sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Isto não tem nada a ver com o islão

O islão é uma ideologia fascista totalitária. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
O islão é a mais bárbara ideologia existente à face da Terra. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
O corão é mais intolerante do que o Mein Kampf. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
Há muçulmanos-nominais moderados, mas não há um islão moderado. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
O livro religioso dos muçulmanos apela ao sexo com meninas pré-pubescentes; à morte dos infiéis; à posse de escravas sexuais; ao terror generalizado; à descriminação negativa e ofensiva dos infiéis; à morte de quem diz palavras iníquas acerca de maomé e de alá. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
Devido à taqiyya, não se pode dar um cêntimo por aquilo que um muçulmano diz. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
O islão é incompatível com os valores da civilização. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
O islão segue um falso-profeta que o mais certo é nunca ter existido. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
O corão tem tanto de divinamente inspirado como as frases que se lêem nas partes de trás portas das casa de banho. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
Maomé, apesar de ser o modelo moral intemporal para qualquer seguidor do islão, é um ser execrável. Mas, por favor, não me interpretem mal: o que eu digo não tem nada a ver com o islão.
Etc.



UPDATE: Pat Condell vai na mesma linha das palavras anteriores:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.