quinta-feira, 17 de abril de 2014

Terrorista mata pai de cinco filhos em Hebron

Toda a nossa solidariedade e as nossas orações para as vítimas de mais este acto hediondo e suas famílias. 

Terrorista mata um pai de cinco filhos em Hebron

O mais recente ataque terrorista contra civis israelitas ocorreu na véspera da Páscoa, causando uma vítima mortal, um pai de cinco filhos, e ferindo gravemente a sua esposa e uma criança de nove anos de idade.
 
O chefe de polícia superintendente Baruch Mizrahi foi vítima de um ataque terrorista perto de Hebron, na véspera da Páscoa. (Foto: Polícia)

Enquanto os israelitas e os judeus em todo o mundo se preparavam para celebrar a Páscoa, um ataque terrorista perto de Hebron tirou a vida do chefe da polícia, Baruch Mizrahi, de 47 anos,  pai de cinco filhos.
 
A sua esposa está em estado crítico no Hospital Shaare Zedek, em Jerusalém. A criança de anos de idade, levemente ferida, foi levada para o Centro Médico da Universidade de Hadassah. 
A família viajava para a cidade de Modi'in, na região de Hebron, onde a família da mulher reside.

A polícia ainda está à procura dos terroristas, que, aparentemente, fugiram para a cidade nos territórios de Idhna, administrados pelos palestinos.
 
"Este ataque trágico, que ceifou a vida de um israelita e feriu outros dois, é um acto horrível de violência visando especificamente civis que viajam nas estradas", disse o porta-voz do IDF, o tenente-coronel Peter Lerner. 
"O Exército israelita desencadeou imediatamente esforços para prender o assassino, e está a trabalhar na busca em conjunto com os serviços secretos", disse Lerner. "O perfil dos terroristas da Judeia e Samaria nos últimos anos é o de criminosos solitários, sem uma infra-estrutura. Isso realmente dificulta a nossa capacidade de prevenir tais ataques antes que eles ocorram."


A Polícia bate a zona onde se produziu o ataque terrorista, perto de Hebron. (Foto: Blog IDF)
Embora nenhuma organização terrorista tenha ainda assumido o ataque, o Hamas e a Jihad Islâmica elogiaram o ataque terrorista como um acto "heróico"; este último afirmou que o assassinato foi uma reacção natural ao " crime da ocupação [por Israel]."

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu na terça-feira acusou a Autoridade Palestina pelo seu silêncio, em vez de condenar o acto de terror.
 
A incitação palestina ao ódio, responsável pelo assassinato 
"Este assassinato criminoso de um homem que viajava com a sua família para uma refeição da Páscoa é o resultado de incitamento ao ódio, de que a Autoridade Palestina é responsável", disse Netanyahu. 
"A incitação ao ódio continua, e o líder da AP, Mahmoud Abbas, não achou por bem condenar este acto repugnante e hediondo de terrorismo".

"O líder da Autoridade Palestina, Abu Mazen Abbas, incentiva e recompensa os assassinos de judeus com uma mão, e com a outra mão pede que Israel liberte os terroristas presos ", disse o ministro da Economia, Naftali Bennett.

 A polícia está à procura de suspeitos após o ataque terrorista perto de Hebron. (Foto: Blog IDF)
O ministro da Defesa, Moshe Yaalon, disse: 
"Nós não vamos descansar enquanto não capturarmos quem planeou e executou o ataque. Nós não vamos tolerar mais ataques terroristas contra cidadãos israelitas e vamos agir com firme determinação contra todos os envolvidos no planeamento ou execução destes ataques". 
Mizrahi serviu no exército israelita durante 25 anos, em várias posições, incluindo operacionais, tecnológicas e como tenente-coronel dos serviços secretos. Em Junho de 2011, foi nomeado chefe superintendente da polícia israelita. 
Autor: Atara Beck, editor de United with Israel
Data: 16 Abr 2014

---------------------------
 


Nas zonas de Israel diariamente alvejadas pelos terroristas que o mundo glorifica, os infantários têm abrigos anti-bomba. Só assim não há mais vítimas israelitas. Se Israel responde, o Mundo condena!
Os clérigos islâmicos ensinam que todo o bom muçulmano deve fazer o possível para matar quantos judeus possa. Estatísticas do terrorismo global entre 1960 e 2004 confirmam que 95% de todos os actos terroristas vêm do Islão. Avalia-se geralmente que apenas 20% dos muçulmanos são fundamentalistas, mas esses são 3.000% mais violentos do que o resto do mundo.

Mais ataques terroristas em Israel. Mais mortes. Em Gaza morreram, pelas nossas contas, e desde o início do ano, 12 terroristas. 3 num raide de resposta de Israel contra bases de lançamento de mísseis, de onde partiram os bombardeamentos mais intensos, ocorridos a 11 de Março. E 9 por acidentes auto-inflingidos

A Imprensa Mundial está caladinha sempre que os terroristas bombardeiam, esfaqueiam, disparam, se fazem explodir e matam cidadãos israelitas. Está caladinha ou junta-se à festa sempre que os assassinos são recebidos em delírio e recompensados, vivendo como nababos com o dinheiro que os apoiantes  da "Palestina" enviam para lá às pazadas.

A Imprensa Mundial mostra as produções da indústria da mentira, as mortes encenadas de "palestinos", mas não mostra as crianças israelitas que morrem ou ficam toda a vida amarradas a camas de hospital.

A Imprensa Mundial só acorda quando Israel responde. 

E na imaginação colectiva, alimentada por milénios de ódio aos judeus, cimenta-se o mito de que Israel "todos os dias faz levantar caças para bombardearem e matarem milhares de criancinhas palestinas". Dos actos terroristas islâmicos contra Israel e contra todos os "infiéis" do mundo, temos provas diárias, temos vídeos, fotos, testemunhos. Do tal "mortícinio diário dos milhares de criancinhas palestinas alvejas pelos F-16", só temos as arengas dos loucos, semElhantes aos que na Idade Média juravam que os judeus envenenavam os poços e amassavam o pão com sangue de crianças cristãs.

Os nossos votos são de que Israel retome depressa os seus territórios de Gaza, Judeia e Samaria, que prenda quantos terroristas puder e que reforce as suas fronteiras e a sua cerca de defesa. CHEGA DE TERRORISMO! CHEGA DE CONTEMPLAÇÕES PARA COM OS TERRORISTAS!

De mal amado não passas, Israel. Por muito que cedas, por muito que cales a tua dor! Então... 

VAMOS A ISSO!!!

7 comentários:

  1. Acabo de me deparar com este blogue e estou absolutamente... Sem palavras.
    Quer dizer que Israel, para além de ser a nação boazinha e pacífica que ilumina o oriente, também é difamada e demonizada pela mídia ocidental?
    Pergunto-me se os autores deste site já se consultaram com um psiquiatra. Visão totalmente distorcida de qualquer vislumbre de realidade.
    Defendem uma nação que só existe pelo capricho de uma elite de vermes sionistas, disfarsados de pacificadores, afirmam que Israel é odiado por quem mais o defende (EUA e ocidente em geral) e ainda por cima incentivam a tal da islamofobia, pretendem vocês causar algum tipo de caos virtual que erga uma nova série de Cruzadas? Não dá para entender, desculpem lá... Defender os atos nojentos desta nação, que ainda ontem atacou fiéis islamitas na mesquita Al-Aqsa, ainda vá... Agora, descer a este nível de hipocrisia, espalhando por todo o santo blogue mensagens de quão odiado e injustiçado é aquele nobre país... Ah tenham paciência...
    Só me resta esperar que este meu comment não seja excluido, assim outros talvez não se deixem levar por este tipo de balela sensacionalista que os senhores querem promover, sabe-se lá em nome de quê...
    Abraços...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem está sem palavras somos nós. Você não se dá ao trabalho de conferir as notícias que publicamos e os sites que indicamos, que dão conta da realidade do Islão dito radical, nem se dá ao trabalho de tentar confirmar se é verdadeira ou falsa a propaganda que lhe impingem. Ou aprova o terrorismo islâmico que varre o mundo diariamente?

      As Cruzadas foram uma reacção à barbárie e ao expansionismo e supremacismo islâmico, sabia? Nós queremos uma "cruzada" da democracia, da verdade e da liberdade, contra esse sucedâneo do Nazismo que é o supremacismo islâmico. Uma cruzada pacífica da opinião pública, para evitar que as armas falem ainda mais alto. Nós somos contra o genocídio dos não muçulmanos. E você?

      Onde estão as provas das acusações que faz a Israel? Nós mostramos aqui as nossas. Se você quiser, pode abrir os vídeos e confirmar o que são os estupros, as profanações, os assassínios, as decapitações, o genocídio dos «infiéis». E nós mostramos apenas uma amostra! Porque não mostra as provas das suas acusações contra Israel?

      Ontem Israel "atacou a mesquita de Al- Aqsa"? Pode indicar fontes? Ou é apenas uma muçulmana ou uma extremista de esquerda obcecada pelo ódio a Israel e ao Mundo Livre em geral? Gostaria de viver na Arábia Saudita ou na Síria, e ser obrigada a fazer mutilação genital feminina, ser co-esposa e levar pancada de marido, fazer-se explodir em nome de Allah, etc?

      Veja na nossa barra lateral a pequena lista de sites que escolhemos, sob o título "O TERRORISMO GLOBAL", e depois diga-nos se é mentira o que afirmamos. E mostre-nos as provas das suas acusações. caso contrário, seremos forçados a concluir que é apenas uma pessoa cega pelo ódio e pela propaganda.

      José de Jesus

      Eliminar
    2. POST-SCRIPTUM - Fazemos o convite à apoiante do terrorismo islâmico Mafalda, para que nos indique UMA ÚNICA alegação que fazemos neste blogue que esteja incorrecta. Prometemos corrigir TODAS as que encontre. Para além do ódio a Israel e da islamofilia, a Mafalda não tem NADA! Mas fica o DESAFIO!

      Eliminar
    3. Há que dar crédito à Mafalda: ela não esconde a sua filiação, ao contrário de muita gente da esquerda-caviar. Recusa-se a aceitar as coisas como elas são e faz muitas acusações sem nexo baseadas em falsidades, mas pelo menos não tenta passar por imparcial. Anti-semita até aos ossos.

      O chorrilho de disparates ignorantes por ela proferidos deram-me vontade de fazer um post a esclarecer mitos e lendas sobre as Cruzadas (spoiler: não foi um caso de europeus bárbaros e imperialistas que decidiram montar os seus cavalos e ir matar os árabes cultos e pacíficos). Stay tuned :)...

      P.S.: Adorei a parte do "atos nojentos desta nação, que ainda ontem atacou fiéis islamitas na mesquita Al-Aqsa". O problema da Mafalda (como o de qualquer maomedano) é que um suposto ataque a "fiéis islamitas" é um "ato nojento", mas nem um piu quanto ao que se passou com a família Fogel, que foi barbaramente assassinada por "fiéis islamitas" pelo crime de serem judeus. 3 das vítimas foram crianças, incluindo um bebé de 3 meses que foi decapitado. Típico supremacismo islâmico: ai de quem se atreva a levantar um dedo que seja contra "fiéis islamitas", ainda que seja em legítima defesa, mas as atrocidades cometidas por "fiéis islamitas" simplesmente ou não existem ou são justificadas por injúrias inexistentes.

      Eliminar
    4. Vou lançar aqui um repto à Mafalda: ler e, caso existam, apontar erros às minhas refutações a "esclarecimentos" (um nome estranho para descrever falsidades, but whatever) sobre o islão:


      http://amigodeisrael.blogspot.pt/2014/03/taqiyya-made-in-portugal.html

      Não envolve Israel diretamente, portanto talvez a Mafalda consiga manter a objetividade e ser imparcial...

      Eliminar
  2. Griii... gri... griiiii... (som dos grilos). A Mafalda não tem resposta.

    ResponderEliminar
  3. Procurem no DN esta notícia recente: "Muçulmanos incendeiam templos e casa de budistas" no Bangladesh.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.