quarta-feira, 26 de junho de 2013

Síria: 100.191 mortos

"Mortos na Síria já são mais de 100 mil" - Público

           E com a ajuda de Obama, serão muitos mais...

(ATENÇÃO ÀS IMAGENS, ALTAMENTE CHOCANTES)

Excertos da entrevista com Ahmad 'Issa, comandante das Brigadas Sírias Suqur Al-Sham, na Al Jazeera, a 12 de Junho de 2013, afirma que "o Irão será sempre o seu inimigo prioritário, e que o povo decidirá depois o que fazer com Israel".

Entrevista aqui.

    Entrevistador: O Suqur Al-Sham, ou o senhor pessoalmente, esperam ter um papel político, caso o regime seja derrubado?

    
Ahmad 'Issa: Nós não queremos servir como uma ponte, para sermos preteridos e, em seguida, deitados fora.

    
Entrevistador: Então você não aspiram a um papel político?

    
Issa Ahmad ': Concerteza.

    
[...]

    
Temos tido atenção às minorias e aos seus direitos, desde a criação do Estado do Islão, desde o início do Califado, nos dias do profeta Maomé, e nos dias dos califas justos, e até este dia. Ao longo da História, ninguém sofreu injustiça sob o Estado do Islão - o Estado da verdade e da justiça.

    
Entrevistador: Em alguns emiratos islâmicos no curso da História - eu poderia mencionar o califado abássida, por exemplo, e a Andaluzia, onde cristãos e judeus ocuparam cargos ministeriais, e até mesmo a posição do primeiro-ministro. Qual é a sua posição sobre um cristão se tornar um ministro, por exemplo?

    
Ahmad 'Issa: Nós temos três pré-requisitos para a adesão ao governo. A primeira é que o Islão deve ser a única fonte de autoridade do Estado. Nós não infringimos os direitos dos outros - este é o nosso direito, porque 85% dos sírios são muçulmanos sunitas.

    
[...]

    
Exigimos que o Presidente e o Parlamento sejam muçulmanos sunitas, e que a única fonte de autoridade do Estado seja o Islão. Assegurado isso, você pode chamá-lo um Estado constitucional, um estado parlamentar, uma monarquia, uma república - o que quiser.

    
Entrevistador: Você não se oporia a que um cristão se tornasse ministro, por exemplo?

    
Ahmad 'Issa: As nossas preocupações são o Chefe de Estado e fonte de autoridade do Estado.

    
Entrevistador: Você opõe-se a ter um cristão como Chefe de Estado?

    
Ahmad 'Issa: Sim, nós não aceitaríamos isso.

    
[...]

    
Entrevistador: Qual é a sua posição em relação à democracia?

    
Ahmad 'Issa: Estamos a falar de um Estado de justiça e verdade. Queremos que o povo a ser governado por uma lei infalível - a lei de Deus. Nós não queremos que as pessoas sejam governados por leis feitas pelo homem ...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.