sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Árabe salva judeus de multidão de linchadores

Não reportamos aqui mais de 99% do que acontece relacionado com Israel. Não somos uma agência noticiosa, somos apenas uns tipos que trabalham nas suas profissões, humildemente, e que tiram uns minutos para escrevinhar por uma causa justa. Mas todos os casos de acções meritórias da parte dos muçulmanos de que temos conhecimento, são aqui contados:


Árabe salva judeus de uma multidão de linchadores em Hebron


Um homem árabe resgatou cinco estudantes americanos de uma yeshiva (escola hebraica) de um linchamento em Hebron, depois de estes terem sido mal orientados no caminho para a Caverna dos Patriarcas. Dois dos rapazes ficaram feridos.

Os jovens abrigaram-se na sua casa, o seu carro foi atingido por pedras e, em seguida, bombardeado. O carro explodiu em chamas.

O IDF tinha passado recentemente o posto de controle à Autoridade Palestina.

"Queríamos ir para rezar na Caverna dos Patriarcas, e no caminho fomos parar ao meio uma multidão de árabes", disse um dos alunos  ao canal de Israel 2. "Eles começaram a atirar pedras, tijolos e pedras contra o carro, e quando procurámos escapar, cercaram-nos aos gritos de 'JUDEUS! JUDEUS!'. "Então, um dos árabes veio ter connosco e disse: 'Venham comigo'".

O grupo foi descoberto por um residente do bairro de Jabal Johar, Fayez Abu Hamadia, que os escondeu em sua casa.
Checkpoint perto de Hebron


"Eles estavam muito ansiosos, um estava ferido e sangrava da cara. Eu acalmei-os. Disse-lhes em Hebraico que eles iam ficar a salvo, dei-lhes água, e ajudei o que estava ferido", disse Hamadiah. "Eu disse-lhes que estavam a salvo em minha casa. Imediatamente depois de eles chamarem a Polícia, mandei adolescentes chamar o Exército para os levar ao posto de controle".

"Somos todos, antes de mais, seres humanos", disse Hamadiah ao Ynet. "É assim que todos se devem comportar."

Os estudantes foram resgatados numa operação conjunta pela Administração Civil de Judeia e Samaria, o IDF, forças de segurança palestinas, e por uma unidade de reconhecimento da Polícia.

A cena do ataque

Os representantes da comunidade judaica em Hebron observaram que o IDF (Forças de Defesa de Israel) mantinham o posto de controle na entrada de Jabal Johar, mas entregaram-no à Autoridade Palestina na semana passada. Pediram ao IDF para restabelecer o posto de controle para evitar tais incidentes no futuro.

Via United With Israel

Três breves comentários:

- É a estes postos de controle (que impedem os judeus de serem chacinados) que a extrema-esquerda, a extrema direita e os terroristas chamam "apartheid"

-  A maioria dos árabes que vivem em Israel, apesar de serem descendentes dos invasores que entraram em Israel em 1920 para impedir a restauração da independência, preferem viver em Israel a viver nos restantes 99,5% do Médio Oriente (que é TODO muçulmano).

- Esperamos que o senhor  Fayez Abu Hamadia não seja morto pelos esbirros de Mahmoud Abbas, o terrorista líder da Autoridade "Palestina", que costuma mandar matar quem não odeia os judeus, e recompensar quem os assassina. Que Deus abençoe o senhor Fayez. Rezemos por ele, que bem vai precisar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.