sexta-feira, 4 de abril de 2014

Polícia afegão grita "Allahu Akbar" e mata fotógrafa da AP



  Anja Niedringhaus, abatida ontem

"O atacante será um polícia que disparou contra as repórteres que cobriam as eleições presidenciais de sábado" - PÚBLICO
Este assassínio foi cometido por um polícia afegão - um comandante da unidade denominada Naqibullah, apoiante ostensiva do regime de Karzai, aliado dos EUA. O problema é que não há nenhuma maneira confiável para distinguir "moderados" de jihadistas islâmicos, e o comando politicamente correcto dos EUA no Afeganistão não faz nenhuma tentativa nesse sentido. Esse tipo de inquérito seria considerado "islamofobia".
É comum no Afeganistão e em outros países islâmicos com regimes supostamente aliados do Ocidente, as forças de segurança locais fazerem este tipo de ataques.
"Esta foto resume  trágico equívoco da desventura Ocidental no Afeganistão. Mas a lição, como sempre, não vai ser aprendida" - escrevemos nós no post "Assim Se Paga o Bem":
Dois militares britânicos foram abatidos por polícias afegãos a quem estavam a treinar. Esta foto foi tirada segundos antes de o fundamentalista islâmico (e polícia!), ter assassinado os dois britânicos, que não desconfiaram quando o viram todo urinado pelas pernas abaixo, com medo de morrer sem conseguir matar infiéis.
A lição não foi de facto aprendida.Sob a liderança politicamente correcta de Obama & C.a, as coisas são mesmo assim...

"Fotógrafa da Associated Press morta, repórter ferida"
Associated Press

04 de Abril
    CABUL, Afeganistão (AP) - Uma veterana fotógrafa da Associated Press foi morta, e uma repórter da AP ficou ferida, na sexta-feira, quando um polícia afegão abriu fogo, enquanto elas estavam sentadas no seu carro, no leste do Afeganistão.

    
Anja Niedringhaus, 48, uma fotógrafa alemã internacionalmente aclamada, morreu imediatamente, de acordo com um jornalista que testemunhou o tiroteio.

    
Kathy Gannon, uma correspondente da AP, que por muitos anos foi chefe da sucursal no Afeganistão da agência de notícias e actualmente é correspondente especial para a região, foi baleada duas vezes e recebeu atendimento médico. Está em condição estável e capaz de conversar com o pessoal médico.

    
"Anja e Kathy passaram anos no Afeganistão fazendo reportagens sobre o conflito e as pessoas de lá. Anja foi uma jornalista vibrante, dinâmica, aclamada pelas suas fotografias perspicazes, cheia de alegria e gosto pela vida.
Estamos inconsoláveis ​​com esta perda", disse a Editora Executiva da AP, Kathleen Carroll, falando em Nova Iorque.

    O ataque ocorreu na véspera das eleições no Afeganistão. Os taliban prometeram interromper a votação de sábado para um novo presidente e conselhos provinciais. (...)
    Enquanto estavam sentadas no carro à espera do comboio, um comandante da unidade denominada Naqibullah caminhou até ao carro, gritou "Allahu Akbar" - Allah é grande - e abriu fogo contra as jornalistas no banco de trás, com a sua AK-47. De seguida, rendeu-se aos outros polícias e foi preso ....

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.