quarta-feira, 23 de setembro de 2015

15 Coisas que só se vêem em Israel

1 - Um judeu religioso, um soldado israelita e uma mulher árabe sentados lado a lado num comboio...

Parece o princípio de uma anedota, mas é apenas o quotidiano de Israel.

2. Encontros em Israel...


Quem não se comportar como um cavalheiro, arrisca consequências...

3. Até o Homem-Aranha precisa da ajuda Divina


Muro das Lamentações, Jerusalém. 

4. Uma família judaica ortodoxa com a filharada toda vestida de Pai Natal


5. Estacionar o camelo "à patrão"


6. Sem-abrigo que acham que são um negócio: "VOLTO JÁ"


7. Uma banhoca no Mar Morto enquanto se lê o jornal


8 - McDonald's kosher


9 - Atenção! Travessia de camelos!


10 - Atenção! Travessia de judeus ortodoxos!


11 - Os israelitas têm orgulho no seu café no seu chá

A tabuleta assegura que são melhores que os do Starbuck. Grande percentagem dos portugueses é descendente de judeus, pelo que estas coisas nos são familiares ;-)

12 -  O Susita, o primeiro (e último) carro fabricado em Israel


13 - Estradas sem carros durante 24 horas no Yom Kippur (hoje)



14 - Atenção! Travessia de carros de combate...


Cuidado com as nuvens de poeira

15 - O país pára quando soam as sirenes em honra das vítimas do Povo de Israel



Do excelente site JEWS FACTS

4 comentários:

  1. Ora um post bem humorado, e bom seria que os pequenos fait-divers que encerra se alargassem pelo mundo. Fiquei surpreendidíssimo com os Ortodoxos acompanhados pelos filhos vestidos de Pai Natal - e recordo que o São Nicolau que originou a figura não era lá muito simpático - e deu-me vontade de rir o Homem-Aranha no Muro. Nunca imaginei!

    ResponderEliminar
  2. O meu sonho é fazer um blogue dedicado a Israel em que não seja forçado pela dura realidade a falar de coisas tristes.

    ResponderEliminar
  3. Aqui para nós que ninguém nos ouve, pelo que entendo a 1ª parte não deve ser nada difícil, não lhe deve faltar assunto. Quanto à 2ª, tem razão, infelizmente. Deus bem fez em definir o Povo Eleito, o problema é que se distraiu um bocado com a vizinhança...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles coitados foram o povo eleito para trazer a ideia monoteísta, e com essa responsabilidade, vieram-lhes uma data de complicações. É por isso que me sinto no dever moral de os defender. Como defendi incansavelmente os timorenses, como defendo incansavelmente os tibetanos e tantos outros. Incuravelmente optimista, desejo que o Médio Oriente vá seguindo cada vez mais o caminho de abertura à liberdade que iniciou há décadas, e que tem sido travado pelo fundamentalismo religioso. Como dizia o saudoso Torres (jogador e seleccionador nacional): Deixem-me sonhar!

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.