terça-feira, 12 de abril de 2016

ISRAEL AVISA: Centenas de terroristas muçulmanos planeiam atacar a Europa


Se fosse em Israel, esta imagem seria publicada com acusações de "Estado Policial", "apartheid" e afins. Mas agora é connosco. Agora é aqui na Europa...

Centenas de terroristas islâmicos já estão na Europa, e os ataques em Paris e Bruxelas foram apenas a ponta de um enorme iceberg - advertiu Moshe Ya'alon.

Centenas de jihadistas, terroristas muçulmanos, "planeiam atacar alvos ocidentais em solo europeu", disse o Ministro da Defesa de Israel, Moshe Ya'alon, ao seu colega polaco Antoni Macierewicz.


"Tememos que o que vimos em Paris e Bruxelas seja apenas o começo, e que as tentativas para realizar ataques terroristas na Europa continuem", disse Ya'alon, relativamente aos ataques terroristas muçulmanos nessas duas cidades da Europa Central, que causaram
centenas de mortos e feridos.

O Ministro da Defesa Moshe Ya'alon (E) e o  seu homólogo polaco Antoni Macierewicz (D).

Ya'alon recebeu Macierewicz na quarta-feira em Tel Aviv, e os dois ministros discutiram o terrorismo
O grupo Estado Islâmico (ISIS) treinou pelo menos 400 combatentes para atingir a Europa em ondas de ataques mortais, e mantém células terroristas como as que atacaram em Bruxelas e Paris, com ordens para escolher a hora, o local e método para causar o máximo de caos, conforme revelaram os serviços de informações iraquianos e europeus no mês passado.
Terroristas, criminosos e combatentes estrangeiros fazem parte do fluxo de refugiados que diariamente chegam à Europa, disse em Março o General Philip Breedlove, da Força Aérea dos Estados Unidos, comandante da NATO na Europa. Segundo o Comandante da NATO, o fluxo dos refugiados "mascara o movimento" desses perigosos elementos e aumenta o potencial para novos ataques.

O terrorista do metro de Bruxelas Naïm Al Hamed, também conhecido como Osama Krayen,   é mais um dos que entraram na Europa como "refugiado".

Em depoimento perante o Senado, Breedlove disse que o ISIS está a "espalhar-se como um cancro", tirando proveito da situação, "escolhendo os caminhos de menor resistência, e ameaçando as nações europeias" e os Estados Unidos.
Falando sobre a guerra civil na Síria, Ya'alon disse que Israel não prevê que haja "estabilidade e o fim do derramamento de sangue na Síria a breve trecho. Na guerra que lá grassa, há muitos interesses em conflito e muitos 'jogadores' na arena. Alguns desses 'jogadores' - as organizações jihad global, por exemplo - estão determinados a continuar a lutar".

Ya'alon acrescentou que Israel e a Polónia devem reforçar os seus laços de Defesa.

"A cooperação na Defesa beneficia ambos os países", disse ele. "Infelizmente, Israel tem muita experiência em lidar com estes desafios, tanto nas agressões convencionais como nas agressões terroristas, nos ataques com mísseis e muito mais. Estamos preparados para cooperar e compartilhar conhecimentos e tecnologia".

Devido aos ataques islamistas na Europa, Israel tornou-se um centro de informações sobre organizações terroristas, e os governos europeus têm pedido assistência a Israel, apostando na sua vasta experiência em lidar com esta ameaça iminente.

Por: JNS.org e UNITED WITH ISRAEL


Neste vídeo, um dos milhares que a TV não passa, um grupo de "refugiados sírios" acaba de chegar à Polónia. Gritaria, pancadaria, correria, caos, desrespeito total pelas autoridades:
Os desinformados europeus tardam em estranhar que os "refugiados da guerra na Síria" venham do Paquistão, do Afeganistão, de África, de todo o lado - e alguns até da Síria!!! -  mas quase nenhum cristão ou outra variedade de "infiel".

Os desinformados europeus tardam em estranhar que os "refugiados" sejam maioritariamente homens jovens, bem alimentados e cheios de dinheiro nos bolsos e propaganda terrorista nos seus computadores pessoais. 

Os desinformados europeus tardam em estranhar que os ataques terroristas sejam cometidos por "refugiados".
Os desinformados europeus tardam em estranhar que NENHUM país muçulmano aceite "refugiados".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.