sábado, 12 de setembro de 2015

Netanyahu: A Bíblia é a Rocha de Israel


Sem a Bíblia e a ligação milenar à nossa terra, não há  significado para a presença judaica em Israel, disse o primeiro-ministro Netanyahu. 
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e a sua esposa Sara organizaram uma reunião especial do Círculo de Estudo do Tanakh (Bíblia)  em homenagem ao Ano Novo judaico, na residência do primeiro-ministro.

A Bíblia mais pequena do Mundo está em exibição em Jerusalém.
Netanyahu falou sobre o significado crucial que a Bíblia tem na presença judaica na Terra Santa. "Quem participa regularmente neste círculo de estudos sabe que uma vez eu disse que o Tanakh é a rocha da nossa existência ... não há outro significado para estarmos aqui sem a nossa ligação à nossa Terra e a  este Livro." 
Netanyahu compartilhou o seu costume de ler o Tanakh cada Shabat, com o seu filho se ele está de férias, ou sem ele, se ele não está. "Colho grande inspiração do Tanakh", disse o primeiro-ministro durante a  reunião do grupo de estudo da Bíblia, realizada em memória do seu falecido sogro, Shmuel Ben-Artzi.
"Estamos actualmente a terminar o livro de Deuteronómio. Depois vem o Livro de Josué. O costume que eu tenho com Avner [segundo filho de Netanyahu] é de, depois de terminarmos as leituras da Torá e Haftara semanais, lermos secções do Tanakh. Há sempre reflexos em eventos contemporâneos. O Tanakh toca sempre  no presente e na vida eterna da Humanidade em geral, e, em particular, do nosso povo." 

Trabalhadores judeus e muçulmanos comendo juntos, na fábrica SodaStream, que em breve será forçada a deslocalizar-se, devido aos boicotes dos antissemitas.
Netanyahu também enfatizou a importância de as crianças israelitas lerem o Tanakh, que contribui para "consolidar o seu conhecimento da nossa cultura e do nosso património, que são a História de fé, a História da moralidade entre os homens e entre os homens e Deus, a moral para toda a Humanidade. Isso vem antes de tudo o resto."
Lições modernas de textos antigos 
As lições da Bíblia são de grande importância para as actuais batalhas de Israel, disse o primeiro-ministro de Israel.

 
 
"Digo isto numa altura em que há uma tendência contrária entre as nações do mundo, uma tendência que vai continuar a negar os nossos direitos, a nossa ligação com esta Terra e no fundo o nosso direito à vida. Sucessivos movimentos de boicote têm atingido o nosso povo ao longo de milhares de anos. Somos boicotados, denegridos e vistos como a causa de todo o mal. Claro, isto é um pouco ridículo quando se olha para o dilúvio de milhões de seres humanos que fogem dos estragos do Islão extremista no Médio  Oriente e em África. Mas é claro que há outros que reconhecem o génio que há dentro do nosso povo. Desenvolvemos esse génio em coisas fantásticas. O povo do Livro também também é o povo da cibernética. Estamos a chegar a novos continentes e a novos países - China, Índia, Japão, África, América Latina e agora o Brasil. (...)".

 Netanyahu visitou a Feira Agrícola Mundial em Itália. onde declarou que a inovação israelita está a criar um futuro melhor para a Humanidade. Uns bombardeiam, outros semeiam...
"Há duas tendências fundamentalmente opostas. Uma delas é o ataque ao nosso povo, como sempre aconteceu, com muita pena minha, por milhares de anos", disse Netanyahu. "Por outro lado agora os judeus têm um Estado. Porque nós temos um Estado que tem a capacidade de ser tornar forte, reunimos a nossa coragem e agimos de uma maneira que não podíamos anteriormente, tanto para repelir os nossos inimigos como para estabelecer a nossa política. Não há dúvida de que esse esforço vai continuar. De Josué, nós colhemos o ensinamento de que os nossos inimigos devem ser combatidos quando nos querem destruir. (...)"
Por: Max Gelber, United With Israel
Tradução nossa.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.