5 feridos, mais tarde ou mais cedo iriam pagar pelas caricaturas"
"Os filhos da p*** do Charlie Hebdo mereciam a morte 100 vezes. Bem-feita."
"O bordel Charlie Hebdo. Ahah estou muito contente com o que aconteceu aos filhos da p*** racistas. Ahahahahaha vou-me rir na sepultura deles"

A APOLOGIA DO MEDO


 "TOLERA OS INTOLERANTES, INFIEL!" - a situação é tão simples quanto isto!

Gustavo Santos, mental coach e apresentador do programa "Querido, Mudei a Casa", já veio defender que a Imprensa deve submeter-se ao Islão. Um pensamento muito perigoso, porque é o que a Imprensa mais tem feito, e a que não se submete tem este fim. O Gustavo, decerto não familiarizado com estas coisas, não percebeu que a SUBMISSÃO da Imprensa é apenas o começo:


"Liberdade de expressão é uma coisa, desrespeito gratuito e egóico pelas mais altas crenças dos outros, sejam elas quais forem, é outra. Infelizmente, um e outro ponto colidiram hoje. Que uns sejam apanhados e severamente julgados pelo que fizeram e que outros, os que tiveram sorte e ficaram, assim como tantos outros que fazem carreiras a ridicularizar a verdade de quem não conhecem de lado nenhum, aprendam alguma coisa com isto!
Opinar sim, questionar também, agora gozar sistematicamente com convicções alheias é que me parece despropositado. Além disso, sempre que desrespeitamos alguém desta forma, estamos a trazer uma potencial ameaça para a nossa vida!
Cuidem-se!
Boa tarde!"

Ninguém "gozou sistematicamente", Gustavo! Os cartunes vieram em 2011, na sequêncioa da mortandade global promovida pelos muçulmanos, a propósito do filme "A Inocência dos Muçulmanos", que apenas dizia o que eles mais temem: a VERDADE!

"Nós também sabemos ser life coachers e estamos aqui para ajudar o Gustavo.
Claro que tem toda a liberdade de expressão para escrever/dizer o que lhe apetecer, mas nós quisemos ajudá-lo a expressar-se melhor. Um abraço!"



PELA BOCA MORRE O XEQUE

Mas nem tudo são más notícias. Para além de não considerar o Hamas um grupo terrorista, e de terem saído da sua mesquita alguns "combatentes" do ISIS, o amigo Munir disse qualquer coisa como "se não estão contentes por viver num país liberal então que se vão embora para outro em que se sintam mais à vontade."

"O Charlie Hebdo foi atacado... Nem me aquece nem arrefece! Mas é bem-feita. Cada um tem o que merece." "É para aprenderem por dizer que o corão é merda" "10 mortos e 5 feridos, mais tarde ou mais cedo iriam pagar pelas caricaturas" "Os filhos da p*** do Charlie Hebdo mereciam a morte 100 vezes. Bem-feita." "O bordel Charlie Hebdo. Ahah estou muito contente com o que aconteceu aos filhos da p*** racistas. Ahahahahaha vou-me rir na sepultura deles"


Boa viagem, Munir!

2 comentários:

  1. Dizem por aí que é um santo. E que a Mesquita é um exemplo!

    Os cristãos de Mossul só diziam: os nossos vizinhos muçulmanos ainda ontem vinham tomar chá connosco agora tentam matar-nos.

    ResponderEliminar
  2. Este Sr está no altar da imprensa portuguesa.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.