quinta-feira, 20 de junho de 2013

Dinheiro para jihad síria



Esta imagem de arquivo fornecido pelo Edlib News Network, ENN mostra rebeldes da filial da al-Qaeda, a Jabhat al-Nusra, hasteando a sua bandeira no topo de um helicóptero da Força Aérea da Síria, na base aérea de Taftanaz que foi capturada pelos rebeldes, na província de Idlib, norte da Síria (Foto: AP / Edlib News Network ENN).

"Na véspera do início da cimeira, Putin descreveu os rebeldes sírios como “pessoas que não só matam os seus inimigos como comem os seus órgãos em público diante das câmaras”, em referência a um vídeo conhecido em Maio onde um rebelde sírio punha na boca um pedaço de pulmão de um soldado morto. “Queremos apoiar estas pessoas? Queremos fornecer armas a estas pessoas?”, perguntou Putin à saída de um encontro com Cameron, onde defendeu a decisão russa de continuar a vender armas a Assad, “líder legítimo” dos sírios."
in Público

AVISO: ESTE VÍDEO CONTÉM IMAGENS EXTREMAMENTE CHOCANTES DA GUERRA NA SÍRIA. NÃO VEJA SE FOR IMPRESSIONÁVEL.




"Em nenhum lugar da Síria controlado pelos rebeldes há uma força de combate secular com quem dialogar" - New York Times, 28 de Abril de 2013


"Síria - Rebeldes juram lealdade à Al-Qaeda" - USA TODAY, 11 de Abril de 2013 


Ascende a 815 milhões de dólares a quantia enviada aos aliados da Al-Qaeda e apoiantes da jihad e da Sharia:

"Obama anuncia mais 300 milhões em ajuda aos sírios" por Ian Johnston para a NBC News, 18 de Junho:


    Os EUA deram mais 300 milhões em "assistência humanitária" adicional aos sírios apanhados na guerra civil do país. Barack Obama anunciou mais esta quantia, perfazendo a "ajuda" dada desde o início do conflito cerca de 815 milhões dólares.

    No G-8, na Irlanda, o presidente Obama falou com o presidente russo Vladimir Putin para discutir a intervenção no conflito sírio. Enquanto isso, as pesquisas mostram que o público americano não quer armar os rebeldes sírios.

    O dinheiro extra será usado para pagar comida, assistência médica, água limpa, abrigo e outros suprimentos para as pessoas na Síria e alguns dos 1,6 milhões de refugiados que fugiram para países vizinhos.

    O presidente anunciou o dinheiro extra durante uma reunião com líderes mundiais do Grupo dos Oito, em Lough Erne, da Irlanda do Norte, na segunda-feira.

    "Os Estados Unidos continuam a ser o maior contribuinte em ajuda humanitária para o povo sírio", disse um comunicado no site da Casa Branca.

    "Os Estados Unidos apoiam e apreciam os países que hospedam os 1,6 milhões de refugiados que fugiram do conflito brutal na Síria, e elogia os esforços das nações anfitriãs para proporcionar protecção, assistência e hospitalidade a todos aqueles que fogem da violência", disse o comunicado.

    "Os Estados Unidos reconhecem as tensões significativas nas comunidades de acolhimento e o impacto económico de fornecer refúgio a um número tão grande de pessoas", acrescentou. "Apelamos a todos os governos anfitriões para continuarem a manter as suas fronteiras abertas àqueles que ainda fogem da violência na Síria." ...

- Entretanto, crescem os receios sobre o destino das armas químicas, das armas convencionais e não convencionais do regime de Assad. Enquanto o Mundo Livre se divide nas opiniões sobre qual dos dois lados é o mais brutal e perigoso, os jihadistas ganham perigosamente terreno.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.