quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Massacre em Jerusalém, Festa em Gaza!


Os habitantes de Gaza, apoiantes massivos do bando terrorista Hamas, do ISIS e de tudo quanto seja terrorismo islâmico, queridos entre queridos da Imprensa Mundial e de muita opinião pública ocidental, celebram mais esta chacina de judeus, os tais "infiéis" que o Corão define como «filhos de macacos e porcos».

Quando o líder terrorista islâmico global Osama bin Laden mandou desviar os aviões de passageiros e os atirou contra as Torres Gémeas e o Pentágono, assassinando milhares de «infiéis», o regozijo em Gaza foi o mesmo:


Mas é disto que certa opinião pública e a Imprensa gostam!

Um trio de terroristas entrou numa sinagoga e procedeu ao massacre inocentes, a tiro e à machadada, causando 5 mortos (um jovem polícia israelita druzo sucumbiu entretanto aos ferimentos) e mais 8 feridos graves - ver posts anteriores: 

Mais uma chacina em Jerusalém

Hamas celebra chacina na sinagoga 

24 órfãos - Hamas distribui doces

Abbas, o Biface

A visceralmente antissemita Imprensa mundial, tem estado silenciosa, neste e nos ataques anteriores, ou então tem referido, como de costume, que "Israel abateu palestinos".

De facto, dois dos terroristas foram abatidos no local. E um conseguiu fugir. Talvez os detractores de Israel quisessem que os judeus fizessem fila para se deixarem matar, como nos bons tempos do Tio Adolfo...

Um outro aspecto que sobressai da "cobertura jornalística" de mais esta atrocidade tem sido o ignorar as vítimas e exaltar as lágrimas de crocodilo do mandante do crime, o mega terrorista Mammoud Abbas, a epítome do antissemitismo e do Nazismo no Médio Oriente.

Neste vídeo, do aniversário do bando terrorista Hamas, em 2013, o terrorista Abbas exalta o terrorismo, o Nazismo - na pessoa de Hitler e do Grande Mufti de Jerusalém (aliados no Holocausto e no plano nazi de domínio global), e exorta, como sempre, à extinção de Israel  e dos Judeus:


Enquanto ele publica as habituais felicitações aos terroristas e se junta à festa, depois de ter ordenado os crimes, Imprensa diz que ele lamenta o ocorrido. É muita má-fé!

Contamos em breve dar-vos uma breve panorâmica da cobertura jornalística do evento. Este é o dia a dia das crianças israelitas, permanentemente alvos de bombas, atiradores furtivos e outros assassinos. A Imprensa Mundial, os políticos, organizações como a Amnistia Internacional (uma associação antissemita e comunista), nada dizem. Quando Israel responde, indignam-se. Não passam de NAZIS. Até o Hitler tinha mais dignidade que essa gente. Não era hipócrita, assumia-se como discípulo do Mal.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.