quarta-feira, 26 de junho de 2013

Reino Unido assume-se como Islâmico!!!

"Num golpe sem precedentes contra a liberdade, o governo britânico proibiu Robert Spencer de entrar no país. Muhammad al-Arifi, que tem defendido o ódio aos judeus, espancamento de mulheres e a violência da jihad, entrou no Reino Unido recentemente sem nenhuma dificuldade. Ao não permitir a Spencer entrar no país apenas por causa de suas afirmações verdadeiras e precisas sobre o Islão, o governo britânico está a comportar-se como um Estado islâmico de facto. A nação que deu ao mundo a Carta Magna está morta."

Robert Spencer é o responsável pelo site Observatório da Jihad.

Nada mais faz que expor os FACTOS sobre o Islão.


Na imagem seguinte: O deputado trabalhista britânico Tony  Lloyd confraterniza com o seu amigo Ismail Haniyeh, líder do movimento terrorista Hamas:



Robert Spencer no site jihadwatch, tinha comentado há pouco a possível proibição:

Os simpatizantes da jihad estão desesperadamente com medo de Pamela Geller e de mim (Robert Spencer). Têm todo o dinheiro, todo o poder, e todos os meios de comunicação, e ainda assim o medo é palpável, porque eles sabem que nós dizemos verdades e que as suas mentiras grandes não o podem contrariar. O perseguidor obsessivo Nathan difama-me em todos os lugares que pode, e tenta cancelar as até minhas palestras sobre outros temas (assinar a petição para que eu possa falar, aqui). E agora Tony Lloyd publicou uma peça cheia de mentiras e distorções sobre Geller e sobre mim (Robert Spencer), esperando para banir-nos do Reino Unido. Se formos proibidos, ou se entrarmos e formos agredidos, será em grande parte devido à demonização e mentiras de Tony Lloyd.
O islamofascista Tony Lloyd já tinha lançado a sua jihad:

"Apelo de Tony Lloyd: Não deixemos os pregadores do ódio entrarem no Reino Unido"
Manchester Gazette, 25 de Junho, com os comentários de Spencer:
 
O Comissário para o Crime e Polícia de Manchester Tony Lloyd está a apoiar aos apelos para negar a entrada aos dois pregadores no Reino Unido.
Anjem Choudary, que prega a jihad na Sharia e se regozija sobre o assassinato de não-muçulmanos, é um pregador do ódio. Lloyd não tem nada a dizer sobre ele. Pamela Geller e eu, que pregam a liberdade de expressão, a liberdade de consciência ea igualdade de direitos para todos, somos os "pregadores do ódio" para ele.

 O
grupo de extrema-direita Liga de Defesa Inglesa (EDL) convidou os dois fascistas de falar em Woolwich neste fim de semana - no local do assassinato brutal do soldado Lee Rigby.
Agora é-se "fascista" por defender a liberdade contra a Sharia.
A EDL convidou Pamela Geller e Robert Spencer dos EUA para falar na reunião. As revoltantes opiniões de Geller e Spencer são conhecidas nos EUA, onde foram severamente condenados.
Pelos jihadistas fomos, sim.

Tony disse: "Os dois indivíduos que a EDL convidou para virem ao nosso país, não são nada menos do que pregadores do ódio - tão maus quanto aqueles que usam o nome do Islão para propagar o ódio."
"Tão maus", como aqueles que pregam a violência e glorificam assassinato. Este homem é louco.

"Eu acredito apaixonadamente na liberdade de expressão
"
 Não, você não acredita, você é um fascista.

Apesar do facto de o EDL representar tudo aquilo que eu sou contra, eu tenho defendido o seu direito de se expressar - e isso apesar de o custo de policiamento dos seus comícios. Mas este é um passo muito grande."Eu odeio a ideia de transformar essas duas pessoas em mártires por tê-los proibido, mas esta é uma situação extraordinária e peço ao Ministro do Interior para usar os seus poderes extraordinários para negar a estes extremistas entrada no nosso país.
"Cada cidadão deve estar orgulhoso de que este país é conhecido em todo o mundo por seus valores de abertura e de respeito. Mas não podemos tomar isso como garantido e aqueles que jorram ódio comprometer a liberdade que nós amamos no Reino Unido ".Geller e Spencer tem um longo historial de ódio. De negar o genocídio bósnio a acreditar que Barack Obama é um muçulmano secreto, eles e as organizações que os representam têm procurado mostrar todos os muçulmanos como extremistas que têm um plano secreto para tomar a Europa. Eles disseram também que os jovens assassinados por Anders Breivik na Noruega não foram vítimas inocentes.
 Nada disso é verdade. Não dissemos nenhuma dessas coisas. Lloyd está a mentir abertamente.
"Geller e Spencer são perigosos, eles só querem vir para atiçar o ódio e incitam à violência. Vamos tomar uma posição em conjunto e dizer - não são bem-vindos na nossa orguilhosa nação", acrescentou Tony.

Tony assinou uma carta aberta pedindo ao secretário do Interior para negar a Geller e Spencer um visto.

É Lloyd que é incitar o ódio e à violência. Se alguma coisa nos acontecer, na Inglaterra, o sangue estará nas suas mãos.


- Spencer e Geller foram banidos, enquanto os pregadores da jihad, que se alegram abertamente com a morte de infiéis e apelam abertamente à guerra santa, florescem no Reino Unido, com a bênção dos políticos e dos media.

Este precedente é extremamente grave, e coloca o Reino Unido como uma nação islâmica, onde dizer a VERDADE passa a ser proibido. É um precedente extremamente grave. Reiteramos que Spencer e Geller nada mais fazem do que apontar os FACTOS. Não há qualquer apelo racista ou de qualquer forma discriminatório nas suas publicações e palestras. Nem a English Deffence League é fascista. Passou foi a ser considerado «fascista» ser pela VERDADE!




2 comentários:

  1. É uma vergonha o que se está a passar no Reino Unido. Neste momento sinto vergonha de ser europeu. Um estado europeu a silenciar a liberdade de expressão justificando-se com a desculpa de que o Robert e a Pamela "incitam ao ódio". Já vi essa acusação muitas vezes mas nunca vi ninguém citar qualquer dos dois de modo a prová-la.


    Enfim, no Reino Unido pode dizer-se "Forçai os infiéis a pagar a jiyzia de modo a se sentirem humilhados" (e o próprio Maomé proibiu algumas vezes a conversão de outras religiões ao islão com a desculpa de que isso iria originar uma quebra de receitas nos impostos) mas não se pode dizer "O Korão diz para forçar os infiéis a pagar a jiyzia de modo a se sentirem humilhados".

    Já agora, esta notícia apareceu em algum média português?

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo, é crime dizer a verdade.

    Que saiba, esta notícia não passou em Portugal, como não passa a maior parte das notícias da jihad global. E quando passam, como no caso da Maratona de Boston, são relativizadas.

    IB

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.