quarta-feira, 9 de abril de 2014

Abu Jihadista Canibal

 

O rosto tranquilizador de Abu Sakkar, o canibal preferido dos media ocidentais!

"Os canibais são nossos amigos!" - escrevemos a propósito do surto de canibalismo jihadista na Síria, e da paixão assolapada dos media ocidentais pelos seus perpetradores, bem expressa nas manifestações de branqueamento e submissão, por parte de jornalistas como o Paul Wood, da BBC, que se rojou em adoração fervorosa aos pés do canibal islamista Abu Sakkar.

A nobre acção de Abu Sakkar:




"Caros rebeldes Sírios; Comer Corações Humanos é Perigoso Para a Vossa Saúde" 

 - avisou em artigo homónimo Janelle Vaesa, uma cientista da Universidade de Louisville. Como se pode ver pela bibliografia usada, o aviso era bem sério:

Abdelaziz, Salma and Yan, Holly. Video: Syrian rebel cuts out soldier’s heart, eats it. (2013). CNN. Accessed September 8, 2013.
Medline Plus. Kuru. (2013). Accessed September 8, 2013.
The University of Texas at Austin. The dangers of cannibalism. (2013). Accessed September 8, 2013.
WebMD. Your kidneys and how they work. Accessed September 8, 2013.
Collinge, J., Whitfield, J., McKintosh, E., Beck, J., Mead, S., Thomas, D., Alpers, M. Kuru in the 21st century—an acquired human prion disease with very long incubation periods. (2006). The Lancet. Accessed September 8, 2013.
Shoebat, T. Syria, Cannibalism and Videotape. (2013). Frontpage Mag. Accessed September 8, 2013.
© Copyright 2013 Janelle Vaesa, MPH, All rights Reserved. Written For: Decoded Science


 Janelle Vaesa, a cientista que ousou aconselhar os canibais jihadistas

Theodore Shoebat, de terrorista a activista pela paz 
Um dos autores que tem abordado o assunto a fundo tem sido o jovem e dinâmico Theodore Shoebar, que, tal como o seu pai Walid, se converteu ao Cristianismo após ter sido terrorista nas fileiras da Irmandade Muçulmana.
Theodore tem acompanhado atentamente o fenómeno do canibalismo na Síria. Contamos em breve falar-vos do seu trabalho.
A doença foi detectada em 8 a 20 pessoas em vários locais da Síria, e, segundo os médicos, a única explicação para estes casos é o canibalismo, e mais precisamente o consumo de cérebros humanos.
Quem o reportou em primeiro lugar foi o site noticioso em Língua Árabe Zaman al-Wasal.
 A Orient News Television tem divulgado notícias bem fundamentadas sobre o fenómeno.

Este documentário foca os sacrifícios humanos e o canibalismo, que se julgava estar restrito, na actualidade, a regiões remotas da Papuásia - e a sua relação com o Kuru (Doença de Creutzfeldt-Jakob). 

No Antigo Testamento encontramos abundantes relatos de que os Cananeus praticavam sacrifícios humanos, o que repugnava profundamente aos Hebreus. Em pleno terceiro milénio, verificamos que o hábito não desapareceu daquela região. Sacrifícios humanos e, como se não bastasse, canibalismo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.